Disciplina: Geografia

Série/Ano: 6ª série/7º ano

Vol/Bim: Vol 2/4ºBm

CADERNO DO PROFESSOR/ALUNO

Situação de Aprendizagem (Número/título)

Sequência Didática

Recursos audiovisuais e/ou de TIs  sugeridos no caderno

Recursos audiovisuais e/ou de TIs sugeridos pelo PCNP

Interfaces interdisciplinares / Temas trasnsversais

Situação de Aprendizagem 5 – O Brasil dos Migrantes.

Competências e habilidades: estabelecer relações entre diferentes informações geográficas expressas em diversas linguagens; descrever aspectos da população brasileira utilizando informações extraídas de mapas; explicar a mobilidade populacional a partir de sua própria experiência de vida.

 

Etapa prévia – Sondagem inicial e sensibilização

Para iniciar o trabalho sobre os fluxos migratórios no Brasil, sugerimos que os alunos reflitam a respeito dos percursos pelo território nacional, realizados pelos seus familiares e/ou pelas pessoas com quem residem, até o momento em que eles fixaram residência no atual município. Para isso, propomos que você oriente a turma a levantar dados de acordo com o roteiro a seguir, para um processo de mapeamento a ser consolidado em sala de aula. Caso perceba que o levantamento fundamentado somente no histórico familiar mais próximo do aluno não trará os resultados esperados, oriente-os a pesquisar a história de pessoas que eles conhecem e que vieram de outras localidades. 1. Os alunos devem preencher o Quadro 4, a seguir (disponível no Caderno do Aluno) com informações sobre suas famílias ou sobre pessoas conhecidas que realizaram movimentos migratórios. De posse dos dados levantados pelos alunos entre seus familiares e/ou conhecidos, sugerimos que você introduza a discussão da mobilidade espacial e dos fluxos migratórios da população brasileira. Em primeiro lugar, incentive os alunos a trocar informações em pequenos grupos. Cada aluno poderá explicar para os colegas a história de sua família ou conhecidos, descrevendo qual foi o percurso que os levou a residir no atual município. 2. Na sequência, os alunos deverão traçar no mapa mudo do Brasil, disponível no Caderno do Aluno, o percurso pelo território nacional feito por sua família e/ou pelas pessoas que entrevistou. Para isso, você poderá utilizar o seguinte roteiro de orientação: Escreva na lousa o nome dos Estados brasileiros e peça que os alunos levantem a mão para contar rapidamente em quais unidades da federação membros de sua família (ou os conhecidos entrevistados) nasceram ou em que região algum deles já tenha residido. Assim, você poderá obter, com a turma, o total de alunos que possui alguma relação com cada um dos Estados brasileiros. A partir desses totais, defina com a turma uma legenda para a elaboração de um mapa temático do território percorrido pelas famílias e/ou conhecidos dos alunos. Trata-se de uma oportunidade de verificação do domínio da linguagem cartográfica, desenvolvida no decorrer do ano letivo. Após colorir o mapa mudo com os dados levantados e arrolados na lousa, de acordo com a legenda estabelecida coletivamente, cada aluno poderá traçar os percursos de seus membros familiares e/ou conhecidos, desde o local de nascimento até o município atual de residência, estabelecendo formas diferentes de linha para cada um. 3. Com base nas informações do quadro, os alunos deverão fazer um resumo, no caderno, do percurso de sua família e/ou das pessoas entrevistadas pelo território nacional, considerando as diferenças de origem das diversas gerações.

 

Etapa 1 – Os fluxos migratórios do ponto de vista do migrante

O ponto de partida desta etapa poderá ser a comparação dos resultados obtidos no trabalho de mapeamento dos percursos da família pelo território nacional. A turma poderá ser incentivada a comparar os mapas elaborados, enquanto você observa o desempenho dos alunos com relação ao manuseio dos dados e à elaboração dos mapas, o que lhe permitirá avaliar uma série de habilidades, conforme sugerimos na ficha de observação do desempenho disponível no caderno do aluno. Para comparar os mapas elaborados, ainda na seção Pesquisa individual, os alunos poderão responder às questões a seguir. 4. Quais são as semelhanças e diferenças entre os percursos dos familiares dos alunos e/ou das pessoas selecionadas por eles? 5. Seria possível identificar algumas “regiões de maior saída de familiares e/ou conhecidos”? Em caso positivo, procure explicar esse fenômeno. Durante a realização desta atividade, você poderá observar o desempenho dos alunos com relação ao manuseio dos dados e à elaboração dos mapas, o que lhe permitirá avaliar a capacidade da turma de fazer inferências diante da difícil decisão de ficar ou partir. Para que a turma compreenda melhor esse dilema, sugerimos que você analise com os alunos os dois mapas das Figuras 26 e 27, disponíveis no Caderno do Aluno, elaborados a partir do relato de migrantes nordestinos que resistem na condição de trabalhadores rurais em um país com intensas transformações no espaço agrário.

