MANDALAS DA FLORESTA

 

Um iluminado orbe nos fita do fundo da sua íris multicolorida que pulsa como células minerais em profusão. É esta a impressão que temos quando deparamos com a obra de Simone Bichara; Sentimo-nos observados pela criação. Não somos espectadores, a arte nos investiga na nossa ancestralidade. Há quem diga que o DNA não é apenas físico, que é também espiritual; considerando tal afirmação, podemos afirmar que a artista trás consigo esta herança espiritual do oriente revelada na sua obra – Tudo é Mosaico – não importa se a técnica é em ladrilhos de cerâmica ou em  pintura, pois ela consegue fazer mosaico pintando. É uma artista que tem unidade de trabalho; o conjunto de sua obra é bem resolvido. Descendente de Árabes, Simone Bichara prova através de seu minucioso mosaico que o DNA físico é um fato; técnica esta, iniciada pelos milenares chineses, difundida pelas civilizações do mediterrâneo e pelos Gregos e Romanos. Hoje o mosaico chegou na civilização Acreana do ano dois mil e está muito bem representado aqui neste Planeta Amazônia. Na obra de Simone Bichara é visível a influência da força desta mágica floresta; suas mandalas caleodeoscópicas arabescas e indígenas em simbiose com os novos símbolos da realidade presente, revelam códigos secretos de remotos arquivos da ânima cósmica. Estas circunferências contêm os quatro elementos da natureza para elaboração da quinta-essência; isto faz parte da trama energética desta nave terra; onde seus canais sutis de energia e cores incandescentes organizam os minerais, os vegetais e os animais. E tudo é exato, assim como na matemática; tudo está em equilíbrio. O caos não existe nesta geometria de cores que da íris dos olhos dos deuses emana. A ordem é harmonia – E assim a seiva das plantas, sutilmente sobe até as folhas para beijar a luz do sol do Oriente que já nasceu antes do consciente do Ocidente despertar.

Bab Franca (Artista Plástico Acreano)