FOUCAULT – NEOLIBERALISMO E SUBJETIVIDADE
IMPORTANTE:
As inscrições serão realizadas diretamente no sistema dos cursos de extensão da UFABC, pelo link:
ufabc.net.br/sigextensao

FOUCAULT – NEOLIBERALISMO E SUBJETIVIDADE
Curso de extensão – 2019
Professor: Pedro Ivan Moreira de Sampaio
Coordenador: Prof. Dr. Carlos Eduardo Ribeiro (UFABC/Filosofia)
Duração de cada encontro: 03 horas e 30 minutos.
Local: UFABC - Campus São Bernardo do Campo
Alameda da Universidade, s/nº - Bairro Anchieta - São Bernardo do Campo
CEP: 09606-045

I – Objetivos
A partir do curso de 1977-1978 no Collège de France intitulado Sécurité, territoire, population, até o fim do curso do ano seguinte denominado Naissance de la biopolitique, Michel Foucault constrói uma genealogia das práticas de governo europeias, iniciando pelo governo da pastoral cristã na idade media até os neoliberalismos de seu próprio tempo. O intuito deste curso de extensão é estudar de forma detida o referido curso Naissance de la biopolitique (1978-1979), dando ênfase à caracterização de duas racionalidades políticas descritas por Foucault, o liberalismo (séculos XVIII e XIX) e o neoliberalismo (século XX).
O propósito será expor as aulas do curso de Foucault ministrado no Collège de France, reconstruindo os argumentos desta obra na primeira metade de cada encontro. Para além disso, cada sessão terá em sua segunda metade debates com estudiosos convidados para aprofundar questões levantadas por Foucault ou tratar de temas correlatos que podem ser pensados a partir da genealogia de governo construída pelo filósofo.
Terminada a exposição destas duas racionalidades políticas, pretende-se concluir este curso indicando algumas reflexões contemporâneas sobre particularidades das práticas de governo do inicio do século XXI.

II – Conteúdo
1. Genealogia, governamentalidade e biopolítica
2. Liberalismo clássico e a Economia Política dos séculos XVIII e XIX
3. Colóquio Walter Lippmann e nascimento do neoliberalismo
4. Distinção entre liberalismo e neoliberalismo: laissez-feire e concorrência
5. O ordoliberalismo e a reconstrução do Estado Alemão no pós-guerra.
6. A seguridade social e suas instituições no século XX
7. A ordem espontânea e o marco normativo formal
8. A escola econômica de Chicago e a noção de capital humano
9. Crise institucional da governamentalidade neoliberal

III – Método utilizado
Aulas expositivas e debates com convidados

IV – Bibliografia
Obra de referência:
FOUCAULT, Michel. Naissance de La Biopolitique: Cours au Collège de France 1978-1979. Éditions Seuil/Gallimard. Paris. 2004.
Tradução de Eduardo Brandão: Nascimento da biopolítica. Martins Fontes. São Paulo/SP. 2008.

Referências complementares:
AUDIER, S. Le colloque Lippmann. Paris: BDL, 2012.
_____________. Néo-liberalisme: une archéologie intellectuelle. Bernard Grasset. Paris. 2012.
_____________. Penser le “néoliberalisme”: le moment néoliberal, Foucault et la crise du socialisme. Le bord de l’eau. Lormont. 2015.
DARDOT, Pierre et LAVAL, Christian. La nouvelle raison du monde : essai sur la société néolibérale. Éditions La Découverte/Poche. Paris. 2010.
Tradução de Mariana Echalar: A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Editora Boitempo. São Paulo/SP. 2016.
FONSECA, M. A. Michel Foucault e o Direito. São Paulo: Saraiva, 2011.
FOUCAULT, Michel. Sécurité, Territoire, Poputation: Cours au Collège de France 1977-1978. Éditions Seuil/Gallimard. Paris. 2004.
Tradução de Eduardo Brandão: Segurança, território, população. Martins Fontes. São Paulo/SP. 2008.
_____________. Les mots et les chose : une archéologie des sciences humaines. Gallimard. Paris. 2011c.
Tradução de Salma Tannus Muchail: As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Martins Fontes. São Paulo/SP. 2007.
LAVAL, Christian. L’homme Économique: Essai sur les racines du néolibéralisme. Éditions Gallimard. Paris. 2007.
LEVITSKY, Steven & ZIBLATT, Daniel. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro. Zahar. 2018.
RUNCIMAN, David. Como a democracia chega ao fim. São Paulo. Editora Todavia. 2018.

CRONOGRAMA DE AULAS E ATIVIDADES

AULA I
25 DE MARÇO – 19H30MIN ÀS 23H
O liberalismo como racionalidade política.
Apresentação do método de análise utilizado por Foucault para fazer uma história das práticas de governo nos cursos: Segurança, território, população e Nascimento da biopolítica. Noção de racionalidade política. Exposição das características gerais do liberalismo a partir de meados do século XVIII. O papel desempenhado pelo mercado na razão liberal de governo.
Leituras:
Aulas de 10, 17 e 24 de janeiro de 1979 do curso Nascimento da biopolítica.