 

Leitura e análise de mapa

Os mapas poderão ser trabalhados com os alunos através das atividades a seguir, presentes no Caderno do Aluno. 1. O mapa da Figura 26 mostra que, durante três anos, o trabalhador rural Elias dividiu seu tempo entre Santo Antônio dos Lopes (MA) e Ibaté (SP). a) Identifique o tipo de trabalho que ele exercia em cada um desses municípios. b) Anualmente, quanto tempo ele passava em cada um deles? 2. O mapa da Figura 27 mostra que Adalto, outro trabalhador rural, sempre migrou com sua família. a) Descreva o primeiro deslocamento populacional realizado por essa família e identifique o tipo de trabalho que seus membros realizavam no município de destino. b) Descreva o segundo deslocamento populacional realizado por essa família e identifique o tipo de trabalho que seus membros realizavam no município de destino. c) Após 10 anos no Estado de São Paulo, essa família voltou para a Bahia. Essa volta foi permanente? Explique. 3. Os migrantes sazonais são aqueles que deixam seu local de origem para trabalhar durante alguns meses e depois retornam. Os migrantes permanentes são aqueles que buscam se estabelecer fora de seu lugar de origem e sua trajetória pode envolver diversos deslocamentos. Que tipo de migrante é cada um desses  trabalhadores rurais?

 

Etapa 2 – Os fluxos migratórios

 

Leitura e análise de mapa

Tendo em vista os resultados obtidos pelos alunos na comparação dos mapas temáticos das Figuras 26 e 27, desafie a turma a obter uma síntese das discussões, considerando as informações da coleção de mapas da Figura 28. Feita a leitura exploratória dos mapas, sugerimos que organize os alunos em duplas para responder às questões a seguir no Caderno do Aluno. 1. Entre 1995 e 2000, o fluxo de migração inter-regional mais intenso teve origem em qual região brasileira? Sugira uma explicação para esse fluxo migratório. 2. De qual região partiu o fluxo mais intenso de migrantes com destino à região Sul? O que poderia explicar esse fluxo? 3. Para onde se deslocou a maior parte dos migrantes que deixaram a região Sudeste? O que poderia significar esse deslocamento? 4. Com o auxílio da coleção de mapas da Figura 28, classifique as regiões brasileiras de 1 a 5, considerando como 1 a que recebeu o maior número de migrantes entre 1995 e 2000. 5. Explique a diferença entre o fenômeno representado na coleção de mapas da Figura 28 e o fenômeno representado nos dois mapas das Figuras 26 e 27.

 

Seção Desafio!

Para aprofundar o tema abordado até o momento nesta Situação de Aprendizagem, sugerimos na seção Desafio! as questões a seguir. 1. Retome e discuta com os alunos o levantamento feito por eles na Pesquisa individual a respeito das Unidades Federativas de origem das famílias e/ou dos entrevistados. Na sequência, solicite que preencham o quadro disponível no Caderno do Aluno anotando o número de alunos e as Unidades Federativas de origem das famílias e/ou entrevistados para cada região do Brasil (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul). 2. Agora os alunos devem identificar algumas regiões de maior saída de familiares e/ou entrevistados e tentar explicar esse fenômeno. 3. Na sequência, deverão comparar as informações sobre o número de familiares e/ou entrevistados da turma que migraram das diferentes regiões brasileiras para o Estado de São Paulo, registradas no quadro do Caderno do Aluno que eles preencheram, com os fluxos de migração para a região Sudeste no mapa da coleção Migrações internas no Brasil, 1995-2000 (Figura 28) e responder: que semelhanças e diferenças foram encontradas? Comente-as.

