FORMAÇÃO CLÃ DAS CICATRIZES                         Formulário de Pré-matrícula
Olá Alma Corajosa !  Seja bem-vinda 🌹

Esta é a lista de "pré-matrícula" para a Formação Clã das Cicatrizes

Por favor, leia as informações abaixo e se sentir o chamado em participar, preencha o formulário.

Em breve entraremos em contato para formalizar a sua inscrição.

Gratidão pelo seu interesse.
Com carinho e amor
Soraya Mariani 💜




***INFORMAÇÕES SOBRE A FORMAÇÃO***


💜 Esta formação tem como propósito:

Um profundo processo de iniciação nos poderes femininos através do arquétipo
da Mulher Selvagem que quando reconhecido e integrado nos permite
desenterrar os "ossos" que estão debaixo do deserto hostil que criamos
coletivamente. Esses "ossos" nos fazem lembrar da nossa verdadeira natureza
instintiva e cíclica, alinhada com a Terra, com nossa ancestralidade e com o
mais profundo de nós mesmos.


💜 Conteúdo Programático:

1ª AULA
O CHAMADO DA ALMA SELVAGEM
UMA FÁBULA SOBRE O QUE É SUFICIENTE
A HISTÓRIA É UMA SEMENTE E NÓS O SEU SOLO
Neste encontro vamos preparar o solo fértil e despertar a sabedoria ancestral
que compreende e sente as histórias como “Bálsamos Medicinais” - alimento
vital para psique - que: restaura, renova e cura.


2ª e 3ª AULA
O CHAMADO INEVITÁVEL PARA RESSURREIÇÃO DA
MULHER SELVAGEM
MAS QUAL A FUNÇÃO DAS HISTÓRIAS?
Nestas aulas, vamos reencontrar a Velha Sábia, a Bruxa - para ressuscitar
aquela parte de nós que adormece na floresta subterrânea do nosso
inconsciente, vamos uivar pela mulher selvagem adormecida, para que ela
encontre a nossa “ canção medicina”.

Qual é o seu desejo do coração? Aquele que você quer de verdade e que sabe
ter todos os talentos para realizar? Nada melhor do que fazermos as perguntas
certas para chegarmos a respostas alinhadas com a realidade de quem somos.
Esses encontros vão expandir nossa consciência sobre nós mesmas e nos
permitir sentir a fonte abundante e criativa da qual somos feitas,
compreendendo que somos capazes de criar grande parte de nossa própria
realidade, nos tornando quem realmente somos, e cada vez mais, sermos a
mulher que almejamos ser.


4ª e 5ª AULA
O BARBA AZUL
O PREDADOR ILUSIONISTA
A INICIAÇÃO
Nestas aulas vamos estudar o segundo capítulo do livro: “A tocaia do intruso: o
princípio da iniciação”.
Esse capítulo traz à consciência nossos aspectos sombrios que nos aprisionam
em vidas que não queremos ter, mas achamos que devemos para atender
expectativas de outras pessoas ou até mesmo expectativas nossas, porque
idealizamos uma mulher que achamos que temos que ser. Uma fantasia de nós
mesmos que nos aprisiona em um castelo de ilusões, o castelo do Barba Azul -
0 predador natural da Psique.

Vamos, com coragem, adentrar o castelo do Barba Azul, personagem dessa
história, que nos apresenta uma vida aparentemente perfeita em troca da
nossa liberdade de ser quem somos. Teremos então que nos mover na direção
da Mulher Selvagem, aquela que sabe farejar o perigo e entende quando tem
que se afastar de pessoas ou situações que não nutrem e ainda nos
prejudicam. A força de uma mulher pode ser ameaçadora para O Barba Azul,
mas ele está dentro de nós, na nossa psique, nos afasta


6ª e 7ª AULA
VASALISA
A JORNADA MÍTICA PARA O
ENCONTRO DA INTUIÇÃO
Afinal, o que é essa intuição feminina? É o que vamos desvelar no terceiro
capítulo do livro: “Farejando os fatos: o resgate da intuição como iniciação - A
boneca no bolso: Vasalisa, a sabida”.

