VII Ciclo de Masterclasses - Orfeão de Leiria Conservatório de Artes
Cursos intensivos de prática instrumental,orientados por professores nacionais ou estrangeiros de reconhecido prestígio no plano nacional e internacional.É uma atividade de crucial importância para o desenvolvimento das aprendizagens dos alunos, onde surge a possibilidade destes tomarem contacto com outros profissionais da música e experienciarem outras formas de aprendizagem, quer em contexto de grupo, quer em partilha de experiências.Os alunos que tenham interesse em frequentar os cursos profissionais de Música no OLCA poderão requerer uma aula com o professor que leciona nos referidos cursos.
Nome: *
Your answer
Morada: *
Your answer
NIF: *
Your answer
Idade: *
Your answer
Telemóvel ou Telefone de casa: *
Your answer
Email: *
Your answer
Instrumento *
Estudos Musicais: *
Your answer
Outras informações de participação: *
Alimentação (indique as refeições que pretende): *
Required
Restrição alimentar?
Your answer
Observações:
Your answer
MASTER CLASSES - Informações:
Professores:
Stephen Mason – Trompete
Stephen Mason diplomou-se no Royal College of Music, em Londres, que frequentou entre 1980 e 1984, tendo-lhe sido atribuídos o “First Year Brass Prize” (1981) e o “College Top Brass Prize” (1983). Gravou com a Orquestra da BBC e ocupou o lugar de primeiro trompete na Orquestra Sinfónica de Bournemouth.
Em Portugal, foi primeiro trompete na Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos, lugar que ocupou até à sua extinção em 1992. Foi também primeiro trompete na Orquestra Sinfónica Portuguesa, ocupando essa posição desde a sua fundação, em 1993, até 1997. Atualmente, é primeiro trompete solista na Orquestra Gulbenkian.
Em 1994 integrou a Filarmónica de Londres na interpretação da 2ª Sinfonia de Mahler, no âmbito do evento Lisboa 94.
Tem tocado com vários conjuntos de música de câmara, tendo sido transmitidas pela RDP as interpretações de História do Soldado de Stravinsky, Quiet City de Copland e Concerto Brandeburguês nº 2 de J. S. Bach. Ao longo dos últimos anos, tem-se dedicado ao trompete natural, interpretando vários concertos para trompete e cordas, incluindo o Concerto Brandeburguês nº 2. É membro fundador do quinteto de metais Hot Brass de Portugal, formação essa dedicada à divulgação da música clássica e ligeira, tendo atuado em vários festivais em Portugal.
Luís Sousa – Trompa

Iniciou os seus estudos no Conservatório Regional de Setúbal e posteriormente Escola de Música Nossa Senhora do Cabo com o professor Carlos Rosado, é Licenciado pelo Instituto Politécnico de Lisboa - Escola Superior de Música de Lisboa onde estudou com os professores Jonathan Luxton e Paulo Guerreiro.
Frequenta atualmente o Mestrado em Música no ramo de Performance na Universidade de Aveiro.
Participou em diversos seminários, cursos, simpósios e masterclass orientados por Froydis Ree Wreke, Stefan Dohr, Sarah Willis, Thomas Hauschild, Will Sanders, Jose Sogorb Jover, Abel Pereira, Bernardo Silva, Paulo Guerreiro, Will Sanders, Jonathan Luxton, Philip Myers, Radovan Vlatkovich, Ab Koster, Markus Maskunitty, Vicente Zarzo, Jonathan William, Michael Walker, Jan Harshagen, Andrew Budden.
Como trompista convidado colaborou com a Orquestra Sinfónica Portuguesa,
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, Orquestra da Fundação Calouste Gulbenkian, Orquesta Clásica Santa Cecilia (Espanha), Orquestra Filarmónica de Jalisco (México), Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra de Câmara Portuguesa, Orquestra Clássica da Madeira, Divino Sospiro, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra da Costa Atlântica, Orquestra Clássica do Sul, Orquestra Filarmónica Portuguesa, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Lisbon Film Orchestra, Melleo Harmonia, Classic Chamber Concert Orchestra (Califórnia), foi músico militar permanente dos quadros da Banda da Armada Portuguesa.