 

Lição de casa

Para encerrar esta Situação de Aprendizagem, sugerimos a seguinte atividade na seção Lição de casa do Caderno do Aluno. Além das migrações inter-regionais, a série de mapas Migrações internas no Brasil, 1995-2000 (Figura 28) informa também o total de pessoas que migraram no interior de cada uma das regiões brasileiras, ou seja, mudaram de cidade ou de Estado, mas permaneceram em uma mesma região. Classifique as regiões brasileiras de 1 a 5, considerando como 1 a região com maior número de pessoas que se deslocaram internamente.

mapas temáticos; textos narrativos;

Texto de apoio

http://www.brasilescola.com/brasil/a-migracao-atual-no-brasil.htm

Nova dinâmica migratória do Brasil - Migração na primeira década do séc. XXI

VÍDEO - GLOBO

http://www.youtube.com/watch?v=72t-AEViNIs

Arquivo de Vídeos

CLIQUE AQUI

Mapas Interativos

CLIQUE AQUI

Recursos Didáticos

CLIQUE AQUI

Banco Internacional de Objetos Educacionais

CLIQUE AQUI

Programa EJA - Mundo do Trabalho uma série de materiais didáticos

CLIQUE AQUI

Telecurso Ensino Fundamental

CLIQUE AQUI

Telecurso Ensino Médio

CLIQUE AQUI

Currículo mais

CLIQUE AQUI

Ciências Humanas - Material didático

CLIQUE AQUI

VÍDEO -

MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS

Aula de Geografia

https://www.youtube.com/watch?v=Hdyx0gw2xww

Videoaula de Geografia - Estrutura e Movimentos Populacionais - Migrações Internas

https://www.youtube.com/watch?v=NfnbBRadsdk

Situação de Aprendizagem 6 – As diferenciações no território.

Competências e habilidades: construir e interpretar mapas e modelos; comparar informações geográficas expressas em diferentes linguagens.

 

Etapa prévia – Sondagem inicial e sensibilização

 

Leitura e análise de texto

Para introduzir o tema, sugerimos a leitura de algumas passagens da vida de um brasileiro, conforme os textos disponíveis no Caderno do Aluno. Sugerimos que a turma seja desafiada a identificar os percursos da família desse brasileiro, bem como o que mudou na vida dele e na sua cidade de residência ao longo do tempo, conforme as atividades propostas no Caderno do Aluno.

 

Etapa 1 – A distribuição da infraestrutura

Sugerimos que você oriente os alunos a produzir modelos tridimensionais seguindo a orientação para confecção dos modelos disponível no caderno do aluno, cuja volumetria indique o acúmulo desigual de tecnologia pelo território nacional, com base nos mapas temáticos da Figura 30. Uma vez concluída a confecção dos modelos, os trabalhos elaborados pelos alunos poderão ser expostos em sala de aula. A partir da comparação dos modelos, você poderá lançar perguntas à turma sobre a difusão desigual das novas tecnologias pelo território nacional.

 

Leitura e análise de mapa

Em relação aos mapas da Figura 30, sugerimos a atividade a seguir no Caderno do Aluno. 1. Observe os mapas e comente a distribuição espacial dos fenômenos: telefonia fixa, telefonia móvel, TV por assinatura, internet banda larga, municípios com jornal e municípios com estação de rádio FM representados nos mapas. Para concluir a atividade, o passo seguinte é considerar o impacto desse acúmulo desigual das inovações na rede urbana brasileira, o que será trabalhado na próxima etapa.

 

Etapa 2 – As cidades brasileiras

Sugerimos que se inicie esta etapa lembrando os alunos que as cidades constituem, no momento atual, um elo entre o local de residência e as relações sociais e econômicas cada vez mais globalizadas. As cidades situadas na porção do território com maior acúmulo das inovações tecnológicas têm melhores condições de exercer esse papel. Após essa breve introdução, desafie os alunos a ler e a interpretar o mapa com a distribuição da população urbana pelo território nacional (Figura 31), chamando a atenção para os círculos proporcionais indicados na legenda. Essa atividade pode também ser realizada como Lição de casa ou como você considerar mais adequado aos seus alunos.

