Somos um trabalho "em células?

Certa vez alguém me perguntou se nós somos um trabalho em "células".

Embora o estilo das nossas reuniões seja informal e geralmente nas residências,  não somos um trabalho em células. Veja por quê:

1- No trabalho em células há frequentemente,  uma grande pressão pelo crescimento numérico do grupo. O trabalho em célular visa predominantemente aumentar o número de membros da igreja. No movimento Caminho da Graça tudo o que queremos é pregar o Evangelho, fazer o bem e viver em paz, sem “neura”, sem pressões nem ativismo.

2-   Nos trabalhos “em células” há uma rígida pirâmide de controle que vem desde o pastor. O “líder de célula” da célula dá conta de toda de sua vida ao pastor enquanto os liderados são incentivados a dar conta das suas vidas ao “seu líder”. O resultado é que as células geralmente funcionam como uma espécie de "sociedade vigiada". Quem não se enquadra é rotulado como rebelde ou não-convertido.  Nós não queremos isso para a nossa vida.  QUEREMOS GERAR CONSCIÊNCIA, NÃO CONTROLE.  

3-  Como o trabalho em células visa resultados numéricos e financeiros, há obviamente sobre os líderes uma terrível pressão por resultados. A espiritualidade do líder é medida pelo tanto de pessoas que ele consegue atrair e conservar. Isso é muito cruel. Nós não queremos essa opressão sobre as nossas vidas. Além do mais a pressão por resultados gera angústia, disputas, vaidades e úlceras. Fomos enviados a pregar, não a abrir franquias de igrejas. 

 4- Não recebemos orientação quanto à tática para trazer mais pessoas para o grupo. Aqui não há tática PARA NADA. Não queremos táticas para fidelizar nem para evangelizar nem para santificar nem para emocionar.

5- No trabalho em células há um esforço para a uniformização de cada grupo. No Caminho da Graça militamos em outro sentido: cada Estação do Caminho tem um jeito de ser, uma programação, uma cara própia.  Não estamos em uma fôrma, não somos gado. A particularidade e preferências de cada grupo é respeitada. Não há pânico de que alguém saia do controle.  

6- No Caminho da Graça somos orientados a não nos metermos na vida de ninguém. Nós nos dispomos a ouvir quem quer  ser ouvido, ajudar quem quer ajuda. Ninguém tem a obrigação de se expor nem deve ser pressionado a isso. Não tem obrigação de se abrir pra ninguém nem dar satisfação da sua vida se não quiser. Jesus sempre deixou seus discípulos livres, a ponto de perguntar: "quereis vós também retirar-vos?  

 

(Alguns comentários sobre trabalhos em células:  CLIQUE AQUI)