FICHA DE INSCRIÇÃO
Curso de Extensão em Jornalismo Colaborativo & Educomunicação no contexto da Diversidade
Proposta elaborada em parceria com o Grupo de Pesquisa em Cultura Visual, Educação e Linguagem (Cult-vi) como parte integrante da pesquisa em andamento Jornalismo “Educolaborativo” e (In)Formação Crítica: Uma experiência na/para a Diversidade, aprovada no Programa de Pós-Graduação em Educação e Diversidade (PPED), da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), como requisito para obtenção do título de mestra, tendo orientação do professor doutor Antenor Rita Gomes.

Resumo da Pesquisa:

Diante da complexidade dos ambientes educativos/comunicacionais, sejam eles formais, não formais ou informais, compreender, reconhecer e promover o potencial formativo dos conteúdos noticiosos torna-se um desafio. Consideradas além da técnica, as informações divulgadas pelos media podem ser propulsoras da reflexão, criticidade e prática da cidadania, sendo uma fonte mediadora de conflitos e interesses, zona de sociabilidade e integração.

Nessa ótica, esta pesquisa apresenta a Educomunicação e o Jornalismo Colaborativo como temáticas inspiradoras para investigar a (in)Formação Crítica na e para a Diversidade, por meio do aprofundamento do debate acerca da relação entre Educação e Comunicação, com base na concepção social e humanística. Dessa maneira, o presente estudo tem como método predominante a pesquisa-ação colaborativa, sendo de natureza qualitativa e abordagem interpretativa.

Por meio da aplicação de questionário, realização de entrevistas, oficinas formativas, grupo focal e observação participante, serão elaboradas, a partir de encontros semanais, nos dois primeiros meses, e quinzenais, no último mês, de setembro a novembro de 2017, nas manhãs das terças-feiras, conteúdos noticiosos de gêneros distintos, como reportagens, perfis, artigos e charges, que dialoguem com a pluralidade dos sujeitos colaboradores do processo investigativo, a partir de pautas sugeridas e desenvolvidas com e por eles próprios. Ainda será alimentado o Portal da EduColaborAção -, site criado na Plataforma Wix exclusivamente para esta pesquisa, como fonte de construção de dados, interação e consulta, a fim de inspirar outros profissionais e educandos em práticas “educolaborativas”.

Ementa do Curso:

Público: preferencialmente, educadores e comunicadores de espaços distintos (formais, não formais e/ou informais), militantes de causas sociais e/ou lideranças comunitárias

Carga horária total: 90h, organizadas em três (3) módulos, sendo o 1º teórico e os demais práticos
Período: três (3) meses, de setembro a novembro de 2017, nas manhãs das terças-feiras, com encontros semanais (1º e 2º mês) e quinzenais (3º mês), ao lado de demandas programadas

Objetivos
Refletir sobre Comunicação (Imprensa/Jornalismo/Mídias/TICs), Educação (Formação Crítica) e Cultura (Identidades/Diversidade), ao lado de interface desses saberes;
Analisar as contribuições do Jornalismo Colaborativo e da Educomunicação para a (In)Formação Crítica na e para a Diversidade;
Produzir conteúdos noticiosos de gêneros distintos para compartilhamento com o grande público, a partir do embasamento teórico e da socialização de experiências;
Estabelecer os pilares do neologismo “Educolaborativo, para compor documento norteador de práticas;
Interpretar o fenômeno experimentado para a indicação de novos pensamentos e atitudes por parte da comunidade envolvida.

Justificativa
Na contemporaneidade, os princípios e as práticas do Jornalismo Colaborativo e da Educomunicação ainda se encontram em fase de maturação. No entanto, para o contexto dos ambientes educacionais/comunicacionais, marcados pela complexidade, esses dois campos de conhecimento podem lançar novos olhares sobre a postura e a atuação de educadores, educandos e comunicadores, em prol da (in)formação crítica na e para a diversidade. Na conjuntura em questão, acredita-se que o perfil de jornalistas e professores se aproxima muito mais do educomunicador, devendo ultrapassar a produção e difusão de conhecimentos/informações em seu caráter instrumental/tecnicista para promover reflexões em prol da transformação social. É inspirada por essa problematização que se delineia esta proposta formativa.

Metodologia
Encontros semanais (1º e 2º mês) e quinzenais (3º mês), nas manhãs das terças-feiras, de quatro (4) horas-aula - das 8h às 11h30 -, por três meses, totalizando 90 horas-aula, sendo 40h em classe, ao lado das atividades programadas - de leitura (home office) e de campo, com orientação a distância e presencialmente, na medida do possível (= 50h). Estas últimas, sobretudo, durante o período de elaboração dos conteúdos, que se iniciarão em classe, mas precisarão de amadurecimento nos demais dias da semana, de acordo com a disponibilidade de cada colaborador.

A ideia é que o processo seja autoformativo, consistindo numa apresentação inicial desta pesquisadora com base em slides e dinâmicas, cine-debate, socialização de experiências (rodas de discussão, estudos de caso e descrição de cases de sucesso), com participação direta dos colaboradores, que, ao longo dos encontros, sobretudo durante a elaboração dos textos jornalísticos (verbais ou não verbais), devem ser divididos por eixos/subgrupos para conduzir melhor as discussões, escolhendo temas e gêneros de acordo com seus interesses. As atividades a serem desenvolvidas após a discussão de cada unidade temática em estilo home office serão encaminhadas, preferencialmente, por e-mail e/ou através do “Fórum da Diversidade”, um dos menus do Portal, espaço para compartilhamento de saberes que, direta ou indiretamente, estejam relacionados aos assuntos das oficinas.

Inscrição: 1 pacote de fralda geriátrica para doação ao Abrigo dos Idosos - entrega no 1º dia de aula (19/9), apenas para @s candidat@s selecionad@s

Gostaria de participar da referida pesquisa, através de curso de extensão, estando disposto(a), caso escolhido(a), a interagir com a proponente e o(a)s demais colaborador@s através dos mais diferentes canais de comunicação (presenciais e virtuais), ajustando os melhores dias e horários para contribuir com as atividades práticas, desde o preenchimento do questionário que se segue - vinculado a esta ficha de inscrição -, seguido de oficinas formativas, entrevistas e grupo focal, contribuindo com a análise das contribuições do Jornalismo Colaborativo e da Educomunicação para a (In)Formação Crítica na e para a Diversidade; investigação e promoção do potencial formativo dos conteúdos noticiosos, bem como reflexão sobre as experiências formativas realizadas, a fim de estabelecer princípios norteadores para o desenvolvimento de práticas “educolaborativas”.
Next
Never submit passwords through Google Forms.
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service - Additional Terms