 

Lição de casa

2. Observe atentamente o mapa da Figura 31. Quais capitais brasileiras tinham, em 2010, uma população urbana superior a 1 milhão de habitantes? 3. Comparando o mapa Distribuição da população urbana, 2010 (Figura 31) com os mapas da Figura 30, divida as capitais listadas na questão anterior em dois grupos, conforme o quadro disponível no caderno do aluno.

Mapas; modelos;

DIAS, Leila Christina; SILVEIRA, Rogério Leandro Lima da (Org.). Redes, sociedades e territórios. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2005.

SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil:

território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão (Org.). Cidades médias: espaços em transição. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

Base de dados econômicos e financeiros mantida

pelo Ipea – IPEADATA. Disponível em:

<http://www.ipeadata.gov.br>

Acesso em: 26 nov. 2013.

Sistema IBGE de recuperação automática –

Sidra. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br>.

 Acesso em: 26 nov. 2013.

TEXTO DE APOIO

Arquivo de Vídeos

CLIQUE AQUI

Mapas Interativos

CLIQUE AQUI

Recursos Didáticos

CLIQUE AQUI

Banco Internacional de Objetos Educacionais

CLIQUE AQUI

Programa EJA - Mundo do Trabalho uma série de materiais didáticos

CLIQUE AQUI

Telecurso Ensino Fundamental

CLIQUE AQUI

Telecurso Ensino Médio

CLIQUE AQUI

Currículo mais

CLIQUE AQUI

Ciências Humanas - Material didático

CLIQUE AQUI

Situação de Aprendizagem 7 – A distribuição da atividade Industrial no Brasil. 

Competências e habilidades: explicar a diferencialidade espacial a partir da análise da distribuição territorial da atividade industrial; construir e interpretar cartogramas.

 

Etapa prévia – Sondagem inicial e sensibilização

Para o envolvimento dos alunos na discussão da concentração e descentralização industrial, leve-os a perceber a diversidade de produtos industriais presentes em nossa vida cotidiana. Para isso, sugerimos que se trabalhe com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)a desenvolvida pelo Conselho Nacional de  Classificação (CONCLA) do IBGE (Quadro 7), solicitando aos alunos que deem exemplos de produtos relacionados a cada um dos setores listados. O quadro está disponível, para que os alunos preencham, no Caderno do Aluno, na seção Para começo de conversa. Uma vez tendo dialogado com a turma a respeito dos setores industriais e da diversidade de itens fabricados, sugerimos que você oriente os alunos no levantamento de dados a respeito dos produtos industrializados existentes em casa e na elaboração de um mapa com os resultados da pesquisa, conforme atividade proposta na seção Lição de casa do Caderno do Aluno. 1. Faça uma pesquisa e selecione pelo menos dez produtos que apresentem na embalagem ou no selo do fabricante informações sobre o nome e a localização da fábrica na qual ele foi produzido. Indique também o setor da indústria de transformação ao qual pertence o produto. Para isso, consulte a tabela Classificação nacional de atividades econômicas (Quadro 7). Os alunos terão uma tabela como a do modelo a seguir para preencher no Caderno do Aluno.

 

2. Escolha um símbolo (cruz, triângulo, quadrado etc.) para cada setor da indústria indicado na primeira coluna da tabela anterior, desenhando-o ao lado do nome de cada setor.  3. Com o apoio de mapas políticos do Brasil e das Unidades Federativas, indique aproximadamente a localização das fábricas no mapa mudo (disponível no Caderno do Aluno), utilizando os símbolos selecionados para os setores da indústria.

 

Etapa 1 – A descentralização da atividade industrial

Enquanto os alunos apresentam seus mapas e comparam com os mapas dos colegas e/ou de um atlas e dos livros didáticos, você poderá registrar na lousa quem identificou um produto fabricado no município mais distante do Estado de São Paulo. Seguir as orientações disponíveis no Caderno do Professor.

 

Etapa 2 – A concentração industrial brasileira

Para falar sobre a concentração das cadeias de comando da produção em São Paulo que permaneceu na década de 2010, oferecemos o conjunto de mapas (Figuras 32 a 35) a seguir como material de apoio ao trabalho em sala de aula. As atividades sugeridas estão disponíveis no Caderno do Aluno.

