Miração

 

 

Vejo Shiva na sua dança de chuva criando o fogo.

Vejo as raízes desbravando as profundezas da terra e descobrindo os seus íntimos.

Vejo flores comendo a auréola do dia.

Vejo o Poeta sondando os passos das formigas para cantá-las em versos desavisados.

 

A procelária vê a tempestade e repousa nos corações das letargias.

A águia vê a nobreza e voa alto para que os heróis busquem nela os seus brasões.

A coruja vê a clareza não se importando em abrir os seus olhos em meio às escuridões.

O rouxinol conhece o seu brilho vivendo discretamente entre sua vegetação.

 

O Criador mirou a Beleza e viu o Universo.

A Grande Mãe mirou a Vida e viu os seus filhos.

O Mestre mirou o Ensinamento e viu o aprendizado.

O Sábio mirou a Sabedoria e viu o Céu.

 

A Miração em carrossel veio-me como védicos poemas

Destoando a minha desarmonia e alegrando o meu dia

Veio-me como o forte Teseu salvando minha mente de um enorme Minotauro

Veio-me em minhas veias revestidas de agonia, fazendo viver a luz que em mim irradia.

 

Cada Ser mira com o que precisa crescer.

A Miração nos lembra que é preciso seguir adiante

No movimento pulsante da vida terrestre

A Visão é essa substância celeste – que fazendo-nos vislumbrar as virtudes nos conecta com elas.

 

A Mandala Miração vem lá da Floresta

Fazendo-nos ver a Mata que nos habita, o Deus que nos consola, a Virgem que nos purifica, a Mãe que nos adora.

Tornando-nos unos ao que Criou e a sua Criação.

De Sabedoria são feitos os traços da Miração.

 

 

Mandala de Simone Bichara – Texto de Daniella Paula Oliveira