Trabalhou com ilustres maestros e solistas de renome nacional e internacional entre eles David Zinman, Giancarlo Guerrero, Krzysztof Penderecki, Laurence Foster, Michel Sanderling, Baldur Brönnimann, Vasily Petrenko, Nuno Coelho, Laurent Wagner, Plácido Domingo, Michael Boder, Simone Young, Miguel Hart-Bedoya, Philliphe Entremont, Jean-Sébastien Béreau, Pedro Neves, Pedro Carneiro, Julia Jones, Andrea Barizza, Dorian Wilson, Constantine Orbelian, Agnieszka Duczmal, Marco Parisotto, Sergio Alapont, Jesus Medina, Joana Carneiro, Martin André, Maxime Tortelier, Jayce Ogren, Case Scaglione, Elina Garanca, Letecia Altamirano, Elisabete Matos, entre outros.
Participou em programas e gravações para várias estações de rádio,
televisão portuguesa e estrangeira (Antena 2, RTP 2, RTP Madeira, C7 Jalisco), bandas sonoras para cinema e teatro musical.
Foi docente de trompa na Orquestra Geração e Academia de Música de Alcobaça, orienta regularmente diversos festivais de música, masterclass, estágios nacionais e internacionais de orquestra.
Apresentou-se a solo interpretando obras de referência para a trompa de Weber, Mozart, Schubert, Schumann, Brahms, Franz Strauss, Richard Strauss, Rossini, Messiaen, Alex Poelman, Carrapatoso.
Em 2019 foi semi-finalista do concurso mundial “27th World Music Competition - Brass Category” em Vienna.
Trabalhou entre 2009-2013 na Banda da Armada Portuguesa, 2013-2016 Solista B na Orquestra Clássica da Madeira e 2016-2018 Trompa Principal na Orquestra Filarmónica de Jalisco no México.
Jarrett Butler – Trombone
Nasceu em Mansfield (perto de Nottingham - Inglaterra) e começou a tocar trombone numa Brass Band neste local aos doze anos de idade.
É ex-Primeiro Trombone de famoso Grimethorpe Colliery Brass Band (o filme “Os Virtuosos”). Aos 18 anos prosseguiu estudos no Royal Northern College Of Music,Manchester. I Estudou com Peter Gane (Trombone Principal Orquestra Sinfónica de Londres e director de Guildhall School of Music, Londres), Andrew Berryman (Trombone Principal Hallé Orchestra, Manchester), Christopher Houlding (Opera National de Inglaterra) e muitos professors ocasionais, incluindo Ian Bousfield, Christian Lindberg, Jaques Mauger, Dudley Bright e Denis Wick. Posteriormente ganhou vários prémios, incluindo o Philip Jones Prize para instrumentistas de orquestra e conseguiu a mais alta qualificação, GMusRNCM(Honours).
Trabalhou em Inglaterra e Portugal com todas as Orquestras principais. Desde 1993 e Primeiro Trombonista na Orquestra Sinfònica Portuguesa (Solista A).
Foi Professor de Música de Câmara de Academia Nacional Superior de Orquestra e Professor convidado no Instituto Piaget e do Euphónio na Universidade de Évora. Atualmente e Professor de Trombone na Universidade de Aveiro. E membro fundador de Quinteto dos Metais Lisbon Brass. Tambem e um compositor/arranjador associado o Scherzo Editions. Trabalhou com muitos orquestras inglesas incluindo o Hallé Orchestra, City of Birmingham Symphony Orchestra, BBC National Orchestra of Wales, Opera North e o Scottish Opera
É regularmente convidado para dar Master Classes / Recitais e participou no 32º Oficina da Musica em Curitiba, Brasil 2013 e como Solista International convidado no Festival Brasileira dos Trombones em Natal Brasil 2015.
