Disciplina: Geografia

Série/Ano: 1ª série - EM

Vol/Bim: Vol 1/1ºBm

CADERNO DO ALUNO

Situação de Aprendizagem (Número/título)

Sequência Didática

Recursos audiovisuais e/ou de TIs  sugeridos no caderno

Recursos audiovisuais e/ou de TIs sugeridos pelo PCOP

Interfaces interdisciplinares / Temas trasnsversais

Situação de Aprendizagem 1 – Os Elementos que constituem os mapas: os recursos, as escolhas e os interesses.

Competências e habilidades: (GIII) saber ver e interpretar um mapa temático procedendo a classificações, estabelecendo relações e comparações em diferentes projeções cartográficas e escalas geográficas; (GIII) relacionar a construção dos mapas às suas intencionalidades e discutir a influência da Cartografia como um instrumento de poder.

 

Etapa prévia - Sondagem Inicial e sensibilização.

Utilizar mapas publicados pela imprensa, dividir a classe em grupos e solicitar que cada grupo analise um mapa. Observar  se os alunos identificam o que os mapas comunicam.  Solicitar que relatem por escrito as discussões realizadas. Esse será o instrumento de diagnóstico e motivo para problematizar  o tema levantando questões como: veracidade dos mapas em relação à linguagem gráfica e cartográfica, cores utilizadas, etc. Em seguida solicitar que os alunos analisem o mapa “Expectativa de vida, 2009” e respondam as questões no roteiro.

 

Etapa 1 – Procurando sentir a comunicação imediata de um mapa das grandes aglomerações urbanas do mundo.

Observar o mapa “Evolução das 150 metrópoles mais populosas, 2010 e solicitar que os alunos respondam às questões do caderno do aluno. Recorrer sempre ao mapa para explicitar as conclusões expressas pelos alunos.  Concluir junto aos alunos que os mapas representam o caráter quantitativo dos fenômenos e o caráter ordenado dos fenômenos geográficos.

 

Etapa 2 – A escala, a projeção e a métrica

Observar as figuras presentes no caderno do aluno que se refere às diferentes projeções. Momento para mostrar que é uma representação e como um mapa é uma criação, destacar  a importância do fator de redução, escala cartográfica (elemento essencial em qualquer mapa).  Leitura e análise de mapa: propor uma comparação visual entre as quatro projeções cartográficas apresentadas e responder às questões propostas. Apresentar o quadro descritivo das projeções  contendo as características específicas de cada uma delas e responder à questão proposta. Leitura e análise de quadro e texto  para responderem às questões no roteiro de análise. Análise do Mapa Projeção equidistante cilíndrica ou equirretangular  para responder as questões.   Leitura e Análise de imagem (mapas anamórficos) seguindo roteiro; Registro e socialização  das respostas.

 

Etapa 3 – Linguagem Cartográfica: variáveis visuais.

Leitura e análise do gráfico “As variáveis visuais” e do mapa Exportação de Produtos agrícolas e alimentícios no mundo, 2010, seguindo o roteiro de questionamento proposto; Pesquisa em grupo: Selecionar de fontes diversas cinco mapas seguida da classificação segundo seu tipo, conforme tabela apresentada, analisá-los conforme atividade proposta;

 

Lição de casa

Elaborar um texto respondendo à seguinte questão: Mapas representam a verdade das superfícies terrestre, ou são criações humanas, úteis, porém imperfeitas e subjetivas?”.

 

Você aprendeu?

Os alunos com base nos mapas vistos e analisados, responder às questões propostas sobre elementos cartográficos, escala e projeções.

Atlas Geográfico; Livro Didático; Revistas; Jornais;

FLORENZANO, Teresa Gallotti. Imagens de satélite para estudos ambientais. São Paulo: Oficina de textos, 2002.

