RODA DE CURA

 

Toques suaves na alma e um orvalho equilibrista aos pés dos nossos olhos.

Pelugem das asas de anjos distraídos, que as esqueceram em nossos sonhos.

Ervas esfiapadas e sangradas nas mãos de um curandeiro.

Acalanto silencioso de olhar de mãe. Cheiro de mãe.

Bálsamos confeccionados por suores camponeses.

Colo e oração de criança.

Música. Poesia e dança.

 

Ferida estancada pelos os dedos do coração.

Cicatriz apagada pela a grandeza do perdão.

Dor apaziguada pela a singeleza de um carinho.

A volta de um pássaro ao seu ninho.

Pajés e espuma de mar.

Atenção à respiração e a delicadeza do ar.

 

E tudo mais que o Deus que nos habita dizer que é cura.

Como a Roda de Cura.

Como a Mandala e a sua essência crua.

 

Daniella Paula Oliveira