Minicurso: Antropologia, artes visuais e patrimônio: interseções
PPG – Artes, Cultura e linguagens – IAD – UFJF oferece minicurso:

Antropologia, artes visuais e patrimônio: interseções

com a Profª Drª Ilana Goldstein

Professora do departamento de História da Arte da UNIFESP, é Mestre em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP, 2000) e Doutora em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, 2012), com uma tese que versou sobre a inserção das artes indígenas no circuito expositivo e comercial. Editora-responsável pela Proa - Revista de Antropologia e Arte. Pós-doutoranda no Departamento de Estudos Culturais da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH-USP) e docente na Fundação Getúlio Vargas. Paralelamente, às atividades acadêmicas, atua como consultora em gestão cultural junto a diversas instituições.

Para pós-graduandos (todos os níveis e áreas).

Inscrições gratuitas: de 22 a 30 de maio de 2014.

Duração: de 2 a 5 de junho de 2014.

Horários: dias 2 e 3 de junho das 14 às 18 horas.
Dias 4 e 5 de junho das 8 às 12 horas

Local: Sala 212

Carga-horária: 16 horas.

Certificado para quem tiver 75% de presença.
Vagas limitadas.
Inscrições: Além desta versão online, na Secretaria do mestrado do IAD de segunda à sexta das 14 às 18 horas.
Informações com Lara pelo telefone (32) 21 02 33 62.

Ementa:

Com base na apresentação de exemplos, na projeção de trechos de filmes e na discussão dos textos indicados, o curso se propõe a:
1. Sistematizar e debater, sempre que possível com base em casos concretos, as principais questões que emergem da interface entre a antropologia, os museus, o patrimônio cultural e as artes visuais.
2. Apresentar pesquisas antropológicas que se debruçaram sobre diferentes objetos de estudo artísticos e museológicos.
3. Introduzir de modo panorâmico conceitos e abordagens pertinentes ao estudo dos fenômenos artísticos a partir de autores clássicos e contemporâneos da antropologia da arte.

Programa:

I. Arte e contexto: questões da antropologia da arte: Existe arte entre sociedades não-ocidentais? Como se definem arte e a autoria, no caso de sociedades tradicionais? Quais os agenciamentos condensados nos objetos? Estas são as perguntas que nortearão o primeiro encontro. Leituras sugeridas: “A arte como sistema cultural”, de Clifford Geertz; “A rede de Vogel”, de Alfred Gell; e “A estética dos outros”, de Shirley Campbell. (textos anexos)

II. A arte “primitiva” e o primitivismo na arte: Nesse encontro, trataremos das manifestações artísticas que costumam estar excluídas dos circuitos oficiais e da história da arte, como as criações de pacientes psiquiátricos e de artistas auto-didatas. Por outro lado, veremos como esse mesmo tipo de produção inspirou as vanguardas modernas. Leituras sugeridas: trechos de Arte primitiva em centros civilizados, de Sally Price; capítulo Primitivismo, cubismo, abstração, de Gil Perry.

III. O museu como espaço de representação do Outro: As instituições museológicas, surgidas no século XIX, são espaços nos quais representamos nossa própria sociedade e também as demais sociedades. As questões identitárias e de poder que perpassam as práticas museológicas serão o foco desse encontro. Leituras sugeridas: “Reflexões sobre a arte primitiva”, de Ilana Goldstein; entrevista de Benoit de L´Estoile à Revista Proa; trecho do livro Antropologia dos objetos, de José Reginaldo Gonçalves. (Estão entre os anexos)

IV. Arte, patrimônio imaterial e propriedade intelectual: Quando os objetos ou o repertório visual de sociedades tradicionais circulam nas sociedades euramericanas modernas, uma série de problemas se coloca: como definir e como proteger sua propriedade intelectual? O que pode e o que não pode ser mostrado? A quem pertencem as coleções que hoje estão nos museus? Deve-se repatriá-las? Tais questões serão debatidas a partir de exemplos da Austrália e do Brasil. Leituras “A Cultura Invisível: Conhecimento Indígena e Patrimônio Imaterial”, de Marcela Stockler Coelho de Souza; “Objetos Vivos: A Curadoria da Coleção Etnográfica Xikrin-Kayapó no Museu de Arqueologia e Etnologia – MAE-USP”, de César Gordon e Fabíola A. Silva; “Autoria, autenticidade e apropriação”, de Ilana Goldstein. (Estão entre os anexos).