É Director Artisico de Banda Salesianos Bicesse e Manique desde Novembro 2015.
Vai atuar como Solista (Dream por Trombone e Cordas do Andrew Cadima) com a Orquestra Sinfónica Portuguesa em Janeiro 2020
João Pedro Silva – Saxofone
É na liberdade artística que João Pedro Silva encontra o seu lugar e no saxofone a sua voz. O gosto pela diversidade e pelo cruzamento de estéticas constituem o caminho aberto que o saxofonista tem construído há mais de 25 anos.
Artista internacional YAMAHA e D’ADARRIO WOODWINDS, João Pedro Silva apresenta-se regularmente a solo, destacando-se os concertos com a Orquestra de Câmara da GNR, Banda Sinfónica Portuguesa, Orquestra de Sopros da Metropolitana, Orquestra Sinfonietta de Lisboa, Banda da Armada Portuguesa, Percussões da Metropolitana, Ensemble de Saxofones del Liceu (Barcelona), Banda de Música SFH, Ensemble de Palhetas duplas, entre outras.
Como convidado tem integrado diversas formações, destacando-se Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Big Band do Hot Clube de Portugal, Orquestra Sinfonietta de Lisboa, Orquestra Solistas de Lisboa, tendo trabalhado com conceituados maestros como Eric Stearn, Alain Guingal, Wayne Marshall, entre outros.
É membro do Bros Quartet, Artemsax, Duo Pedro Santos e João Pedro Silva, L.U.M.E. - Lisbon Underground Music Ensemble, Duo João Pedro Silva e Pedro Vieira de Almeida, Tenor Saxophone Colletive e TERRA, com os quais se tem apresentado por todo o País e Estrangeiro e editou diversos trabalhos discográficos.
É Professor de Saxofone e Música de Câmara na Escola Profissional de Música da Metropolitana, e Conservatório Regional de Palmela.
É membro fundador e vice-presidente da APS Associação Portuguesa do Saxofone. Integrou a organização do EURSAX 17, Congresso Europeu de Saxofone.
É Diretor artístico do FISP Festival Internacional de Saxofone de Palmela e do Ensemble de Saxofones da Metropolitana.
Mestrado em Música – Performance (saxofone) e Mestrado em Ensino da Música (saxofone) pela Escola Superior de Música de Lisboa. Doutorando em música, performance, na Universidade de Évora.
Natural de Palmela, iniciou os seus estudos musicais na Sociedade Filarmónica Humanitária, em Palmela, com o Professor Silvério Camolas. Estudou na Escola Profissional de Música de Almada com Alberto Roque, na Escola de Jazz Luís Villas Boas (Hot Clube de Portugal) com Pedro Moreira e na Escola Superior de Música de Lisboa com José Massarrão. Em regime de Masterclasse também estudou com Daniel Deffayet, James Houlik, Jean-Marie Londeix, Claude Delangle, Jean-Yves Formeau, Vicent David, Carlos Martins, Jerry Bergonzi entre outros. Foi laureado de diversos concursos nacionais e internacionais.
Representou Portugal no XIV, XVII e XVIII Congresso Mundial de Saxofone em Liubliana, Estrasburgo e Zagreb, respectivamente, onde se apresentou com duo João Pedro Silva e Pedro Vieira de Almeida, Quarteto Artemsax. BROS Quartet, fusiON OUT, Tenor Sax Colletive, D’Addario Ensemble, Ensemble de Saxofone da Metropolitana e foi convidado para ser orador numa conferência sobre nova pedagogia musical no âmbito da aprendizagem do saxofone.
É membro fundador do quarteto internacional de saxofones BROS quartet, com o qual gravou e editou o disco “Pagine”, de Salvatore Sciarrino, editado pela editora Italiana Stradivarius.