 

Leitura e análise de mapa

1. Com base nos mapas a seguir (Figuras 32 e 33), responda às questões propostas. a) Onde está situada a maior parte dos estabelecimentos industriais fundados no Brasil antes de 1969? b) Onde está situada a maior parte dos estabelecimentos industriais fundados no Brasil após 1995? c) Com base nos dois mapas, é correto afirmar que a indústria brasileira se tornou menos concentrada entre 1969 e 1995? Justifique sua resposta.  2. Observe agora os mapas das Figuras 34 e 35. a) Considerando o mapa Distribuição espacial da indústria, 2009 – Empresas industriais (Figura 34), identifique os estados brasileiros que abrigam o maior número de empresas. Em quais regiões eles estão situados? b) De acordo com o mapa Principais setores industriais, 2009 (Figura 35), quais setores têm maior concentração no Estado de São Paulo e quais estão mais dispersos no território nacional? Você poderá, ainda, perguntar quem saberia localizar no mapa cidades que abrigam empresas no Nordeste, no Norte ou no Centro-Oeste do país. Considerando o trabalho de Cartografia desenvolvido no decorrer da 6ª série/7º ano, espera-se que os alunos estejam familiarizados com o mapa político do Brasil.

 

Você aprendeu?

Para finalizar esta Situação de Aprendizagem, na seção Você aprendeu?, propomos a questão a seguir. Por que, apesar do processo de descentralização, o comando sobre a atividade industrial permanece concentrado nas proximidades da cidade de São Paulo?

   

Mapas temáticos; tabelas de dados estatísticos;

SANTOS, Milton. O espaço dividido:

os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro:

Francisco Alves, 1979.

Texto de apoio

Vídeos sobre a substituição de importação - concentração / desconcentração industrial - tecnopolos

http://www.youtube.com/watch?v=IhpnFFH3N54

Arquivo de Vídeos

CLIQUE AQUI

Mapas Interativos

CLIQUE AQUI

Recursos Didáticos

CLIQUE AQUI

Banco Internacional de Objetos Educacionais

CLIQUE AQUI

Programa EJA - Mundo do Trabalho uma série de materiais didáticos

CLIQUE AQUI

Telecurso Ensino Fundamental

CLIQUE AQUI

Telecurso Ensino Médio

CLIQUE AQUI

Currículo mais

CLIQUE AQUI

Ciências Humanas - Material didático

CLIQUE AQUI

Situação de Aprendizagem 8 – Perspectivas do espaço agrário brasileiro.

Competências e habilidades: inferir e julgar opiniões e pontos de vista; aplicar conhecimentos geográficos na compreensão de diferentes atores sociais.

 

Etapa prévia – Sondagem inicial e sensibilização

A principal referência que sugerimos a  você é o Censo agropecuário de 2006, que pode ser acessado na página do IBGE, disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/agropecuaria/censoagro/2006/agropecuario.pdf> (acesso em: 14 abr. 2014). Propomos que os alunos façam uma comparação entre dois mapas (Figura 36 e 37), procurando identificar as transformações que ocorreram na ocupação do território brasileiro com a agropecuária no intervalo de dez anos. Em continuidade, pode-se perguntar à turma sobre as razões e consequências dessas mudanças. Verifique, neste momento, se algum aluno consegue associar a expansão da agropecuária com o aumento do desmatamento da Floresta Amazônica ou com a diminuição do trabalho na terra. Há duas questões no Caderno do Aluno que podem ajudá-lo nessa tarefa, já que esses acontecimentos serão objeto de análise nas duas etapas subsequentes.

 

Leitura e análise de mapa

Observe os dois mapas (Figura 36 e 37) para responder às questões a seguir. 1. Com base nos mapas, identifique as transformações que ocorreram na distribuição geográfica e na intensidade da atividade pecuária entre 1995 e 2006. 2. Aponte pelo menos uma causa e uma consequência dessa transformação.