Esse capítulo nos faz perceber nossa relação com a intuição e o quanto
estamos prontas para vivenciar verdadeiramente nossos ciclos de
vida-morte-vida, ou seja, nossas transformações profundas. Mas, para isso, é
preciso adentrar na floresta e encarar a Megera Selvagem: Baba Yaga e
vivenciar as 9 tarefas da Jornada Mítica Intuitiva.
Vamos alinhar nossa intuição ao coração, validando a voz dentro de nós como
a mais importante de todas!


8ª AULA
MANAWEE
RECONHECENDO E INTEGRANDO A DUALIDADE
Neste encontro vamos nos aprofundar no quarto capítulo do livro, “O
parceiro: a união com o outro - Um hino para o Homem Selvagem: Manawee”,
um convite para reconhecermos e integrarmos a dualidade feminina, essa
união pode ser a jornada mais maravilhosa, mas para isso, é necessário saber
o que sustenta nossa chama criativa, nosso estado potente de vida.
Vamos entender o que são as “distrações” que muitas vezes nos impedem de
realizar nossos sonhos e sobre o poder das escolhas.

Esse capítulo convoca a energia do homem como parceiro de uma mulher e
como ele pode aprofundar - se na sua própria natureza selvagem através de
sua parceira. O homem selvagem existe e se aprofunda em seu desabrochar
através do feminino selvagem.



9ª e 10ª AULA
MULHER ESQUELETO
A ENTREGA PARA A “VIDA-MORTE-VIDA” DO AMOR
O quinto capítulo: “ A Caçada: quando a caçada é um Coração Solitário” é o
convite para uma aventura na jornada aterrorizante e absolutamente
necessária da Mulher Esqueleto: a autentica confiança para aceitar a natureza
da vida e a nossa natureza cíclica e permitir que tudo flua, e de como
podemos nos revelar para vivenciar o amor de uma maneira saudável.

Vamos ampliar nossa consciência sobre nós mesmas e permitir sentir a fonte
abundante e criativa da qual somos feitas, compreendendo que somos capazes
de criar nossa própria realidade e nos tornarmos quem realmente somos.


11ª e 12ª AULA
O PATINHO FEIO
A CORAGEM DE VIVENCIAR A JORNADA DA HEROÍNA
EM BUSCA DA NOSSA INDIVIDUAÇÃO
Neste encontro, nós vamos estudar o sexto capítulo do livro, “A Procura da
Nossa Turma : A Sensação da Integração como uma Benção ”, que apesar de
trazer uma história básica em termos psicológicos e espirituais, contém uma
verdade tão fundamental para o desenvolvimento humano que, sem a
incorporação desse fato, o avanço se torna duvidoso e ninguém consegue
prosperar sob o aspecto psicológico enquanto não perceber essa verdade, e é
isso que vamos fazer, desvelar essa “ verdade”.

Vamos adentrar nos porões do nosso inconsciente para compreender sobre o
complexo materno, e investigar o ponto que nos toca e aciona algo que é
irracional da gente e que tem a ver com a forma como nós fomos “Maternadas”,
afinal a ferida que nos põe na jornada, que faz a gente caminhar em busca da
nossa identidade, é o complexo materno.


13ª e 14ª AULA
LA MARIPOSA, A MULHER BORBOLETA
O CORPO JUBILOSO DANÇA
O PODER DAS ANCAS
No sétimo capítulo do livro: “O corpo jubiloso: a carne selvagem”,
despertaremos a consciência do corpo selvagem como um ser multilíngüe que
fala através da cor e da temperatura, do rubor do reconhecimento, do brilho do
amor, das cinzas da dor, do calor da excitação, da frieza da falta de convicção.
Que ele fala através do seu bailado ínfimo e constante, às vezes oscilante, às
vezes agitado, às vezes trêmulo, com o salto do coração, a queda do ânimo, o
vazio no centro e com a esperança que cresce.

