Curso: Mulheres no Cinema
Saiba mais e inscreva-se na 2ª edição do curso presencial realizado em São Paulo (SP)
Período: 10 de setembro a 31 de outubro de 2019
Professoras: Joyce Pais e Luísa Pécora
1. Sinopse do curso
Panorama introdutório do cinema realizado por mulheres no Brasil e no mundo. Revisitando a presença e trajetória de algumas realizadoras, o curso destacará obras produzidas em períodos que vão desde o cinema silencioso, vanguardas europeias, Cinema Novo, até a contemporaneidade. Serão discutidas, também, como as narrativas abordadas nestes trabalhos estão atreladas a questões históricas, sociais, comportamentais e políticas.
2. Objetivos
+ Instigar os alunos a conhecer uma filmografia que se distancia dos cânones que costumam ser explorados

+ Ampliar o repertório dos alunos sobre as mulheres que marcaram a história do cinema e estimulá-los a conhecer e assistir a mais obras dirigidas por mulheres

+ Apresentar diferentes pontos de vista, abordagens e linguagens por meio das obras escolhidas para análise

+ Debater produções fílmicas extrapolando o universo cinematográfico e dialogando com problemáticas do mundo que nos cerca

3. Diferenciais e público-alvo
+ Relevância e atualidade do tema

+ Curso com recorte raramente visto no mercado

+ Professoras multidisciplinares, com vivência aprofundada no tema abordado

+ Voltado para todos os interessados em cinema, sem necessidade de atuação na área

4. Datas, local e carga horária
Início do curso: 10 de setembro de 2019
Término do curso: 31 de outubro de 2019

Dias e horário: terças e quintas-feiras, das 19h às 22h
Duração: 16 encontros
Carga horária: 48 horas

Local das aulas: Escrevedeira
R. Isabel de Castela, 141
Vila Madalena, São Paulo - SP
https://www.escrevedeira.com.br

5. Biografia das professoras
JOYCE PAIS é jornalista, pós-graduada em Gestão da Comunicação em Mídias Digitais. Atuou no jornal O Estado de S. Paulo e no Museu da Pessoa. Criadora e editora-chefe do portal Cinemascope (www.cinemascope.com.br), professora da Academia Internacional de Cinema - SP, membro do Coletivo Elviras - Mulheres Críticas de Cinema, já ministrou aulas na Casa Guilherme de Almeida e Casas das Rosas. A convite do Canal Brasil integrou júris em festivais pelo país como o CineramaBC, Mix Brasil, É Tudo Verdade e Kinoforum. Diretora e roteirista do documentário em produção "Iracunda", que discute o cinema brasileiro sob o olhar de mulheres que fazem parte dele.

LUÍSA PÉCORA é jornalista e criadora do Mulher no Cinema (www.mulhernocinema.com), site dedicado a filmes realizados ou estrelados por mulheres. Participou de press junkets e festivais de cinema em Brasil, Estados Unidos, Inglaterra e México. Foi editora do catálogo da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo (2015) e responsável pela cobertura nas redes sociais do Festival Internacional de Mulheres no Cinema (2018), além de também ministrar cursos e palestras e atuar como curadora e jurada de mostras e festivais. Trabalhou no portal iG e na revista Cult e colaborou para publicações como Gol, Playboy, Filme B, Modefica e FilmMaker. Integra o Elviras – Coletivo de Mulheres Críticas de Cinema.

6. Ementa do curso
MÓDULO 1: CINEASTAS PIONEIRAS

AULA 1
| Introdução ao curso
Apresentação das professoras e do programa do curso. Discussão sobre a participação da mulher em diferentes cinematografias a partir de dados e estatísticas. Apontamentos acerca de organizações, coletivos e outras iniciativas que pensam a mulher, representatividade e paridade de gênero dentro do audiovisual.

AULA 2
| Primórdios do cinema
As mulheres ajudaram a criar Hollywood, mas são frequentemente deixadas de fora em cursos e livros sobre cinema. A partir da trajetória de Alice Guy-Blaché, a primeira cineasta de todos os tempos, busca-se responder: por que o período entre 1908 e 1916 foi o momento mais promissor para as mulheres na história do cinema americano?
Cineasta em foco: Alice Guy-Blaché (1873-1968)

AULA 3
| Cinema mudo
Na era do cinema silencioso, diretoras como Lois Weber estavam entre as mais importantes de Hollywood. Uma reflexão sobre este período de forte contribuição feminina por trás das câmeras, e sobre como a transformação do cinema em indústria foi fator determinante para a exclusão das mulheres.
Cineasta em foco: Lois Weber (1879-1939)

AULA 4
| Cinema sonoro
Após a introdução do som, nos anos 1930 só uma mulher trabalha como diretora nos estúdios americanos: Dorothy Arzner. Décadas depois, frustrações causadas pelo studio system levam a atriz Ida Lupino a deixar sua marca como diretora, em especial no film noir.
Cineastas em foco: Dorothy Arzner (1897-1979) e Ida Lupino (1918-1995)

AULA 5
| Cinema experimental
Um olhar sobre o trabalho de cineastas que, em diferentes contextos, extrapolaram convenções para buscar novas linguagens, sensações e significados.
Cineastas em foco: Germaine Dulac (1882-1942) e Maya Deren (1917-1961)

