Diversidade e Desigualdade no Brasil e nos EUA
Em 2017, como parte das comemorações de seus 60 anos, a Comissão reunirá os acadêmicos brasileiros que foram contemplados coma Cátedra Dra. Ruth Cardoso na Universidade Columbia, financiada em conjunto com a CAPES-MEC e a FAPESP. A Cátedra busca promover no meio acadêmico norte-americano a atuação de pesquisadores brasileiros nas Ciências Humanas e Sociais e, em especial, honrar a memória da Prof.a Dra. Ruth Corrêa Leite Cardoso, ela mesma ex-bolsista da Comissão Fulbright na Universidade Columbia em 1988.

Serão três rodas de conversa onde os participantes terão a oportunidade de interagir com destacados estudiosos de temas abordados na Cátedra Dra. Ruth Cardoso. O segundo evento acontecerá no dia 22 de Junho, às 18:30h, no Centro Dra. Ruth Cardoso, Rua Pamplona, 1005, Jardim Paulista.

Comissão Fulbright

A Comissão Fulbright foi criada em 1957, tendo como principal objetivo ampliar o entendimento entre os EUA e o Brasil. A Comissão oferece desde então bolsas de estudos para o intercâmbio de estudantes de pós-graduação, professores e pesquisadores que queiram fazer a diferença em suas comunidades por meio do conhecimento.

A Comissão Fulbright, financiada pelos governos dos EUA e do Brasil, investiu nos últimos 60 anos na ida aos Estados Unidos de cerca de 3.500 brasileiros e na vinda de quase 3.000 norte- americanos para o Brasil.

Palestrantes

Hebe Maria Costa Mattos Gomes Castro (Memory of Slavery and Race: Brazilian Self-Narratives in Historical Perspective) – 2013.

A pesquisadora possui graduação (1980), mestrado (1985) e doutorado (1993) em História pela Universidade Federal Fluminense, com Pós-Doutorado na University of Maryland at College Park (1997) , na UNICAMP (2001) e na Sorbonne - Paris IV (2008). Foi Professora na Universidade Federal de Pernambuco (CNPq, 2013), na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (2004) e na University of Michigan (1996). Atualmente é professora titular da Universidade Federal Fluminense, onde é coordenadora associada do Laboratório de História Oral e Imagem. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: escravidão, abolição, memória, vídeo-história e história oral.

A Historiadora esteve na Universidade de Columbia, agraciada com a Cátedra Dra. Ruth Cardoso, entre 2013 e 2014 concluindo o seu projeto de pesquisa sobre a construção da escravidão e da raça no Brasil através da análise de narrativas pessoais selecionadas. E desenvolveu uma abordagem comparativa, Brasil – Estados Unidos, do tema da escravidão e da história pública.

Marcelo Siqueira Ridenti (The Cultural Cold War in the Internationalization of Brazilian Artists and Intellectuals.) – 2014

Professor Titular de Sociologia no IFCH/UNICAMP (2005), onde defendeu tese de livre-docência (1999). Pós-doutorado na EHESS, Paris (2000 e 2010). Doutor em Sociologia(USP, 1989), graduado em Ciências Sociais (USP, 1982) e em Direito (USP, 1983).Ingressou na UNICAMP em 1998, foi docente da UNESP/Araraquara (1990-1998), e da UEL (1983-1990). Tem experiência nas áreas de Sociologia e História, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura/ arte e política/ esquerda brasileira/intelectuais/ pensamento marxista/ ditadura militar no Brasil/ anos 1950, 1960 e 1970.

Autor de vários livros, capítulos de livros e artigos no Brasil e no exterior, entre eles, Brasilidade revolucionária – um século de cultura e política (Ed. Unesp, 2010), Em busca do povo brasileiro: artistas da revolução, do CPC à era da tv (Ed. UNESP, 2a. ed. revista e ampliada, 2014), O fantasma da revolução brasileira (Ed. UNESP, 2a. ed. revista e ampliada, 2010). Foi Secretário Executivo da ANPOCS (2004-2008). Integrou órgãos de avaliação no CNPq (2010-2013) e na FAPESP (2006-2012). Orientou 29 mestrados e 15 doutorados concluídos, mais 5 supervisões de pós-doutorado. Seus ex-orientandos são docentes e pesquisadores na USP, UNESP, UNICAMP, Unifesp, UFPR, UFG, UFMT, UFES, UFFS, UEL, Unioeste, SESC-SP, entre outras instituições.
O Historiador esteve na Universidade de Columbia, agraciado com a Cátedra Dra. Ruth Cardoso, entre 2014 e 2015 com o objetivo (1) de estudar as relações entre intelectuais e artistas brasileiros comunistas e não-comunistas; investigando a Guerra Fria cultural do ponto de vista americano (em oposição à internacionalização promovida pelos soviéticos); (2) descobrir a importância para autores como Érico Veríssimo da rede cultural criada com apoio americano; (3) e, em contraste, buscar o impacto e divulgação nos Estados Unidos do trabalho de intelectuais e artistas claramente alinhados com os Soviéticos na Guerra Fria, como o Jorge Amado.
Serviço:
Debate com os Historiadores Hebe Mattos e Marcelo Ridenti
Quando: 22 de Junho/ 18:15h- Welcome Coffee/ 19h - Abertura do evento
Onde: Rua Pamplona, 1005, Jardim Paulista - Centro Ruth Cardoso
Participação: Dra. Hebe Mattos/ Dr. Marcelo Ridenti
INSCREVA-SE:
LUGARES LIMITADOS** - os convidados serão direcionados à sala com transmissão ao vivo SE e QUANDO não houver mais assentos no auditório.
IMPRESCINDÍVEL CONFIRMAÇÃO DE PRESENÇA PELO FORMULÁRIO OBSERVAÇÃO:
Ao fazer sua inscrição, o participante autoriza o uso de imagem/voz nas mídias institucionais do Centro Ruth Cardoso e das organizações que compõem o Comunidade Solidária.


Nome e sobrenome
Your answer
E-mail
Your answer
Telefone
Your answer
Empresa/Instituição
Your answer
É a primeira vez que participa de eventos no Centro Ruth Cardoso?
Submit
Never submit passwords through Google Forms.
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service - Additional Terms