Obteve o reconhecimento, pelo Ministério da Cultura, pelo disco/espetáculo “Entre Paredes”, do Quarteto Artemsax, tendo este sido declarado de “Relevância Cultural. Com o mesmo quarteto realizou uma tournée por Guiné-Bissau a convite do Instituto Camões e da Embaixada Portuguesa em Bissau. Ainda com os Artemsax recebeu o “Prémio Carlos Paredes” de melhor disco de música Portuguesa editado em 2016 (ex-áqueo com o disco do fadista Ricardo Ribeiro).
Foi condecorado pela Câmara Municipal de Palmela com a Medalha Municipal de Mérito – Grau Ouro.
Trabalha regularmente em colaboração artística com diversos compositores, na criação de novo repertório para saxofone. Tem estabelecido uma contínua parceria com a Antena 2 nos projetos realizados.
Foi jurado convidado de 32ª edição do Prémio Jovens Músicos.
Como solista editou os discos “TIBI – Nova Música Contemporânea Portuguesa e Americana para saxofone” e “João Pedro Silva interpreta Jorge Salgueiro”, volumes I e II, os dois primeiros de uma trilogia discográfica, que visa editar, em disco, a obra integral para saxofone do compositor Jorge Salgueiro (com a participação de Pedro Vieira de Almeida, no piano e Pedro Santos, no acordeão, Quarteto Artemsax e Ensemble de Saxofones da Metropolitana).
Em coautoria com Lino Guerreiro, escreveu o livro “O Saxofone Pedagógico”, o primeiro método português para a aprendizagem do saxofone, editado pela AVA Musical Editions e com prefácio de Claude Delangle, Professor do Conservatório Superior de Música e Dança de Paris.
Gil Magalhães – Flauta Transversal
Gil Magalhães nasceu no Porto em 1974, tendo iniciado os estudos musicais com o seu pai, José Magalhães, aos 9 anos. Optou pela flauta transversal aos 13 anos, ingressando no Conservatório de Música do Porto e concluindo três anos mais tarde o curso de flauta na classe do professor Olavo Barros. Prosseguiu os seus estudos e frequentou Masterclasses com Wendy Quilan, Sabina Laurain, Aurele Nicolet, Felix Renggli, entre outros. Licenciado em Flauta Transversal na classe do professor Eduardo Lucena, na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, concluiu a sua licenciatura com elevada classificação. Atualmente, no âmbito do curso de investigação conducente ao grau de Doutor em Performance Musical na Universidade de Aveiro, prepara a sua dissertação de tese de Doutoramento. Vencedor nas edições de 1988 e 1990 do 1ºPrémio Regional nos concursos da “Juventude Musical Portuguesa”, obteve também o 1º lugar nos concursos para a “Orquestra Sinfónica da Juventude Luso Francesa”, “Orquestra Portuguesa da Juventude”, “Orquestra Sinfónica das Escolas de Música” e “Orquestra Regional do Norte”. Foi flautista convidado na” RÉGIE SINFONIA” – Orquestra do Porto, tendo colaborado com outras formações orquestrais e camerísticas. De 1993 até 2004 foi flautista da Orquestra do Norte, 1ª Flauta solista “A” desde 1998, na qual realizou, durante este período, mais de 1200 concertos em Portugal, Espanha e França, tendo realizado vários concertos como solista. Trabalhou, entre outros, com os maestros Kristof Penderecky, Enrique Bátiz, Leo Brower, Roland Mélia, James Tuglle, e com intérpretes como Patricia Kopachinskaya, Eduardo Isaac, Duo Assad, Michel Lethiec, José Carreras, Andrea Bocelli e Scorpions. Participou na gravação de emissões para a RTP, SIC, Antena 2, bem como na diversa discografia da Orquestra do Norte. Em 2003 recebeu o convite do Maestro Enrique Batiz para, na qualidade de Flautista Co principal, integrar a Orquestra Sinfónica do Estado do México, na temporada 2004. Desde 2006, juntamente com o guitarrista Carlos Lima, forma o "ExpressOriente Duo", projeto dedicado à música contemporânea e novas sonoridades. É desde 2008 1º Flauta da Orquestra da Universidade do Minho. De 1993 a 2004 foi Maestro/Diretor Artístico da Banda de Música de Sabrosa. De 2004 a 2012 foi Maestro/Diretor Artístico da Sociedade Artística - Banda de Música de Vale de Cambra. Teve o privilégio de dirigir solistas de prestígio como Maxence Larrieu, Michel Bellavance, Jean Louis Beaumadier, Wendela van Swol, Celso Voltzenlogel, Rogerio Zerlotti Wolf, Jérôme Laran, Philippe Portejoie, Artur Caldeira, entre outros. Atualmente, Gil Magalhães, é Professor Convidado Equiparado a Auxiliar no Departamento de Música da Universidade do Minho, no Conservatório de Música de Guimarães, e Maestro/Diretor Artístico da Banda de Música da Sociedade Musical de Arcos de Valdevez. É, desde 2016, Sankyo Flute Artist.
