Gratidão

 

 

As arestas de amor que separam o choro do riso

O canavial que bendiz a vida com doçura

A lua que rege marés e não se cansa de fazer sua sentinela

O sol que abençoa a espiga e a Terra.

 

Há gratidão no orvalho pela a chuva.

Na primavera pelo o inverno.

Nas pedras pelo o sertão

No nevoeiro pela a brandura da sua missão.

 

É na gratidão que podemos ver os reflexos do Deus.

É quando estamos preenchidos de graça e vazios de lamentos

Que podemos reconhecer Sua Face.

É através da gratidão que a bênção nasce.

 

Quando difundimos nossa alma com a alma do vento

A nossa voz com a canção das águas

E a nossa Vontade com as chamas do Sagrado Fogo

Só pode existir em nós o instrumento lapidado e oco

 

Por onde perpassa o sopro caótico

E com as mãos de reconhecimento

O transformamos em harmoniosa melodia

Tal como o poeta transforma banais palavras em esplendorosa poesia.

 

O Ser que é Grato

É livre.

Pois reconhece a cada instante o Bem além das aparências.

Sabe que quando estamos conscientes estamos percorrendo a Lei. Estamos revivendo nobres reminiscências.

 

A flor se desabrocha para embelezar a vida e alimentar com o seu néctar

Grata por sua missão cumpre-a com destreza.

Cada célula carrega a vida

Gratas por suas semelhanças, reluzentes por serem híbridas.

 

E mesmo em face das diferenças

A Natureza reverencia cada Beleza.

Inspirai-nos! Sejamos gratos por sermos. Alegrai-nos frente às possibilidades de completude.

Vibrai-nos com as graças que nos acontecem amiúde.

 

Gratidão é para os humildes e nobres.

É para os corajosos e sensíveis.

É para os corações preenchidos

Que tem no peito o brasão da celebração erguido.

 

E mesmo quando a vida nos banhar de lágrimas

Agradecemos a oportunidade de embeber o nosso solo;

E quando a dor nos procurar

Sem ademais sofrimentos, seremos gratos pelo o oportuno crescimento.

Gratidão é para os corajosos

Que querem ver além.

Que já descobriram que ser guerreiro vale à pena.

Que rever a vida é olhar novamente a cena

 

E perceber nela

Que tudo que nos acontece é uma bênção inteligente

É uma dádiva, um presente.

Uma graça do Deus para com a gente.

 

 

 

Gratidão é para quem reconhece em cada lição

Uma nobre verdade.

E caminha leve pelas veredas do Tempo

Agradecendo, até mesmo, os chamados contratempos.

 

Pois já é livre dos augúrios.

Só reconhece o Bem.

Sabe e compreende

Que a Existência que nos rege, vai além.

 

Mandala de Simone Bichara – Texto de Daniella Paula Oliveira