 

Etapa 1 − O aumento da produtividade rural

O aumento da produtividade do estabelecimento rural por meio da incorporação de técnicas mais eficientes, da mecanização e do uso de insumos agrícolas é um mecanismo importante para analisar o espaço agrário brasileiro. Propomos que os alunos operem com esse mecanismo, por meio da análise de dados estatísticos, bem como da elaboração de textos explicativos e discussão em grupo. Para isso, a turma poderá trabalhar com dados estatísticos publicados no Censo agropecuário de 2006 ou com a série histórica da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do Ministério da Agricultura, exercitando-se na leitura e elaboração de gráficos. Caso você tenha interesse em utilizar outros exemplos, sugerimos a consulta ao site da Conab, disponível em: <http://www.conab.gov.br> (acesso em: 26 nov. 2013). Um gráfico que os alunos poderiam analisar é o da Figura 38, disponível no Caderno do Aluno. No processo de leitura, sugerimos que explique para a turma como esse tipo de gráfico é elaborado: o dado de cada ano é localizado no cruzamento das variáveis dos eixos (ano e número de pessoas ou tratores); a linha é a junção dos pontos assinalados. Os alunos poderão ser informados que o gráfico de linhas é utilizado para mostrar a mudança de uma variável com referência à outra.

 

Leitura e análise de gráfico e tabela

No Caderno do Aluno, sugerimos as questões a seguir como subsídio para análise do gráfico. 1. O gráfico (Figura 38) representa duas variáveis importantes para a compreensão da evolução recente da agropecuária brasileira: pessoal ocupado e número de tratores. a) Comente a evolução da variável pessoal ocupado entre 1970 e 2006. b) Comente a evolução da variável número de tratores entre 1970 e 2006. c) Procure estabelecer uma relação entre o comportamento dessas duas variáveis ao longo do período abordado no gráfico.  Em seguida, os próprios alunos poderão confeccionar os seus gráficos de linhas com base nos dados das tabelas (Quadro 9 e 10), que apresentam uma série histórica com dados de produtividade agrícola e da pecuária bovina no Brasil. Para isso, sugerimos que eles sejam divididos em duplas. 2. Observe as tabelas a seguir (Quadros 9 e 10), que apresentam uma série histórica com dados de produtividade agrícola e da pecuária bovina no Brasil. a) Com a orientação de seu professor, represente as informações de cada uma das tabelas em um gráfico de linhas. Para tanto, use as páginas quadriculadas a seguir. Explique aos alunos que, nos gráficos, serão definidas duas escalas diferentes: uma para a área da produção e a outra para o volume da produção. No Caderno do Aluno, estão disponíveis páginas quadriculadas para realização dos gráficos. Uma vez concluída a tarefa de elaboração dos gráficos de linha, os trabalhos poderão ser expostos em sala de aula e, sob sua orientação, a turma poderá chegar a suas próprias conclusões a respeito do processo de aumento da produtividade da agropecuária brasileira. b) Com base nos gráficos que os alunos elaboraram, eles deverão responder: Tanto na agricultura quanto na pecuária observa-se incremento de produtividade entre 1975/1976 e 2006? Justifique sua resposta. 3. Observe atentamente o gráfico disponível no caderno e responda: a) O que o gráfico mostra a respeito da evolução da área total ocupada pela agropecuária entre 1985 e 2006?. b) Considerando suas respostas às atividades anteriores, você acha correto afirmar que essa redução da área levou a uma diminuição na produção? Justifique sua resposta.

 

Etapa 2 – Os conflitos no campo

Nesta etapa, propomos que os alunos apliquem seus conhecimentos na compreensão dos processos estudados, considerando a dinâmica territorial do país e as relações sociais entre diferentes segmentos da sociedade brasileira. Para isso, sugerimos a leitura de breves relatos da vida de alguns brasileiros, e as atividades a seguir relacionadas a esses depoimentos, disponíveis no Caderno do Aluno, na seção Lição de casa. 1. Leia atentamente os relatos a seguir e busque identificar seus autores. Pequeno produtor, Boia-fria, Empresário do campo, Trabalhador rural que participou do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem--Terra (MST), Latifundiário. Uma vez feita a correspondência entre as falas e o sujeito social, a turma poderá ser desafiada a estabelecer possíveis relações entre eles, com a atividade proposta a seguir. 2. Construa um diagrama com setas, indicando possíveis relações entre os autores dos relatos. Várias outras possibilidades poderiam ser  imaginadas pelos alunos. Sugerimos que você incentive a turma a pensar no assunto, elaborando outros diagramas possíveis. Enquanto as duplas trabalham, observe o rendimento dos alunos.