Referências bibliográficas
BARCELOS NETO, Aristóteles. 2008. Apapaatai. Rituais de máscaras no Alto Xingu. São Paulo: Edusp, 2008.
BAXANDALL, Michael. Padrões de Intenção. A Explicação Histórica dos Quadros. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.
BECKER, Howard. Art Worlds. Berkeley/Los Angeles: University of California Press, 1982.
BERTOLOSSI, Leonardo. Diferentes, Iguais: A Pan--Indianidade do National Museum of the American Indian e suas Variações. Dissertação (Mestrado) – Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010. Disponível em:http://teses2.ufrj.br/Teses/PPGAS_M/LeonardoBertolossi.pdf Acesso em 07/01/13.
BOAS, Franz. Primitive Art. New York: Dover Publications, 1955.
CAMPBELL, S. A estética dos outros. Tradução de Érica Giesbrecht. IN: Proa – Revista de Antropologia e Arte [on-line]. Ano 02, vol.01, n. 02, nov. 2010. Disponível em:http://www.ifch.unicamp.br/proa/DebatesII/shirleyPT.html , acesso em: 16/04/2013.
CLIFFORD, James. Colecionando Arte e Cultura. In: Revista do Patrimônio. No. 23. 1994. pp. 69-89.
GEERTZ, Clifford. A Arte como um Sistema Cultural. In: GEERTZ, Clifford. O Saber Local: Novos Ensaios em Antropologia Interpretativa. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 142-181.
GELL, Alfred. Art and Agency: An Anthropological Theory. Oxford: Clarendon Press, 1998.
GELL, Alfred. A rede de Vogel: armadilhas como obras de arte e obras de arte como armadilhas In: Revista Arte e Ensaios No. 8. Disponível em:http://www.eba.ufrj.br/ppgav/doku.php?id=revista:arte_e_ensaios_08. Acesso em 16/04/2013.
GOLDSTEIN, Ilana S.. Do “Tempo dos Sonhos” à Galeria: Arte Aborígene Australiana como Espaço de Diálogos e Tensões Interculturais. Tese (Doutorado) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000856261.Acesso em 07/01/13.
__________. Reflexões sobre a arte "primitiva": o caso do Musée Branly. Horiz. antropol. [online]. 2008, vol.14, n.29, pp. 279-314. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832008000100012. Acesso em 16/04/2013.
__________. Autoria, autenticidade e apropriação: reflexões a partir da pintura aborígine australiana. Rev. bras. Ci. Soc. [online]. 2012, vol.27, n.79, pp. 81-106.Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092012000200006. Acesso em 16/04/2013.
GONÇALVES, José Reginaldo. Antropologia dos objetos: coleções, museus e patrimônios. Rio de Janeiro: IPHAN, 2007.
GRABURN, Nelson. Arts of the Forth World. In: MORPHY, Howard; PERKINS, Morgan. The Anthropology of Art: A Reader. Oxford: Blackwell Publishing, 2006. p. 412-430.
LAGROU, Elsje. Antropologia e Arte: Uma Relação de Amor e Ódio. In: Ilha: Revista de Antropologia. Vol. 5. No. 2. Florianópolis: PPGAS/UFSC. pp. 93-113. Disponível em:http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/15360/15351 Acesso em 07/01/13.
LAGROU, Elsje. A Fluidez da Forma: Arte, Alteridade e Agência em uma Sociedade Amazônica(Kaxinawa, Acre). Rio de Janeiro: TopBooks, 2007.
L'ESTOILE, Benoît. Le Gôut des Autres: De L'exposition Coloniale Aux Arts Premiers. Paris: Flammarion, 2007.
_________ A experiência do museu é a de se deslocar [depoimento]. PROA: Revista de Antropologia e Arte, v. 1, n. 3, 2011/2012. Entrevista concedida a Eduardo Dimitrov, Ilana Goldstein e Mariana Françoso. Disponível em: http://www.revistaproa.com.br/03/?page_id=775. Acesso em: 16/04/2013.
LÉVI-STRAUSS, Claude. O Desdobramento da Representação nas Artes da Ásia e da América. In:Antropologia Estrutural. São Paulo: Cosac Naify, 2008b. pp. 261-291.
MORPHY, Howard. Becoming Art: Exploring Cross Cultural Categories. Sydney: University of South Australia Press, 2008.
MORPHY, Howard. The Anthropology of Art. In: INGOLD, Tim (ed.). Companion Encyclopedia of Anthropology. London: Routledge, 1994. pp. 648-685.
PERRY, Gil at al. Primitivismo, cubismo abstração: começo do século XX. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
PRICE, Sally. Arte Primitiva em Centros Civilizados. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2000.
WONG, W. W. Y. Autores enquadrados: fotografia e arte conceitual da vila de Dafen. PROA: Revista de Antropologia e Arte, v. 1, n. 3, 2011/2012. Disponível em: http://www.revistaproa.com.br/03/?page_id=109. Acesso em: 16/04/2013.
Nome completo *
Your answer
Documento
RG ou CPF
Your answer
Email
Your answer
Nível
Programa de Pós-graduação
Your answer
Instituição
Your answer
Submit
Never submit passwords through Google Forms.
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service - Privacy Policy