Comunidades Agroecológicas do Bem Viver - Terra Indígena Morro dos Cavalos, Palhoça/SC


O que é esse formulário?

Esse formulário breve é para juntar as pessoas que querem fazer parte das Comunidades Agroecológicas do Bem Viver de SC, junto da família agricultora do Centro de Formação Tataendy Rupa, na Terra Indígena (TI) Morro dos Cavalos, visando contribuir com o processo de transição agroecológica nos campos, nas florestas e nas cidades, por meio de novas relações de produção e consumo de alimentos da terra e de envolvimento entre as pessoas, rumo à Sociedade do Bem Viver: Livre de todo o tipo de exploração, Livre de todo o tipo de Opressão e Livre da Destruição do Planeta!

Ao invés do simples consumo, as pessoas serão participantes ativas nessa comunidade, buscando suas cestas semanalmente, participando de encontros mensais com a família agricultora e contribuindo financeiramente para garantir a produção dos alimentos que sempre sonhou em acessar, mas que a indústria alimentícia, voltada para o lucro, inviabiliza o acesso.

Trata-se de uma conexão de 3 eixos: Florestas, Campos e Cidades, ligados por um Projeto de transformação para a humanidade e a Natureza. Com parte do investimento nessa comunidade impulsionaremos projetos para levar alimentos agroecológicos para territórios de periferia e outras iniciativas para construir outra sociedade. :)

🌱 Quem somos? Somos um coletivo de pessoas da cidade, do campo e das florestas que se uniram para promover a alimentação saudável, condições de vida digna na floresta e no campo, projetos de regeneração e preservação ambiental, convívio em comunidade e promoção de felicidade.

🌱 Qual o benefício para você? Você terá acesso a alimentos tradicionais da cultura guarani e agroecológicos (que você terá oportunidade de planejar coletivamente), terá a oportunidade de participar de mutirões na Terra Indígena Morro dos Cavalos e de coletar semanalmente os alimentos em um ponto de encontro coletivo onde serão trocadas experiências, receitas e realizadas atividades interessantes para a transformação do mundo. Por se tratar desse tipo de relação coletiva (ganha-ganha e voltada para a transformação do mundo) é que não nos tratamos como "consumidores", mas coagricultores.

🌱 O que é? trata-se de uma grande aliança entre os povos das florestas, campos e das cidades, junto com a Família Agricultora do Centro de Formação Tataendy Rupa que se localiza no TI Morro dos Cavalos, na cidade de Palhoça, Santa Catarina. Lugar sagrado e tradicional espaço de morada e passagem dos ancestrais do Povo Guarani em uma região que une montanha, mar e rio, compondo uma natureza que tem a força da criação da vida, em suas diversas manifestações. Local muito apropriado para resgatar a conexão com a terra e o significado do alimento sagrado, que nutre o corpo e a alma. O Centro de Formação Tataendy Rupa, localizado neste Território, é um símbolo de luta e resistência. Construção que nasceu a partir da retomada, em 2014, por Adão Antunes (Karai Tataendy), que se colocou na missão de retomar este espaço (que até então, tinha sido alvo de grandes disputas e conflitos), para proteger o território e seu povo, caminhando na direção da realização de um grande sonho: Garantia do Fortalecimento da Cultura Guarani por meio da Educação Escolar Indígena, direito originário, garantido na Constituição Federal. Assim, envolvido na luta pelo currículo escolar próprio, inspirou sua filha, Eunice Antunes (Kerexu), que somou na luta e que, atualmente, mora neste espaço com sua família, visando dar continuidade ao sonho do seu pai, , por meio da realização de diversas atividades de Formação no local. Kerexu, professora e gestora ambiental, é a liderança do Território Morro dos Cavalos, além de compor articulações nacionais e internacionais dos povos originários, se dedica sua vida à luta por sua comunidade, seu povo, na defesa da cultura Guarani, das Mulheres e dos biomas. Assim, este projeto nasce com a força e a proteção dos povos originários e dos seres encantados *** Com ele, garantimos renda para a família indígena agricultora e sua comunidade, enquanto oportunizamos a reconexão com a terra e a luta dos povos originários e tradicionais aos coagricultores, potencializadores e parceiros da cidade, beneficiando também as pessoas que vivem no território coletivo.

