MINICURSO: "A Diáspora Africana no Brasil: entre números, biografias e a sala de aula (lei 11.645 LDB)”
AS INSCRIÇÕES ESTÃO ENCERRADAS DEVIDO AO PREENCHIMENTO DAS VAGAS!!
Se houver interesse, deixe seu e-mail e entraremos em contato, no caso de desistências. (17/05/2018)

Até 28/05/18 entraremos em contato com todos os inscritos para confirmação da presença no curso.

Email address *
Cannot pre-fill email address.
A Cia do Pássaro - Voo e Teatro, através da 6a Edição do Prêmio Zé Renato de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo está com inscrições abertas para o curso "A DIÁSPORA AFRICANA NO BRASIL: ENTRE NÚMEROS, BIOGRAFIAS E A SALA DE AULA (LEI 11.645 LDB)”, a ser ministrado pelo historiador e pesquisador Bruno Véras, que é um dos responsáveis pelo Projeto Baquaqua e pela tradução da autobiografia de Mahommah gardo Baquaqua para a Língua Portuguesa, além de ter assessorado a pesquisa para a criação do espetáculo “BAQUAQUA - Documento Dramático Extraordinário”. O curso é direcionado a educadores, pesquisadores da área e professores dos ensinos fundamental e médio das disciplinas inseridas no campo das linguagens e Ciências Humanas.

Quando: 02/06/18, das 10h às 18h,
Onde: Sede da Cia do Pássaro - Voo e Teatro (Rua Álvaro de Carvalho, 177, Centro, São Paulo - S.P. - 05 minutos do metrô Anhangabaú). https://goo.gl/maps/1vtJstSjhQB2
Duração: 08h - haverá um intervalo de 01h para o almoço, que será custeado pelo projeto.
Vagas: 50 (a serem preenchidas por ordem de inscrição)

* O curso é GRATUITO e todos os participantes poderão assistir, também gratuitamente, ao espetáculo BAQUAQUA - Documento Dramático Extraordinário, que será apresentado após o término do curso, às 19h, no mesmo local.
** Ao término do curso, a Cia do Pássaro e Bruno Véras oferecerão certificado a todos os participantes.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: O curso tem como marco temporal de seus conteúdos a primeira metade do século XV até meados do século XIX. Esse é o período que se convencionou chamar do período do tráfico atlântico de escravos. Nestes 400 anos, cerca de 12 milhões de homens, mulheres e crianças foram forçadamente transferidos para outros continentes na condição de escravizados. O Brasil, em tempos de colônia e enquanto Império independente, foi responsável pela escravização de cerca de 4,8 milhões de africanos. Temos por objetivo explorar, através de ferramentas digitais e disponíveis online (em português e inglês) os números referentes à diáspora africana, tomando como variáveis analíticas as categorias de gênero e etnicidade. Estas categorias serão também conceitualmente exploradas para um melhor entendimento das experiências individuais dos africanos no supracitado período. Três estudos biográficos, bem como suas potencialidades de trabalho em sala de aula, serão por fim debatidos através do uso de ferramentas digitais:
1. A diáspora Africana e a sala de aula: marcos legais e educacionais
2. O tráfico africano de pessoas: entre os números e o recorte étnico e de gênero (séc. XV-XIX).
3. O tráfico ilegal de escravos no Brasil pós-1830 e os Africanos Livres (ferramentas digitais/ didáticas).
4. Biografias e estudos de caso:
4.1. Mahommah Gardo Baquaqua, de Djogou.
4.2. O Alufá Rufino, de Oyo.
4.3. Domingos Álvares, do Golfo do Benim.

Bibliografia sugerida:
CARVALHO, Marcus J. M. de. A repressão ao tráfico atlântico de escravos e a disputa partidária nas províncias: os ataques aos desembarques em Pernambuco durante o governo Praieiro, 1845-1848. Tempo. Revista do Departamento de História da UFF, v. 27, p. 151-167, 2009.
_______. REIS, João José; GOMES, Flávio dos Santos. O Alufá Rufino: Tráfico, Escravidão e Liberdade no Atlântico Negro (c.1822 - c. 1853). 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.
LARA, Silvia Hunold. Biografia de Mahommah Gardo Baquaqua.
LOVEJOY, Paul. E. Identidade e a miragem da etnicidade: a jornada de Mahommah Gardo Baquaqua para as Américas. Afro-Ásia, 27 (2002), 9-39.
REIS, João José. Rebelião Escrava no Brasil – A História do Levante dos Malês em 1835. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
SWEET, James. Domingos Álvares, African Healing, and the Intellectual History of the Atlantic World. Chapel Hill: The University of North Carolina Press, 2013.
_______________. “Mistaken Identities? Olaudah Equiano, Domingos Alvares, and the Methodological Challenges of Studying the African Diaspora”. The American Historical Review. Vol. 114, No. 2, pp. 279-306, Apr., 2009.
SILVA, Alberto da Costa e. Comprando e vendendo Alcorões no Rio de Janeiro do século XIX. Estud. Av., São Paulo, v. 18, n. 50, p. 285-294, Apr. 2004.
VÉRAS, B. R. “Memórias Diaspóricas de Djougou para as Américas”. Revista Africa(s), v.1, n.1, jan./jul., pp. 227-237.

BRUNO VÉRAS é estudioso sobre a história de Mahommah Gardo Baquaqua, pós-doutorando na Universidade de York (Canadá) e possui Graduação (Bacharelado e Licenciatura) em História e Mestrado em História Social pela Universidade Federal da Bahia. Pesquisador associado do Harriet Tubman Institute, no Canadá e do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal de Pernambuco (NEAB-UFPE). Possui experiência como professor de Didática do Ensino Superior no curso de Especialização em História da África (2015) – FUNESO e em monitoria em História da África e História da Culturapela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. Coordenador do Baquaqua Project (2014-2016) pelo Ministério da Cultura, Brasil (http://www.baquaqua.com.br). Membro da Produção do Projeto África aparece, Mais Cultura nas Escolas (2014-2015) – MEC / MinC, Brasil (http://www.africaaparece.blogspot.com.br). Consultor de Estudos Afro-brasileiros da UNESCO (2013) – ONU/FUNDAJ. Diretor e roteirista do Documentário “Memórias do Sagrado no Recife” (2014-2015) – Ministério da Cultura, Brasil. Possui apresentações em conferências, como: “Introducing Baquaqua Project: african-brazilian heritage and digital memory in Brazil” Working Workshop SHADD Biography Project: Testimonies of West Africans from the Era of the Slave Trade. (Harriet Tubman Institute, York University. Toronto, Ont. – Canada. October 17-18, 2014); “Diasporic memory, digital media and audio-visual: the Baquaqua Project”. Symposium/Workshop - From Slavery to Freedom, From Islam to Christianity: Mahomma Gardo Baquaqua’s Account of His Life. (Hoyt Fuller Room at the Africana Studies and Research Center, Cornell University. Ithaca, NY – USA. October 20, 2014).

Get link
This content is neither created nor endorsed by Google. Report Abuse - Terms of Service - Additional Terms