As potencialidades do computador e da internet na educação: implicações no processo de ensino e aprendizagem

Autores:

Adriele Silva Araújo¹, Aline Cristina Avellar de Almeida¹, Aline Nathalia Carvalho Silva¹, Brian Rovere Santos¹, Bruna de Araújo Ramos¹,Cleicy Helin Costa Adiodato¹, Hugo Oliveira Versiani¹, Janayna Luiza Sales Queiroz¹,Joice Pinho de Almeida¹, Leidyane de Souza Barbosa¹, Lisiane Ribeiro Veras¹,Luciana de Jesus Brito¹, Maria Edelmice Carneiro de Sousa¹, Maria Elizabete de Oliveira Pinheiro Klava¹, Marta Maria de S. Oliveira, Rodrigo Achetta¹, Samara Amaro V. da Silva¹, Tabata de Aquino Gerk¹, Thiego Carlos da Silva¹, Yascara Marina Ferreira Alves¹, Pedro Andrade².

¹Estudantes do Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação - FE da Universidade de Brasília - UnB.

²Professor da disciplina Práticas Mediáticas na Educação, na Faculdade de Educação - FE da Universidade de Brasília - UnB.

Siglas:

3D: Tridimensional

EAD: Educação a Distância

FE: Faculdade de Educação

PME: Práticas Mediáticas na Educação

UnB: Universidade de Brasília

Resumo

O objetivo deste documento é englobar os conhecimentos compartilhados durante as aulas de PME e fazer uma exposição de possibilidades de uso do computador e da internet dentro da escola. Considerando as dificuldades encontradas no rompimento de paradigmas educacionais, discutem-se meios de inserir o computador nas escolas sem que os materiais tradicionais, como livros e quadro negro, sejam extintos. (FALTA COMPLEMENTAR)

Palavras-Chave: Educação; Tecnologia; Mídias; Internet; Política;

Introdução

Aprendemos na nossa disciplina que o giz, a lousa, o retroprojetor, o  vídeo, a televisão, o jornal impresso, um aparelho gravador, um videocassete, o rádio, o livro impresso, entre outros são tecnologias utilizadas na educação, mas o computador e a internet têm ganhado destaque, desempenhando importante papel entre esses recursos e ao mesmo tempo agregando-os. Além de serem consideradas tecnologias, são também mídias, onde fluem informação e comunicação.

A escola não tem sido tão atrativa quanto as mídias na vida pessoal de seus alunos, pois, o avanço das mesmas tem sido grande em relação as possibilidades de interação, estímulos e experiências.  Para “concorrer” com as mídias, a escola se vê na necessidade de utilizar esses recursos a seu favor. Ainda assim, não podemos considerar essa a principal motivação da inserção de novas tecnologias na escola.

Segundo Chaves (2011), hoje em dia, quando a expressão “Tecnologia na Educação” é empregada, dificilmente se pensa em giz e quadro-negro ou mesmo em livros e revistas impressos. Normalmente, quando se usa essa expressão, a atenção se concentra no computador, que se tornou o ponto de convergência de todas as tecnologias mais recentes (e de algumas antigas). Especialmente depois do enorme sucesso comercial da Internet, computadores raramente são vistos como máquinas isoladas, sendo sempre imaginados em rede. Mas em quais aspectos o computador e a Internet tem mais vantagens como recursos educativos? E onde fica o papel do material didático “tradicional” na educação?

As Mídias e a Educação

Os recursos como o computador e internet têm sido ótimas ferramentas para estimular o raciocínio lógico e o desenvolvimento da autonomia de muitas crianças no que diz respeito ao uso desses recursos nas escolas. A utilização desses recursos em um ambiente particular, como sua casa por exemplo, sem qualquer orientação (seja pedagógica, familiar, de amigos), pode sujeitar não só às crianças, mas também jovens e adultos, a uma mudança drástica de estilo de vida, podendo ocorrer um afastamento entre essa pessoa e sua vida social real (levando em consideração que há vida social virtual pela Internet),por isso a utilização de tal meio deve ser ,não privado mas sim advertido,através de uma educação impedindo assim o afastamento de tais alunos de sua vida “real”. É importante que esse acesso contínuo ou aleatório, seja acompanhado por um mediador, para que essas informações sejam filtradas e transmitidas de forma adequada. Com isso, esses sujeitos poderão elaborar uma posição crítica, alterar esse processo, não se tornando um simples receptor passivo de ideias, mas um agente de transformação do meio no qual está inserido.