🌱 Onde será o Ponto de Encontro e Convivência semanal? Em breve teremos muitas comunidades agroecológicas do Bem Viver em funcionamento ao ponto que poderemos ter um espaço próprio. Por enquanto, estaremos entregando as cestas aos sábados pela manhã (das 10h às 13h), na Travessa Raticlif, nº 56, no Centro de Florianópolis. Neste local, realizamos nossos encontros semanais com a entrega das troca das cestas, compartilhamento de experiências, rodas de conversas e exposição de feira.

🌱 É necessário participar dos mutirões/encontros mensais e buscar os alimentos toda semana? Sempre recomendamos que as pessoas participem dessas atividades pois elas trazem muita felicidade e boas experiências. Mas, evidentemente, quem não puder, não tem problema. A gente consegue pensar um método coletivo de alguém que more perto retirar sua cesta semanalmente ou então alguma outra forma de coleta que fique barato pra todo mundo. Esse valor não é pago junto com a contribuição mensal, mas a cada vez que seja necessária uma entrega em casa (de acordo com a localidade).

🌱 Qual o valor mensal da minha cota de participação? A cota mensal que cada coagricultora e coagricultor contribui referente à preservação e regeneração da área em um plantio tradicional guarani que produzam cestas com 10 itens semanais é de R$ 200,00 por mês. Tem gente que não tem recursos para contribuir financeiramente e aí só não recebe as cestas, mas são muito bem vindas à participar de todas as atividades com a gente! Para quem não consegue buscar a cesta e não tem quem busque pela pessoa, teremos esse método de entregas que provavelmente trará custos adicionais (a depender da comunidade e do local de moradia de cada pessoa).

🌱Se eu não quiser a cesta, posso contribuir com o projeto com qualquer valor? Sim!! Você não só pode contribuir financeiramente com qualquer valor, de forma fixa ou esporádica, como também pode contribuir mobilizando outras pessoas a fazerem o mesmo! Todo o recurso arrecadado é investido nas Comunidades Agroecológicas, nas quais, são realizadas prestação de contas mensais.

🌱 Esse valor é pago pela cesta? Nós tratamos que esse valor é a parceria para reflorestamento e preservação da área e criação de uma comunidade integrada entre cidade, campo e floresta. As cestas semanais são consequência do nosso planejamento coletivo, de nosso esforço e de nossa relação com a Natureza. Em alguns momentos pode haver escassez, de acordo com o clima, mas que vamos trabalhar juntos para amenizar!! A ideia é trabalhar cada vez mais com a lógica da abundância, que virá cada dia mais. :)

🌱 Qual o método de pagamento? Por enquanto, os únicos métodos que temos são transferência bancária ou pagamento em mãos. Você pode pagar em qualquer dia antecipadamente ou até no máximo 5º dia útil de cada mês.

🌱 Como funciona no primeiro mês o pagamento? Essa questão é muito importante. A sua primeira contribuição é para investimento na comunidade, devido a necessidade de investimento no plantio, para garantia da quantidade e diversidade necessária de alimentos agroecológicos, entregues semanalmente. Então, no primeiro mês não tem cestas, mas tem um mutirão/encontro no Centro de Formação Tataendy Rupa, para que as pessoas se sintam integradas e possam planejar coletivamente o que querem plantar para se alimentar!