 

Leitura e análise de imagem

Na sequência, sugerimos, no Caderno do Aluno, uma atividade de análise das imagens das Figuras 42 e 43, disponível no material. A primeira delas é a de um congresso promovido pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). A segunda é a da marcha que encerrou esse congresso. Com base nelas, responda: 1. De acordo com a faixa em destaque na Figura 42, qual é a função mais importante da agricultura? 2. De que maneira a reivindicação manifestada na faixa em destaque na Figura 43 pode ajudar a agricultura brasileira a cumprir essa função?

Mapas temáticos; textos

Página do IBGE,

disponível em:

CLIQUE AQUI

(acesso em: 14 abr. 2014)

Site da Conab, disponível

em: <http://www.conab.gov.br>

(acesso em: 26 nov. 2013).

Livro: Migração no Brasil. Santos, Regina Bega; SP - Scipione, 2002

http://www.ibge.gov.br/home/

TEXTO DE APOIO

TEXTO DE APOIO

Arquivo de Vídeos

CLIQUE AQUI

Mapas Interativos

CLIQUE AQUI

Recursos Didáticos

CLIQUE AQUI

Banco Internacional de Objetos Educacionais

CLIQUE AQUI

Programa EJA - Mundo do Trabalho uma série de materiais didáticos

CLIQUE AQUI

Telecurso Ensino Fundamental

CLIQUE AQUI

Telecurso Ensino Médio

CLIQUE AQUI

Currículo mais

CLIQUE AQUI

Ciências Humanas - Material didático

CLIQUE AQUI

 

PROPOSTAS DE SITUAÇÕES DE RECUPERAÇÃO

Para as quatro primeiras Situações de Aprendizagem, como objetivo essencial, na recuperação, espera-se que os alunos compreendam as diferentes propostas de compartimentalização da natureza brasileira analisadas ao longo do Caderno. Para isso, sugerimos que os alunos produzam uma legenda explicativa para os mapas das Figuras 8, 9 e 23, sintetizando as informações neles contidos. Depois, sugerimos que os alunos completem as fichas (vide modelo no material), referentes a três biomas brasileiros: Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica. Para finalizar, os alunos deverão refazer individualmente a atividade proposta na etapa de sensibilização da Situação de Aprendizagem  4, sugerindo uma atividade (econômica, científica e de lazer) adequada para cada uma das Unidades de Conservação. Para as quatro últimas Situações de Aprendizagem, temos duas sugestões.

 

Situação 1 − Leitura e interpretação de mapas temáticos

No site do Atlas escolar do IBGE, disponível em: <http://atlasescolar.ibge.gov.br/mapas-atlas>, acesso em: 3 fev. 2014, é possível acessar uma coleção de mapas temáticos do Brasil, e também do mundo, que podem ser copiados livremente. Para o aluno com dificuldade na leitura cartográfica, poderá ser solicitada: a comparação entre os mapas em termos das principais regiões de expansão da área de cultivo; a associação desses mapas com aqueles trabalhados em sala de aula, procurando-se identificar possíveis impactos ambientais e conflitos sociais.

 

Situação 2 − Sessão de cinema

Você poderá reproduzir o vídeo Juventude rural, disponível no site do Ministério do Desenvolvimento Agrário: <http://www.mda.gov.br/portal/tvmda/videos-view?video_id=3626279>. Acesso em: 26 nov. 2013. O aluno poderá observar atentamente as condições de vida dos jovens brasileiros que vivem no campo, identificando as dificuldades e as políticas de incentivo para a fixação dessa população na terra. Com base nessas observações, os alunos podem ser desafiados a elaborar um pequeno resumo das informações contidas no vídeo, considerando evidências da: relação cidade/campo; industrialização; resistência dos pequenos produtores. 

EM DESENVOLVIMENTO POR CLEUNICE DIAS DE OLIVEIRA - ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO EM 04/11/2014 ÀS 16H50MIN

CEDIDO PELO AUTOR PARA USO EXCLUSIVAMENTE DIDÁTICO SOB RESPONSABILIDADE DOS GESTORES ESCOLARES NAS ESCOLAS ESTADUAIS JURISDICIONADAS À DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO SÃO VICENTE - PROIBIDA A REPRODUÇÃO FORA DA JURISDIÇÃO OU PARA FINS COMERCIAIS E/OU ACADÊMICOS