Fábio Palma – Acordeão
Fábio Palma nasceu em Lagoa, Algarve. O seu percurso musical como aluno passou pela Academia de Música de Lagos e pela Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco, onde adquiriu os graus de licenciado e mestre em ensino de música.
Participou em vários concursos nacionais e internacionais, enquanto músico solista e inserido em grupos musicais, tendo obtido excelentes classificações, com destaque para edições do concurso Folefest (1º prémio em solo e música de câmara), concurso de Jovens Interpretes de Caldas da Rainha (1º prémio ex-aequo), concurso Internacional de Acordeão de Castelfidardo, Itália (2º prémio em música de câmara) e Prémio Jovens Músicos (2º prémio em acordeão solo).
Entre 2013 e 2014, frequentou um curso de Acordeão e Técnica Alexander em Itália, com Claudio Jacomucci e Kathleen Delaney, onde abordou vários aspetos da performance e interpretação, associados com princípios de libertação técnica.
A sua perspetiva artística polivalente tem-lhe possibilitado explorar diferentes áreas da música, dentro do clássico e contemporâneo, jazz, folk, world music, fusion e bandas sonoras. Igualmente tem explorado outras áreas artísticas, individualmente e em grupo, como a recitação de poesia e a representação dramática.
Ao longo da sua carreira, tem sido convidado a participar em algumas gravações discográficas nacionais e internacionais, e igualmente estreado novas obras musicais.
Os seus alunos têm sido reconhecidos com excelentes prémios em vários concursos conceituados de acordeão.
Luís Gomes – Clarinete
Iniciou os seus estudos no Conservatório Nacional, sendo diplomado pela Escola Superior de Música de Lisboa (licenciatura), pelo Conservatório Superior de Roterdão (U.M.), e Mestrado em Psicologia e Pedagogia da Música na F.C.S.H. da Universidade Nova de Lisboa. Atualmente é doutorando em Música e musicologia na Universidade de Évora.
Enquanto estudante, foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.
Trabalhou com clarinetistas mundiais como: Guy Deplus, Michel Arrignon, Philipe Cuper, Walter Boykens, David Campbel, Josef Horák, Lorenzo Coppola e Henri Bok.
Obteve os seguintes prémios: 1º Prémio do Concurso da Juventude Musical Portuguesa. Solista e 1º Prémio – Música de Câmara, 1º Prémio de Música de Câmara do Prémio Jovens Músicos, 1º Prémio no Concurso «Cultura e Desenvolvimento», 2º Prémio do concurso televisivo «Ouvir e falar», 2º Prémio do Concurso «Cultura e Desenvolvimento» Música de Câmara, 3º Prémio Solista do Concurso Nacional de Clarinete de Setúbal e Prémio Melhor Interpretação da Obra Portuguesa.