🌱 O que acontece se eu quiser sair da comunidade depois? A ideia é a gente criar um projeto de reflorestamento de longo prazo, mas pode acontecer de alguém querer sair por algum motivo. Nesse caso, a pessoa ainda poderá participar dos mutirões e ir em nossos encontros. Além disso, para que isso não desestabilize a comunidade, é necessário avisar com um mês de antecedência de que a contribuição financeira do mês seguinte será a última, pois assim buscamos uma pessoa para o lugar. O aviso precisa ser feito pessoalmente, mas é imprescindível o preenchimento deste formulário: https://docs.google.com/forms/d/1yC9avNAekc6auEa2M8u4UL-ANqMx74V2RjnQdNdwSDU/prefill

🌱 Quando começamos a comer comida sem veneno e fazer parte de um projeto maravilhoso? O melhor é começar HOJE JÁ! Mas a ideia é que a gente comece quando tenhamos a quantidade mínima de pessoas contribuindo em cada comunidade. Funciona assim: você faz sua primeira contribuição e, assim que a comunidade completa (estimamos um prazo de uma semana a um mês), a gente considera o mês que completou a comunidade como o mês de início. Aí é agendado o mutirão/encontro ainda naquele mês e, a partir do mês seguinte, iniciam os pagamentos mensais e a coleta das cestas nos pontos de Convivência. Então você pode efetuar seu pagamento já e, assim, já se participante da 2ª Comunidade Agroecológica do Bem Viver que na Terra Indígena Morro dos Cavalos! (Provavelmente até o próximo mês). Quando completar, a gente agenda o mutirão/encontro coletivo e, um mês depois, a primeira coleta das cestas no Ponto de convivência e Entrega das Cestas.

🌱 O que vem nessas cestas? Cabe a nós, coletivamente, construirmos! O método de plantio deverá respeitar a tradição e a cultura guarani, além dos sistemas agroflorestais que garantem o máximo de biodiversidade possível, portanto, podemos pensar em vários tipos de alimentos (normalmente verduras, legumes, frutas, temperos). Podemos, nos nossos encontros, já levar mudas e sementes do que a comunidade sonha em se alimentar para que façamos depois a colheita. Tentaremos também trazer, sempre que possível, alimentos já beneficiados, para garantir uma maior diversidade. As primeiras cestas, pelo prazo de crescimento dos alimentos, terão mais hortaliças (que é o que cresce mais rápido), mas cada vez mais teremos mais abundância e diversidade dos alimentos.

🌱 E se vierem coisas que eu não gosto de comer? No Ponto de Encontro e Entrega de Cestas que acontece semanalmente, teremos uma "Mesa da Abundância", na qual, as pessoas poderão deixar o que não gostam de comer e trocar por coisas que outras pessoas deixaram lá também. O que sobrar levaremos como doação para a cozinha comunitária do Território Coletivo.

🌱 Eu posso convidar mais pessoas? Com certeza! Queremos fazer uma grande transição agroecológica nos campos, nas florestas e nas cidades, para superar o modelo destruidor do agronegócio que envenena pessoas, animais, a natureza em todo o planeta. Para isso, precisamos avançar nesse sonho de criar muitas e muitas comunidades agroecológicas do Bem Viver em todos os lugares! Convide quem puder para construir com a gente essa nova sociedade!


Vamos nos unir nessa aliança entre povos das Florestas, dos Campos e das Cidades para transformar esse mundo num lugar livre da exploração, de todas as opressões e livre da destruição do planeta! Essa, para nós, é a Sociedade do Bem Viver.
Seu nome completo *
Your answer
Seu melhor telefone (de preferência Whatsapp) *
Your answer
Seu e-mail *
Your answer
Como você ficou sabendo sobre a Comunidade Agroecológica? *
Your answer
Você mora no Estado de Santa Catarina? *
Em qual cidade você mora? *
Your answer
Em qual bairro você mora? *
Your answer
Com qual tipo de contribuição você deseja participar? *
Aceita entrar no grupo de Whatsapp da Comunidade do Bem Viver? *
Você conseguiria comparecer nos sabados de manhã para buscar sua cesta no Ponto de Encontro e Entrega das Cestas, na Travessa Raticlif, 56, Centro (Instituto Arco Íris)? *
Agradecemos pelo seu interesse em fazer parte das comunidades Agroecológicas do Bem Viver, que conecta a família agricultora indígena com coagricultores da cidade! Em breve faremos contato. Se ficaram dúvidas podem entrar em contato também pelo celular 48 99948-8778. Fiquem à vontade caso queiram deixar uma menagem! até breve!
Your answer
Submit
Never submit passwords through Google Forms.
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service - Privacy Policy