Esse capítulo nos levará a observar nossos processos internos a partir do
nosso corpo e nossa relação com ele - a aceitação e o reconhecimento da sua
beleza - . Vamos aprofundar nosso olhar para percebermos o quanto somos o
nosso corpo e como podemos nos comunicar com ele.


15ª e 16ª AULA
OS SAPATINHOS VERMELHOS
IDENTIFICANDO AS ARMADILHAS
O oitavo capítulo do livro, “A Preservação do Self: A Identificação de
Armadilhas, Arapucas e Iscas Envenenadas”, nos levará a compreensão de
quem é “ a mulher Braba” e como escutá-la.

Traremos a percepção de que para reconhecer as armadilhas durante a
jornada rumo ao SELF, o núcleo integrado de quem somos, a nossa alma
selvagem, precisamos reencontrar nossos instintos femininos profundos, e
para isso, é essencial, para começar, que se veja como eles foram destituídos.
Essa historia é um convite para percebermos que a vida expressiva da mulher
pode ser sondada, ameaçada, roubada ou seduzida a não ser que ela se
mantenha fiel à sua alegria básica e ao seu valor selvagem, ou que os resgate.

Vamos aguçar nossos sentidos, nossa atenção para armadilhas e venenos com
os quais nos envolvemos com excessiva facilidade quando estamos sem a
proteção da alma selvagem e que sem uma firme participação da natureza
selvagem, a mulher definha e cai numa obsessão pelo que a faça se sentir
melhor, pelo que a deixe em paz e por qualquer um que a ame, custe o que
custar – inclusive sua própria essência


17ª e 18ª AULA
PELE DE FOCA, PELE DA ALMA
A SABEDORIA DE MERGULHAR EM TI
O nono capítulo do livro: “A volta ao lar: o retorno ao próprio self ”, é uma
jornada que nos lembrará da importância de nos conectarmos com nossos
ciclos, e que através dessa conexão encontramos nosso lar psíquico, que
nos traz o alimento e ajuda para identificar o que está demais e o que está de
menos em nossas vidas.

Pelo caminho, podemos nos perder por diversos motivos, mas nossa pele da
alma sempre vai saber o caminho de volta. Nunca é tarde, e nossa alma nos
chama de volta com a disposição de um animal selvagem. Nosso lar é onde
nos sentimos inteiras.

Esse conto maravilhoso nos traz a imagem de uma mulher que perdeu sua
pele de foca, sua pele verdadeira. Seu filho lhe ajuda a reencontrar-se com sua
pele e com o fundo do mar – seu verdadeiro habitat. Esse filho, na verdade, é a
nossa criança espiritual, aquela criança em nós que ouve os chamados
verdadeiros, que sabe como nutrir a própria alma. Essa criança une o nosso
ego ao nosso Self - nossa alma


19ª e 20ª AULA
LA LLORONA
RECUPERANDO OS SONHOS PERDIDOS
No décimo capítulo do livro: “As águas claras: o sustento da vida criativa”,
temos 3 histórias simbólicas, entre elas, a história de terror mexicana, “La
llorona”, a chorona. Vamos falar sobre o nosso rio criativo, mergulhando nas
águas de nossa vida profunda.
Criar é o transbordamento do amor. Quando se preenche de vida, de olhar
amoroso para tudo, o que nos resta é criar. “Simplesmente, é o que se precisa
fazer”. A força criadora pede que sejamos bacias, afluentes que correm para
que ela possa se despejar em nós. “Somos suas piscinas naturais, represas,
córregos e santuários”.

A coisa mais maravilhosa que podemos fazer por nós é servirmos de casa para
a força criadora selvagem, que nos liberta e nos ancora no ato da criação de
nós mesmas e da vida que sonhamos para nós. Mas precisamos preparar a
casa para receber essa força revolucionária da criação e não deixar nossas
águas se turvarem. Se isso acontece, passamos a chorar por nossos filhos
perdidos, nossas criações inacabadas, obras engavetadas e sonhos
esquecidos.


