SELEÇÃO DE BOLSISTA - PIBIC JR
Projeto: "Violações dos direitos humanos de povos indígenas do Paraná durante a Ditadura Civil-militar
Sign in to Google to save your progress. Learn more
Email *
Nome *
Ano e curso *
Leia o texto do historiador Rubens Valente:
Segundo o regime militar, ao conhecer o modo de vida “civilizado” naturalmente os índios deixariam suas terras, abrindo espaço para o agronegócio. Porém, graças à inesperada e às vezes violenta tenacidade deles, nada disso aconteceu. Pelo contrário, eles passaram a reivindicar a posse de outros territórios não reconhecidos pela União. O trabalho de ONGs, missionários e antropólogos pode explicar parte da mobilização indígena, mas ela simplesmente inexistiria se os principais interessados decidissem abrir mão de suas terras e tradições, rumando para as cidades. Para muitos brasileiros, prossegue sendo um choque ver que homens, mulheres e crianças podem ser felizes em uma sociedade completamente diferente daquela em que os “civilizados” vivem, com seus prazeres, seus luxos e seu conforto. Porém, cada um à sua maneira, com maior ou menor ênfase, milhares de índios disseram não a outro modo de vida. Como diz “Cara de índio”, uma música gravada por Djavan em 1978, podem vestir uma roupa, mas continuam sendo índios em sua língua, na sua terra e com suas tradições. Disseram vivamente que preferem viver entre os seus, a despeito do preconceito, da marginalização e da incompreensão geral. Para eles, essa resistência silenciosa, porém expressiva e vibrante, representou por fim um tipo de vitória, entre tantas derrotas. Nesse sentido, os seus, a despeito do preconceito, da marginalização e da incompreensão geral. Para eles, essa resistência silenciosa, porém expressiva e vibrante, representou por fim um tipo de vitória, entre tantas derrotas. Nesse sentido, as centenas de índios que pereceram pela incúria, falta de profissionalismo e truculência da ditadura acabaram por impor ao extinto governo militar uma derrota para além daquele tempo, que se expressa a cada dia e a cada hora em que um curumim nasce no interior de uma maloca de alguma aldeia encravada nos confins do Brasil.
Assista ao documentário produzida pela Agência Pública:
Escreva um texto com o seguinte tema: “REPRESSÃO  DO ESTADO E RESISTÊNCIA INDÍGENA NO BRASIL”. Não há mínimo ou máximo de linhas. Sugerimos que faça um rascunho e depois transcreva ou cole o texto digitado. *
Submit
Clear form
Never submit passwords through Google Forms.
This form was created inside of IFPR. Report Abuse