AULA II
29 DE ABRIL - 19H30MIN ÀS 23H
Liberalismo e neoliberalismo (19h30min – 21h30min)
Contextos distintos de emergência do liberalismo e do neoliberalismo. O laissez-faire e o princípio da concorrência. A escola marginalista de Economia. O Colóquio Walter Lippmann. A separação entre economia e sociedade. O mercado como mecanismo e modelo. As práticas de intervenção na sociedade. Neoliberalismo e seu caráter institucional.
Leituras:
Aula de 14 de fevereiro de 1979 do curso Nascimento da biopolítica.
Conferência (21h30min – 23h)
Racionalidade, causalidade, sujeito: considerações sobre uma “história dos sistemas de pensamento” com Alessando de Lima Francisco (PUC/SP - COGEAE).

MAIO – CONFERÊNCIA
a confirmar

AULA III
24 DE JUNHO - 19H30MIN ÀS 23H
O ordoliberalismo ou neoliberalismo alemão. (19h30min – 21h30min)
O contexto político e econômico alemão. A fobia do Estado. A reconstrução da soberania por meio da liberdade econômica. O crescimento econômico e a permissão para esquecer o passado. A crítica neoliberal ao nazismo. Generalização da crítica dirigida ao 3º Reich para todo “estatismo”. A forma empresa no governo da sociedade.
Leituras:
Aulas de 31 de janeiro de 07 de fevereiro de 1979 do curso Nascimento da biopolítica.
Conferência (21h30min – 23h)
Afinidades seletivas: Foucault e a teoria crítica com Anderson Aparecido Lima da Silva (USP - FFLCH)

AULA IV
22 DE JULHO - 19H30MIN ÀS 23H
O aparato institucional do neoliberalismo e a segurança social. (19h30min – 21h30min)
Uma ordem jurídico-econômica. O quadro normativo estável segundo Hayek. Estado de Direito e a crítica de Hayek à planificação. O combate à pobreza no neoliberalismo. A política social, a assistência social e os direitos do trabalhador. O imposto negativo e as práticas securitárias da sociedade. Os limites e a expansão das fronteiras do governo.
Leituras:
Aulas de 21 de fevereiro de 07 de março de 1979 do curso Nascimento da biopolítica.
Conferência (21h30min – 23h): a confirmar

AULA V
12 DE AGOSTO - 19H30MIN ÀS 23H
O neoliberalismo americano. (19h30min – 21h30min)
Particularidades do neoliberalismo americano. A Escola de Chicago. A leitura sobre o trabalho e o individualismo metodológico. A noção de “Capital Humano”. Da noção de sociedade empresa para a gestão do indivíduo como “empresariamento de si”.
Leituras:
Aulas de 14 e 21 de março de 1979 do curso Nascimento da biopolítica.
Conferência (21h30min – 23h): a confirmar

AULA VI
23 DE SETEMBRO - 19H30MIN ÀS 23H
A generalização do homo œconomicus. (19h30min – 21h30min)
A hipertrofia do objeto da Ciência Econômica de Gary Becker. Transformação epistêmica a partir do homo œconomicus no neoliberalismo. Comparação da noção de homo œconomicus no século XIX em David Ricardo e no século XX em Friedman e Becker. O modelo de regulação e autorregulação. A síntese do modelo econômico-institucional na democracia liberal estadunidense.
Leituras:
Aulas de 28 de março e 04 de abril de 1979 do curso Nascimento da biopolítica.
Conferência (21h30min – 23h): a confirmar

AULA VII
14 DE OUTUBRO - 19H30MIN ÀS 23H
Especulações sobre a racionalidade política de nosso tempo (19h30min – 21h30min)
Síntese do arranjo monetário internacional com o fim de Bretton Woods. O modelo da confiança no mercado financeiro. A crise de 2008. A retomada acadêmica e política da Escola Austríaca de Economia após a crise de 2008. Abalo das democracias liberais nos anos 10 do século XXI. Alguns traços de uma possível transformação da racionalidade política de nossos dias.
Leituras sugeridas:
LEVITSKY, Steven & ZIBLATT, Daniel. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro. Zahar. 2018.
RUNCIMAN, David. Como a democracia chega ao fim. São Paulo. Editora Todavia. 2018.


Email address *
Nome Completo *
Your answer
Instituição *
Your answer
Área e nível de formação *
Your answer
Telefone *
Your answer
Confirmação de disponibilidade *
Motivos de interesse neste curso (opcional)
Your answer
A copy of your responses will be emailed to the address you provided.
Submit
Never submit passwords through Google Forms.
reCAPTCHA
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service