21ª e 22ª AULA
BAUBO: A DEUSA DO VENTRE
É PRECISO RIR DE SI MESMA
No capítulo 11 do livro: “O cio: a recuperação de uma sexualidade sagrada”,
vamos dançar com Baudo para desmistificar a sexualidade feminina. Qual a
conexão entre orgasmo e gargalhada? Como podemos soltar a barriga e
relaxar no prazer de existir, liberar espaço para rir e para gozar?
Vamos dançar com Baudo para desmistificar sobre o portal maravilhoso que é
ter uma vagina, sobre a deturpação da nossa nudez “não-perfeita” e do nosso
direito de gargalhar diante de histórias sexuais que atravessaram nossa vida,
indo na contramão do pudor. Falar de sexo é divertido e podemos desfrutar
desse prazer que é ter um corpo, você realmente acredita nisso?

Nossa jornada nessa aula é integrar na nossa psique o arquétipo da mulher
selvagem, olhando para sexualidade como um bálsamo para o espírito e o riso
como uma medicina, portanto, sagrados aspectos a serem restaurados.


23ª e 24ª AULA
O URSO DA MEIA-LUA
A RAIVA COMO MESTRA
O capítulo 12: “A demarcação do território: os limites da raiva e do perdão”,
encontraremos chaves de entendimento importantíssimas para a iniciação da
mulher selvagem. Ter a paciência e o olhar amoroso da curandeira para nossos
lugares internos furiosos, agradecer a cada passo de nossa jornada, mesmo
que seja uma escalada até o ponto mais vulnerável, descansar durante o
caminho, todas essas etapas nos levam à compaixão verdadeira por nós e por
todos os seres.

A falta de consciência das nossas cicatrizes de guerra podem gerar explosões,
adoecimentos e criar buracos negros na nossa psique, através da história
japonesa “O urso da meia-lua” aprenderemos a lidar com a energia da fúria, da
raiva, que muitas vezes se encontra escondida e reprimida, causando estragos
enormes na nossa vida.


25ª e 26ª AULA
OS SEGREDOS COMO ASSASSINOS
O capítulo 13: “Marcas de combate: a participação no Clã das Cicatrizes” é a
inspiração dessa - Formação/ Jornada Iniciática - , afinal, quem vive traz
cicatrizes no corpo e na alma.
Este encontro pede um mergulho individual, ele trata dos segredos que as
mulheres guardam por medo, culpa ou vergonha. Mas isso tem um preço: a
isola de sua natureza instintiva que é livre e alegre e cria-se uma zona morta
cheia de barreiras no inconsciente. As cicatrizes que escondemos e não
honramos podem nos causar doenças e dramas que se repetem.

Por isso, nessa etapa da jornada, vamos olhar para os nossos desafios, medos
e segredos com amor e esperança. A ferida se fecha e dá lugar a uma cicatriz,
sua marca de combate.


27ª a 30ª AULA
A DONZELA SEM MÃOS
A JORNADA INICIÁTICA SELVAGEM
O capítulo 14: “La Selva Subterrânea: A iniciação na floresta subterrânea” é
uma jornada poderosa baseada num conto impactante de uma jovem que teve
suas mãos amputadas pelo seu pai – um moleiro – que tristemente fez um
pacto sinistro, em troca de riqueza. Trata da jornada da mulher que não
consegue assumir seus dons criativos. O pai, um moleiro que perde sua
fortuna, é aquela parte nossa que quer sair da dificuldade por artifícios do ego
e sem ética.

Cortar as mãos significa cortar relações. Mas ficar sem mãos
também significa que a mulher ficou sem capacidade de atuar no mundo, de
trabalhar e de colocar seus dons criativos no mundo. Sem mãos, a jovem deixa
a casa dos pais e segue em sua jornada redentora para viver na floresta e
assim reencontrar a sua natureza perdida. Ela suporta o sofrimento e confia em
algo maior que seu ego. O conto Donzela sem Mãos traz à mulher o
aprendizado da natureza mais profunda do feminino que se divide em ciclos
relacionados às mudanças do corpo.

