Projeto Social: Jovens Aprendendo a Reciclar

Por Eduardo Girão

Introdução

O planeta atingiu este ano a marca de seis bilhões de pessoas. E esse enorme contingente humano terá que procurar sobrevivência em um mundo em que a deterioração do meio ambiente é cada vez maior. A degradação ambiental é constatada, sobretudo, nas grandes cidades. E a administração do lixo já é hoje uma das grandes preocupações na organização urbana.

As instituições e entidades ambientalistas têm divulgado números astronômicos sobre o assunto. De acordo com esses dados, no Brasil, cada pessoa gera, em média, um quilo de lixo por dia. Por ano, são produzidos 55 trilhões de quilos; boa parte, vem das garrafas PET.

Aproximadamente em 1988 a garrafa descartável feita com polietileno tereftalato – ou PET, como conhecemos – surgiu como opção leve e barata para substituição das pesadas e de alta manutenção garrafas de vidro. Infelizmente, não foi lançada em conjunto com as embalagens uma solução para o recolhimento e reutilização das mesmas, muito menos sua reciclagem.

O Brasil produz anualmente cerca de 3 bilhões de garrafas PET. Apesar de ser um produto 100% reciclável, o volume de reciclagem atualmente beira os 50%. Isso significa na prática que pelo menos 1 bilhão e meio de plástico não-biodegradável é descartado no meio ambiente por ano, o que significa algumas centenas de anos para absorção na natureza.

Com uma iniciativa muito simples, os cidadãos podem ajudar na preservação do meio ambiente e na geração de renda para as pessoas carentes. A reciclagem é - sem dúvida - uma das atividades mais ecologicamente corretas que podem ajudar a salvar o planeta contra a degradação ambiental.

Entre os principais méritos da reciclagem estão o de reduzir o volume de lixo de difícil degradação, de contribuir para a economia de recursos naturais, de prolongar a vida útil dos aterros sanitários, de diminuir a poluição do solo, da água e do ar e de evitar o desperdício, contribuindo para a preservação do meio ambiente. Trata-se de um processo de transformação de materiais para reaproveitamento na indústria e na agricultura.

Além disso, ainda há a criatividade do povo brasileiro que não mede esforço para confeccionar móveis baratos, resistentes e confortáveis feitos com garrafas PET e suportes para plataformas flutuantes, economizando na madeira geralmente utilizada de forma ecologicamente incorreta.

Apresentação

Apesar dos vários problemas causados pelas garrafas PET nos lixões, há saídas simples que podem ajudar a minimizar os prejuízos trazidos por elas ao meio ambiente. O projeto Jovens Aprendendo a Reciclar, da disciplina Projetos Sociais (semestre 2010.2) – IFCE, orientada pelo Profº Wagner Lopes, pretende colaborar com a causa ambiental ensinando 54 alunos (9º Ano/Ensino Fundamental) da EEF Honório Bezerra, localizada no Bairro Ellery, o real valor da reciclagem.

Uma equipe da disciplina Projetos Sociais, formada por 8 integrantes, vai repassar os conhecimentos adquiridos durantes as aulas aos estudantes da comunidade da Vila Ellery. Os adolescentes, entre 12 e 15 anos, aprenderão na prática como transformar garrafas PET de 2 litros em bens de consumo utilizáveis. A idéia é fazer com que esses adolescentes também possam transmitir o que aprenderam a outros segmentos da mesma comunidade onde vivem e estudam formando assim uma corrente “verde”.

Com as garrafas PET, é possível criar objetos decorativos e úteis. A equipe escolheu pufe de garrafas PET pela praticidade e facilidade na confecção. Em um modelo pequeno, de aproximadamente 50 centímetros, se utiliza 32 garrafas PET. Esse número pode aumentar de acordo com a criatividade de cada um. Na sala, no quarto e, até no escritório, o pufe serve como objeto decorativo, utilitário, resistente e, dependendo do acabamento, muito confortável.