 Em especial o computador e a Internet auxiliam os trabalhos de pesquisa, elaboração e criação de vídeos, documentos, cartazes, etc, dos alunos, oferecendo maiores possibilidades de desenvolvimento cognitivo e de produção autônoma, devido a variedade de possibilidades oferecidas pelos aplicativos e hipertextos existentes nesses recursos. O uso da Internet de forma adequada traz inúmeros benefícios, como por exemplo, a praticidade e a rapidez. Podemos pesquisar assuntos a qualquer momento, tirar dúvidas a qualquer hora e agora com o acesso no celular é que tem facilitado mais ainda o nosso acesso. É útil não só para o aluno bem como para o professor, além dos demais sujeitos da sociedade. Traz inúmeras informações relacionadas a qualquer assunto, de qualquer lugar, que podem ser usufruídas de forma instantânea.

Neste sentido, a Internet permite a participação simultânea de vários sujeitos num mesmo ambiente suprimindo a questão tempo-espaço, pois o uso do computador no  cotidiano favorecem a essas práticas. Outro aspecto importante são as oficinas realizadas para a utilização dessas ferramentas, ou seja, por meio do computador teoria e prática são desenvolvidos sobre o conteúdo escolhido e proporciona ao educando sua formação acadêmica pela autonomia mediada pelo computador.

As tecnologias educacionais participam de uma avaliação nacional. Já não fazemos parte da época em que a tecnologia era fria, enquadrada, sem mediação pedagógica. O que é importante hoje para o crescimento é basicamente a maturidade nas relações com as tecnologias. O Brasil precisa elaborar uma estratégia educacional distante da lógica do Mercado. Temos pesquisadores qualificados em educação em todo o território brasileiro,  profissionais que querem pesquisar e refletir essas práticas, ou seja,  o real valor do uso das novas mídias no aprendizado; as novas tecnologias tem proporcionado facilidades e não mais um trabalho duro e cansativo e isso abrange todas as modalidades de ensino, conseguindo também uma relevância em comportamento e envolvimento nos assuntos estudados. os livros em mídia é algo tremendamente importante.

Destaca-se também a grande importância dessas tecnologias para a Educação a Distância, já que a mesma não poderia ser concebida sem a utilização das mesmas, no modelo atual e predominante de EAD. (considerando-se que outros modelos não utilizam a Internet e o computador). A EAD tem sido fundamental para educação em cidades que o acesso é difícil. “Na Internet é possível encontrar diversos tipos de práticas educacionais: pesquisas, divulgações, “home pages”. Serve também como suporte nas atividades de ensino, fornecendo textos, imagens, livros, revistas, vídeos, etc. “ (CRISTINE, 2011).

O aluno dentro desta nova realidade de tecnologias deixa de ser um mero receptor do conhecimento passando portanto, a ser o protagonista  na construção do seu conhecimento. Segundo Valente  (2001), o conhecimento não é passado para o aluno. O aluno não é mais instruído, ensinado, mas é o construtor do seu próprio conhecimento. Esse é o paradigma construcionista onde a ênfase está na aprendizagem ao invés de estar no ensino; na construção do conhecimento e não na instrução. O conhecimento deixa de ser exclusivo do professor e passa  a  estar acessível  ao aluno, e não mais limitado ao espaço da sala de aula.

        Valente (2011), p. 3, indica um rumo para a Educação:

“A Educação pode assumir uma outra dimensão na qual o ensinar pode ter um outro significado: proporcionar condições para que a aprendizagem seja produto de um processo de construção de conhecimento que o aprendiz realiza na interação com o mundo dos objetos e do social. Neste sentido, aprender significa o aprendiz ser capaz de utilizar sua experiência de vida e conhecimentos já adquiridos na atribuição de novos significados e na transformação da informação obtida, convertendo-a em conhecimento.”