Portanto, compreendermos esses ciclos e os pactos infelizes que fazemos em
nossa inconsciência nos auxilia em nosso crescimento psíquico.
Cada ciclo tem sua tarefa, uma morte simbólica e uma entrada em nossa
floresta interior, nossa área selvagem e intocada. Respeitar os ciclos de nosso
corpo e espírito nos ajuda a resgatar nossas mãos, ou seja, nosso poder de
criar e realizar algo em nossas vidas e no mundo.


31ª e 32ª AULA
AGIR COMO SOMBRA: EL CANTO HONDO, O CANTO PROFUNDO
O PODER DA AUTOBIOGRAFIA
Clarissa nos conta na introdução deste capítulo que:
“Começamos nossa procura do selvagem, que ainda meninas, que já adultas,
porque no meio de alguma empreitada selvática sentimos a proximidade de
uma presença selvagem a nos dar apoio. Dentro da nossa psique,
pressentimos ao longe o som de uma respiração conhecida, sentimos
tremores no chão e soubemos no nosso íntimo que algo de poderoso, alguém
importante, alguma liberdade selvagem dentro de nós estava se
movimentando”.

Neste encontro especial, vamos falar sobre a jornada da mulher selvagem
fazendo paralelos com as histórias que Clarissa traz no livro e com as nossas
próprias histórias.
Onde a jornada da mulher contemporânea se entrelaça com a nossa jornada
selvática? Apesar de ser desafiador, vamos firmar o passo para não perder a
trilha, perceber e integrar o poder de observar as nossas histórias, nossa
jornada da alma (Self), com criatividade, gentileza e muito amor.

Os recursos da vida com a natureza instintiva são muitos, e as respostas
mudam à medida que você muda e o mundo muda e por isso não se pode
dizer: “Faça isso e aquilo nessa ordem exata, e tudo ficará bem”. Lágrimas,
sombras e cicatrizes fazem parte do caminho, mas onde guardamos nossos
sonhos? Como podemos agir honrando e fortalecendo nosso poder?




💜 O QUE ESTÁ INCLUSO NESTA FORMAÇÃO?

>>Nestas 32 aulas serão abordados 15 capítulos do livro
“Mulheres que correm com os Lobos” e ao final de cada
capítulo / aulas entregarei um e-book com um conteúdo
complementar para ajudar nos estudos e práticas, com uma
imersão profunda em tudo que eles podem trazer de
compreensão sobre a alma feminina, seus desafios e
potências.

>>Em cada capítulo, será feita uma leitura – algumas vezes
resumida – do conto e realizada a interpretação de maneira
subjetiva, com base na psicologia analítica , desenredando em
tópicos para compreensão e abertura da leitura com uma
metodologia para aplicação do conteúdo.

>> Acesso a um Material de Apoio com
minhas anotações pessoais sobre cada conto, num pdf
organizado com citações, apontamentos, questões para você
seguir em contato com o conto.

>> Acesso a vivências de aprofundamento e exercícios para
você sentir, praticar e mergulhar no que cada conto pode
trazer para seu autoconhecimento .

>> Playlist no Spotify : “Cantando sobre os ossos”

>> 24 meses de acesso



💜 Presentes para os inscritos

√ Curso da Manda Astrológica da Deusa - Educadora e Terapeuta Soraya Mariani
De: R$ 397,00
Por: GRÁTIS


💜 Investimento

Valor da FORMAÇÃO CLÃ DAS CICATRIZES - R$ 1.697,00


OBS: SE VOCÊ SENTIU O CHAMADO OU CASO TENHA OUTRAS DÚVIDAS, PREENCHA ESSE FORMULÁRIO PARA QUE ALGUEM DA EQUIPE POSSA LHE PROCURAR.


Sign in to Google to save your progress. Learn more
O Clã das Cicatrizes
Nome Completo *
E-mail *
Deixe também seu número do WhatsApp com DDD e caso seja de outro país coloque DDI *
Como ficou sabendo da Formação CLÃ DAS CICATRIZES ? *
Conte para nós porque tem interesse em fazer a Formação Clã das Cicatrizes *
Submit
Clear form
Never submit passwords through Google Forms.
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service - Privacy Policy