Foi júri dos Concursos Nacionais da J.M.P, do Prémio Jovens Músicos, dos Concursos Internacionais de Clarinete Júlian Menendez (Ávila, Espanha), dos Concursos Internacionais de Clarinete Baixo (Espanha), do Concurso Internacional de Clarinete «Saverio M;ercadante» (Itália) e do Concurso Internacional de Clarinete VIMM (Croácia) e do Concurso Internacional de Clarinete do Tenerife (Espanha).
Foi solista das seguintes orquestras: Orquestra Mundial das Juventudes Musicais, Orquestra de Jovens do Mediterrâneo, Nova Filarmonia Portuguesa, Sinfónica Juvenil, Orquestra Portuguesa da Juventude.
Tocou a solo com a Orchestrutópica, a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, o Grupo de Música contemporânea de Lisboa e a Banda Sinfónica da PSP. Colaborou regularmente com a Orquestra da Fundação Calouste Gulbenkian entre 1989 e 2015, e ainda com as orquestras Sinfónica Portuguesa, Orchestrutopica, Sinfonietta de Lisboa e Metropolitana de Lisboa.
É membro fundador do Trio de Clarinetes de Lisboa (actual Quarteto de Clarinetes de Lisboa), do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, do Rumos Ensemble e é director da CULTIVARTE Associação Cultural.
É professor de clarinete da Escola de Música do Conservatório Nacional e da Universidade de Évora.
Luís Gomes é artista Selmer Paris (clarinetes), D’Addario Woodwinds (palhetas) e Wi&Fi (boquilhas).
Luís Oliveira Bôla – Tuba
Iniciou os seus estudos musicais na Escola Profissional de Artes da Beira Interior, prosseguindo-os na Academia Nacional Superior de Orquestra.
Obteve a Licenciatura e o Mestrado na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto na classe do professor Sérgio Carolino.
É membro fundador do Ensemble Português de Tubas “How Low Can You Go?!” e do quinteto de metais “Carnyx Brass”.
Participou em master classes de tuba orientados pelos grandes mestres do panorama tubístico como Sérgio Carolino, Roger Bobo, Gene Pokorny, Daniel Perantoni, Steve Rossé, Mel Cubertson, Roland Szenpáli, Shmuel Hershko,Anne Jelle Visser, Oystein Baadsvik entre outros..
Participou em várias orquestras de jovens, nomeadamente a orquestra Aproarte e a orquestra Bisyoc em Inglaterra.
Foi membro da Gustav Mahler JugendOrchester sob a direção artistíca de Claudio Abbado.
Como músico convidado apresentou-se com a Orquestra do Norte, Orquestra Filarmonia das
Beiras, a Orquestra Clássica do Centro e o Ensemble Orquestral do Porto.
Colabora regularmente com a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, Orquestra
Gulbenkian ,Orquestra Sinfónica Portuguesa ,Orquestra Filármonica Portuguesa e Banda Sinfónica Portuguesa.
Trabalhou com solistas e maestros de renome internacional tais como: Boris Berezovski, Hakan Hardenberger, Alisa Weilerstein, Thomas Hampson, Simon Tripceski, Mário Laginha e Yuja Wang.Com os maestros Olari Elts,Heinz Holliger, Michail Jurowsky, Joana Carneiro, Michael Sanderling, Lawrence Foster,Philippe Jordan, James Tuggle, , Christoph konig, , Peter Rundel, Joseph Swenson ,Eivind Gullberg Jensen, Gerard Swartz entre outros...
Luís foi premiado no I concurso nacional de sopros “Terras de La Sallete."
Apresentou-se em concertos em Portugal, Espanha, Inglaterra, Itália, Alemanha, Holanda, Brasil e Argentina.
Orientou cursos de aperfeiçoamento em Vouzela, Águeda, Castro Daire, Santa Comba Dão,Troviscal,Branca, Espinho,Castelo de Paiva e Chaves.
Actualmente leciona tuba no Conservatório de Música de Coimbra ,Escola Profissional de Artes da Covilhã e Instituto Piaget de Viseu.
Submit
Never submit passwords through Google Forms.
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service - Privacy Policy