Quanto vale o poema?
Quanto vale o poema é um projeto que passou um tempo na gaveta. E agora está colocando a cara no sol pra tirar o mofo das poesias guardadas.


O que é?

É um financiamento coletivo. Só que fora das plataformas comuns de financiamento coletivo, porque a ideia aqui não é atingir uma meta financeira específica. E sem atingir uma meta específica as plataformas comuns não repassam os valores.

Como funciona?

Três poemas serão incluídos aqui. Se vocês gostarem dos poemas podem dar um valor pra cada um. Qualquer valor. É você que vai dizer quanto vale o poema.

Pra que o dinheiro vai ser usado?

Quanto vale o poema é também o embrião de um selo. Por esse selo serão lançados livros de poesias produzidos artesanalmente. O dinheiro vai ser usado para amadurecer o projeto, cobrir despesas e comprar materiais para produção desses livros que serão vendidos posteriormente.

O que eu ganho dando um valor ao poema?

Você vai entrar na lista da pré venda desses livros e ganhar desconto na compra. Você também vai concorrer a livros que podem chegar de graça na sua casinha.

Quem desenvolve o projeto?

Cora Made é escritora, roteirista, diretora e produtora cultural. Tem toneladas de poesias escritas mas nunca publicou. Idealizou esse projeto para oportunizar que ela e outros escritores de poesia que não puderam publicar seus livros consigam fazer isso por um selo independente.


Todas as poesias usadas aqui para dar início ao projeto são de autoria de Cora Made, com registro na biblioteca nacional.

Poema 1: Teimosia e poesia.

Tudo que você precisa é de uma pimenta ardida,
pra dar gosto na vida.
E de teimosia.
Tem que teimar pra realizar.
Tem que teimar pra continuar sonhando.
Sem pimenta, teimosia e poesia o mundo acaba desandando.

Poema 2: Desanuviar

Olhe a chuva que caiu molhou,
Meus cabelos e idéias, o meu corpo.
E o que achei que estava morto,
Deixou a apatia e do chão se levantou.
Olhe que nos relâmpagos me veio a luz,
E no céu um sorriso desenhado,
Por um raio torto a me desejar alegria.
A tempestade virou chuva de verão,
Dentro de mim, fácil assim, de instante.
A chuva lavou o dia, e o mundo todo,
Levou os meus problemas para o mar,
Que se encarregou de afogá-los.
Olhe que a chuva veio em mim,
Com tanta vontade e vida,
Que me esqueci até das dívidas.
Esqueci-me dos dias nos quais,
O que chovia eram os olhos meus.
Olhe que a chuva lavou minha alma,
Sem medo de ser clichê,
E levou minha tristeza,
E me molhou de alegria.
Olhe que a chuva que hoje caiu,
Foi mandada como um presente,
Pelas nuvens que me namoram,
Toda vez que abro um sorriso.
Mandaram pois era preciso,
Desanuviar.

Poema 3: Viagem

A calma da aeromoça,
Me tira a paz e o sono.
É como se o perigo,
Embora escondido,
Fosse sempre iminente.
Neste caso,
Máscaras cairão...
...do teto.
Pode respirar fundo.
Foi por pouco dessa vez.
É bom apertar,
Atar bem os cintos
Pra embarcar naquilo,
Tudo que sinto.
Desejamos a todos,
Uma boa viagem.
Traga na bagagem,
Um tanto de coragem.
Porque pra ver,
Como a vida decola,
Tem que querer se aventurar.
E ao amor se entregar.
Abra as asas e jogue-se.
Mas é bom dar atenção às instruções,
Sobre onde estarão,
As saídas de emergência.

Se você gostou dos poemas e quer dar um valor a eles faça um depósito em:

Caixa Econômica Federal

Carissa Vassoler Albani
Agência: 0173
Operação: 013
Conta: 25082-5

Para contribuir via PagSeguro ou Moip encontre os links no nosso blog:

http://www.quantovaleopoema.wordpress.com

Curta nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/Quanto-vale-o-poema-472093339658736

Para receber cobrança via paypal envie e-mail para: calbani@gmail.com

Se tiver qualquer dúvida ou quiser saber mais sobre o projeto envie e-mail: calbani@gmail.com

Qual seu poema preferido?
Quanto vale o poema? (qual o valor da sua doação?)
Your answer
Nome completo
Your answer
E-mail
Your answer
Endereço
Your answer
Telefone com DDD
Your answer
Submit
Never submit passwords through Google Forms.
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service - Additional Terms