O passo-a-passo é bem simples e dura mais ou menos uma hora. A etapa mais demorada é a costura, mas para quem não sabe costurar, há como transferir a função para uma profissional. O pufe pode ser vendido por cerca de R$ 40 a R$ 70. A costura do tecido (curvim) deve ser feita a partir de um molde, nas medidas do retângulo de garrafas PET. A dica é fazer a costura do lado avesso para que não sejam colocados a mostra remendos e imperfeições.

Os alunos da Escola Honório Bezerra serão divididos em 10 grupos de 5 integrantes e cada um participará de todo o processo de confecção: desde o corte das garrafas PET a venda do produto. Na primeira visita da equipe do IFCE, eles demonstraram interesse em aprender, porque estão concluindo o ensino Fundamental I e desejam fazer uma festa para comemorar o termino do Ano Letivo. Pretendem vender as peças prontas a vizinhos, familiares e amigos, arrecadando dinheiro para o pagamento das despesas da festa.

O processo de aprendizagem será simples, porém eficaz: primeiro, os alunos da EEFHB assistirão a um vídeo localizado na WEB onde ensina os passos para a criação do pufe; depois, os estudantes do IFCE reforçarão o aprendizado demonstrando pessoalmente a maneira de confeccionar o móvel feito de garrafa PET. Uma equipe ficará responsável de visitar a escola três vezes em duas semanas para tirar dúvidas como, por exemplo, quais os materiais de acabamento com menor custo, etc.

Esperamos que os alunos da EEFHB adquiram consciência sobre a importância de preservar o planeta. Aprendendo na prática os benefícios da reciclagem, eles poderão ganhar atitudes ecologicamente corretas; com isso, contribuir para a diminuição dos danos causados pelo homem a natureza e ajudar a melhorar a qualidade de vida na Terra.

A Escola Honório Bezerra foi fundada na gestão do Governador Virgílio Távora em 1964. Hoje, cerca de 300 alunos (do 6° ao 9° ano do Ensino Fundamental e do projeto Educação de Jovens e Adultos) estão matriculados na escola que conta ainda com uma cantina, sala de informática e de multimeios etc.

Objetivo Geral

Objetivos Específicos

1. Propiciar         conhecimentos básicos sobre a importância de preservar o meio         ambiente através da arte da reciclagem;                 

2. Despertar o         interesse dos alunos pela manutenção dos recursos naturais, tendo         como apóio a criação de pufes de garrafas PET;

3. Treinar estudantes         de uma escola pública da periferia de Fortaleza na confecção de         objetos feitos de material reciclável;

4. Estimular o         desenvolvimento do potencial criativo e a descoberta de novas áreas         de interesse por parte dos estudantes, ampliando suas oportunidades;                 

5. Apresentar formas de         renda alternativas que não comprometam os estudos dos jovens,         reforçando a o conceito de cidadania individual e coletiva;

6. Formar grupos na         comunidade escolar interessados em aprender atividades ligadas a         reciclagem de garrafas PET;         

7. Divulgar os pufes         criados pelos alunos no blog da escola         (www.honoriobezerra.blogspot.com);

8. Propiciar aos         alunos informações sobre os problemas causados pela degradação         ambiental.

Cronograma

Os estudantes da disciplina Projetos Sociais – IFCE, envolvidos no projeto Jovens Aprendendo a Reciclar, terão responsabilidades específicas durante a execução das atividades na Escola Estadual Honório Bezerra, Vila Ellery. Além do desenvolvimento do projeto, eles também terão que obter o material (tesoura, garrafas PET, fita transparente, etc.) necessário na confecção dos dois pufes. Os objetos, depois de prontos, serão doados a instituição de ensino para que sirvam de base e incentivo na criação de outros modelos de pufe pelos alunos da escola pública.