Nesse sentido, essas novas tecnologias colaboraram para a reconstrução da relação professor-aluno e do processo de ensino-aprendizagem. A EAD via Internet, por exemplo, ajudou nesse repensar da Educação. No entanto essa nova prática educativa não é exclusiva do meio virtual, sendo reconstruído o ensino presencial/tradicional a partir dessa reflexão. O uso de computadores e Internet na escola ajudam nessa reconstrução, promovendo autonomia, colaboração e interação.

Considerações Finais

De acordo com as aulas ministradas, oficinas, discussões e debates à luz dos referenciais teóricos estudados no ambiente virtual da disciplina, podemos ressaltar que com essas tecnologias a sempre  elaborar e inovar no exercício docente, tornando-as mais produtivas, sendo assim o giz e a lousa ficam em segundo plano, afinal a Internet juntamente com o computador e um retroprojetor trazem o conteúdo mais próximo do aluno com imagens, exemplos e vídeos que de certa forma traz um conteúdo de ciências e com um vídeo do Youtube sobre formação do corpo humano, uma imagem 3D e convida os alunos para uma viagem dentro do corpo conhecendo as localizações de cada órgão e em uma outra imagem a função de cada órgão descoberto anteriormente, em matemática e português a funcionalidade dessas novas tecnologias ainda são mais usadas como lúdicas ou ilustrativas não deixando de ter vídeos e aplicativos que muito ajudam no aprendizado dos alunos tirando assim a monotonia dos alunos, usando um recurso que é pouco utilizado e que teve um investimento muito alto vindo do governo além de tornar a aula muito mais dinâmica.

Não deixando de dar igual importância para os recursos “tradicionais” de ensino, como quadro negro, retroprojetor, livros impressos, por exemplo, porque cada um tem sua relevância no contexto educacional. O computador juntamente com a internet não fazem um trabalho completo e suficiente para o processo de ensino-aprendizagem do aluno, mas não há como negar que a internet traz vantagens significativas para colaborar nesse processo. O computador pode ser um instrumento poderoso e versátil na área da educação. Se usado com inteligência e competência, pode-se tornar um excelente recurso pedagógico à disposição do professor em sala de aula. Além disso, o livro impresso dá um toque mais lúdico ao aprendizado para as crianças. Recortar, colar, desenhar e pintar, por exemplo, podem ser feito via computador, mas tocar num mouse e num teclado tem uma grande diferença entre pegar lápis de cor, tesoura, cola e sentir todas as sensações de forma viva.

Na elaboração e implementação de políticas ou programas ligados às tecnologias na educação, percebe-se a importância de um diagnóstico do contexto econômico, social, político e cultural, um monitoramento e avaliação contínua para que se possa estabelecer as prioridades das ações, bem como as dificuldades encontradas no andamento dessas políticas. Para que isso ocorra de forma eficiente e dinâmica, é necessária a criação de mecanismos de participação de todos os atores envolvidos nesse processo.

Referências Bibliográficas

CHAVES, Eduardo O. C., Tecnologia na educação. Disponível em: http://chaves.com.br/TEXTSELF/EDTECH/tecned2.htm#_ed*.

Acesso em 28 de Outubro de 2011

CRISTINE, Elen. Utilizando a internet na educação. Disponível em: http://mundoeducacao.uol.com.br/educacao/utilizando-internet-na-educacao.htm.  Acesso em 28 de Outubro de 2011.

SERRA, Paulo. A Internet como recurso educativo. Disponível em: http://bocc.ubi.pt/pag/serra-paulo-internet-recurso-educativo.pdf.

Acesso em 28 de Outubro de 2011.

VALENTE, José Armando. Por quê o computador na educação. Disponível em: http://www.jamilsoncampos.com.br/dmdocuments/PorQueoComputadornaEducacao.pdfAcesso em 28 de outubro 2011.