AULA 6
| Animação
Panorama do trabalho das diretoras que marcaram as primeiras décadas do cinema europeu. A obra da alemã Lotte Reiniger, pioneira da animação com silhuetas.
Cineasta em foco: Lotte Reiniger (1899-1981)


*


MÓDULO 2 : VANGUARDA E RESISTÊNCIA

AULA 1
|Nouvelle Vague
A nouvelle vague pelas lentes da única mulher que atuou no movimento por trás das câmeras. A versatilidade de uma cineasta que transitou pela linguagem ficcional, documental e experimental.
Cineasta em foco: Agnès Varda (1928 - 2019)

AULA 2
|Cinema Avant-garde
A partir do contexto da segunda onda feminista, em pleno curso sobretudo na Europa e EUA, serão explorados os trabalhos de duas realizadoras essenciais para a construção de um cinema avant-garde, alinhado, também, a questões LGBT.
Cineastas em foco: Chantal Akerman (1950 - 2015), Barbara Hammer (1939 - 2019)

AULA 3
|Era dos blockbusters
A aposta de Hollywood nos blockbusters representou uma nova forma de exclusão às diretoras e a chegada de uma mulher à chefia dos estúdios não alterou o status quo. Com uma obra que desafia estereótipos e abraça gêneros tidos como masculinos, Kathryn Bigelow tornou-se a primeira e única mulher a ganhar o Oscar de direção.
Cineasta em foco: Kathryn Bigelow (1951 - )

AULA 4
|Identidade, visibilidade e (re)existência
Streaming, TV e webséries preenchem vazios deixados pelo cinema quanto à diversidade. Questões de identidade e o recorte de raça ganham força no Brasil e no mundo. Movimentos como Time's Up e #MeToo colocam o assédio em pauta, ao passo que a indústria absorve, pontualmente, a demanda por obras como Mulher-Maravilha e Capitã Marvel.
Foco: Ava DuVernay (1972 - )

AULA 5
|Sessão + debate
Exibição de um filme (a definir), seguida de debate sobre a obra e as diferentes questões abordadas no curso até aqui.


*


MÓDULO 3: CINEMA CONTEMPORÂNEO

AULA 1
|Cinema brasileiro moderno
Helena Solberg foi a única diretora do Cinema Novo, movimento comumente associado a nomes como Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, Leon Hirszman, etc. Com A Entrevista (1966), ela inaugurou uma filmografia que percorreu abordagens em torno da mulher. Será traçado, também, um panorama da carreira de Helena Ignez, que transitou do papel de “musa” a autora, assinando hoje roteiro, produção e direção dos seus filmes.
Cineastas em foco: Helena Solberg (1938 - ), Helena Ignez (1942 - )

AULA 2
|Cinema de resistência
Sob a censura e o olhar patriarcal da Ditadura Militar (1964-1985), as cineastas Ana Carolina e Tereza Trautman pautaram seus trabalhos na condição feminina, subvertendo valores, experimentando construções estéticas incômodas, alegorias como estratégia, e liberando corpos e desejos.
Cineastas em foco: Ana Carolina (1949 - ), Tereza Trautman (1951 - )

AULA 3
|Novo cinema brasileiro (ficção)
Com a retomada do cinema brasileiro nos anos 90, emergiram nomes como Anna Muylaert, Tata Amaral, Laís Bodanzky e Carla Camurati. A regionalidade passou a ser mais uma variável, tendo Pernambuco como foco, nos trabalhos de Adelina Pontual e Renata Pinheiro.

AULA 4
|Novo cinema brasileiro (documentário)
Na produção documental, o viés biográfico e a revisita da memória encontraram na atuação de Sandra Kogut, Malu de Martino e Petra Costa uma fluidez na perspectiva do olhar.

AULA 5
|Cineastas pelo mundo
Apresentação do trabalho de diretoras fundamentais fora do Brasil e do eixo EUA-Europa, como Lucrecia Martel, Nadine Labaki, Naomi Kawase, Safi Faye, entre outras.

7. Investimento
+ À vista: R$ 900 (via depósito bancário)

+ A prazo: R$ 990 + taxas da plataforma Sympla em até 12 x (via cartão de crédito)

8. Termos e condições
+ O aluno que optar pelo pagamento à vista deve preencher este formulário e enviar por e-mail, em até três dias úteis, o comprovante de pagamento do valor total do curso (R$ 900) via depósito bancário (dados na última página deste formulário). Confirmado o pagamento, a inscrição está garantida.

+ O aluno que optar pelo pagamento no cartão de crédito deve preencher este formulário e realizar o pagamento pela plataforma Sympla (link na última página deste formulário). O aluno deverá arcar com as taxas cobradas pela plataforma Sympla. Não é preciso enviar comprovante de pagamento por e-mail.

+ A organização do curso entrará em contato com os alunos, por email, para confirmar o recebimento do pagamento. Se compromete, também, a responder todas as dúvidas enviadas para contato@mulhernocinema.com

+ Em caso de desistência do aluno, não haverá devolução dos valores pagos.

+ Ao final do curso, alunos que tiverem frequentado pelo menos 75% das aulas receberão um certificado de conclusão.

Concorda com os termos e condições? *
9. Contato
Se tiver qualquer dúvida sobre o curso, escreva para contato@mulhernocinema.com
10. Inscreva-se
Passe para a próxima página para fazer sua inscrição!
Next
Never submit passwords through Google Forms.
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service