No dia 30 de setembro (sexta-feira, das 13 às 15 horas), os estudantes do IFCE se reunirão na EEFHB para ensinar os alunos da EEFH como fazer móveis de material reciclável. Um espaço da escola já foi destinado ao evento.

Primeiramente, será exibido um vídeo de dois minutos com os principais passos. Depois, os integrantes do IFCE se separarão individualmente para orientar melhor os grupos aprendizes. Cada um ficará responsável por uma equipe diferente. É importante mencionar que os alunos da EEFHB também trarão material para a confecção de mais peças. E também serão instruídos previamente pela escola sobre a importância da reciclagem por meio de aulas de geografia oferecidas pela professora da Rede Pública de Ensino Célia Maria.

Os participantes do projeto acompanharão a comercialização dos pufes na comunidade. Eles darão dicas sobre preço, faturamento (lucro) e forma que os objetos podem ser vendidos.

                        

27/09

                

                        

Apresentação do projeto ao orientador

                

                        

30/09

                

                        

Execução do projeto na Escola

                

                        

08/10

                

                        

Acompanhamento das vendas

                

                        

11/10

                

                        

Apresentação da conclusão do projeto                         (viabilidade e execução)

                

Benefícios à comunidade Vila Ellery

Os maiores beneficiados pela execução do projeto Jovens Aprendendo a Reciclar são - sem dúvida - a comunidade Vila Ellery. O pufe de garrafas PET é um utensílio presente tanto em ambientes sofisticados quanto nos populares, o que apresenta grande potencial de negócio e renda para os envolvidos. Fabricar pufes é uma atividade simples que pode render um bom lucro, desde que aja dedicação, um pouco de empreendimento e interesse na obtenção das garrafas PET.

O mercado é amplo por se tratar de produto ecologicamente correto, atingindo consumidores de todas as classes sociais. É verdade que alguns compram porque gostam; outros, para ajudar. Até os mais endinheirados acham interessante adquirir objetos feitos de material reciclável.

No início, os clientes podem ser os vizinhos, amigos e familiares. Mais adiante, se a comunidade se envolver com o projeto – repassado pelos alunos da Escola Estadual Honório Bezerra -, os clientes passam a ser outros públicos mais distantes.

A equipe da disciplina Projetos Sociais do IFCE espera ter desenvolvido na comunidade Vila Ellery, entre os estudantes da EEFHB, uma visão de futuro com a confecção desses produtos, melhorando com isso a qualidade de vida dos participantes.

Benefícios aos alunos do IFCE

É praticamente impossível medir o retorno de um projeto social, seja para o indivíduo, comunidade, corporações, país ou para o mundo. É certo que seus benefícios vão além das mais otimistas expectativas, principalmente por contribuir diretamente para o bem estar de todos os envolvidos.

Quanto mais adeptos desse tipo de ação, maior e mais forte são os resultados positivos, contribuindo diretamente para o equilíbrio social e sustentabilidade do país. Em outras palavras, a reciclagem consciente é o respeito a si mesmo e seus semelhantes, a construção de uma sociedade melhor.

Para nós ficou claro que a implantação de um projeto desta natureza traz a todos os envolvidos uma forma diferente de encarar e interagir com o meio ambiente e a comunidade. O projeto desenvolvido pelos alunos da disciplina Projeto Social traz como grande diferencial a união entre a responsabilidade social e a destinação final dos resíduos. Demonstra também que a sociedade esta pronta a atender ao chamado e disposta a doar parte de seu tempo, numa atitude de extrema dedicação e responsabilidade social.

Esperamos que estas iniciativas possam ser ampliadas e que daqui a algum tempo possamos relatar o sucesso que foi o projeto Jovens Aprendendo a Reciclar na comunidade Vila Ellery. Com certeza, os alunos do IFCE passarão a valorizar ainda mais o que receberam da sociedade. E por mais simples que possa parecer, qualquer ação voltada aos problemas ambientais é de extrema importância e reflete as mudanças pelas quais passa a nossa sociedade.