FONSECA, Fernanda Padovesi; OLIVA, Jaime Tadeu. A Geografia e suas linguagens: o caso da Cartografia. In: CARlOS,

Ana Fani Alessandri (Org.). A Geografia na sala de aula. São Paulo: Contexto, 1999. p. 62-78.

GEIGER, Pedro P. Mapa do mundo pós-moderno. In: SANTOS, M.; et al. (Org.).

Fim de século e globalização. São Paulo: Hucitec/Anpur, 1997. p. 23-45.

http://www.curso-objetivo.br/vestibular/roteiro_estudos/projecoes_cartograficas.aspx

Situação de Aprendizagem 2 – O sensoriamento remoto: A Democratização das Informações.

Competências e habilidades: compreender a multiplicação dos meios de sensoriamento remoto; entender o funcionamento e a lógica de criação humana do sensoriamento remoto, em especial a imagem de satélite; comparação de diferentes meios de representação da Terra.

Etapa prévia – Sondagem inicial e sensibilização

Nesta etapa, o professor vai expor aos alunos a imagem extraordinária de um satélite (Figura 16): o mundo à noite, da seção Leitura e análise de imagem, do Caderno do Aluno. Deixá-los observar por um tempo é importante. Em seguida, deverá instigá-los com a seguinte pergunta: considerando o mapa e a imagem de satélite, qual das duas formas de apresentação da Terra é a mais verdadeira? Talvez até seja o caso de começar comparando uma figura desenhada de uma paisagem, de um ser humano, com fotografias dos mesmos lugares e pessoas. E fazer a mesma pergunta sobre o que é mais fiel.

Leitura e análise de imagem - Depois da discussão, os alunos poderão responder as questões no Caderno do Aluno.

Se a imagem é uma representação do mundo à noite, o que está realçado aos nossos olhos são as áreas mais iluminadas, ou seja, áreas de maior concentração da energia elétrica. Essa informação simples é muito preciosa. Que tal uma comparação dessa imagem com o mapa Evolução das 150 metrópoles mais populosas, 2010 (Figura 2)? As orientações para esta atividade estão na seção Lição de casa do Caderno do Aluno, e a atividade poderá ser utilizada como avaliação em processo. A ideia é que os alunos escrevam um texto comparativo, baseando-se nos itens apresentados no roteiro a seguir.

Compare as zonas com maior concentração de iluminação com as de maior aglomeração urbana e veja se há alguma coincidência.

Identifique as zonas mais intensas e as mais dispersas de iluminação no território dos Estados Unidos da América e compare se há outras situações como essa na imagem. Por exemplo: é assim na Índia ou na China?

􀁦 Identifique as zonas mais iluminadas da imagem e, observando o mapa, descreva a urbanização ali existente.

􀁦 Comente no seu texto se o uso conjunto da imagem de satélite e do mapa das metrópoles mais populosas acrescentou mais informações e enriqueceu a visão espacial do fenômeno urbano no mundo.

Etapa 1 – O sensoriamento remoto: como se produz uma imagem de satélite

Como foi obtida essa imagem de satélite do mundo à noite?

Leitura e análise de texto e quadro - O trabalho com o texto (Sensoriamento remoto), disponível no Caderno, que descreve, com a objetividade necessária, esse recurso humano, será um bom ponto de partida.

No Caderno do Aluno, algumas palavras e expressões deste texto estão destacadas (sensor, radiação eletromagnética, suborbital, satélite, bacias de drenagem, fibra ótica e vulnerabilidade ambiental. As definições estão no final do Caderno do Professor (p.133). Sugerimos que os alunos sejam estimulados a pesquisar o significado dessas palavras no dicionário e a registrá-las em seus cadernos. Oriente-os a reler o texto e refletir em duplas sobre o que é sensoriamento remoto, sensoriamento suborbital, sensoriamento orbital, sensoriamento remoto orbital, entre outras definições apresentadas no texto.

Algumas informações complementares podem contribuir para aprofundar o estudo sobre o sensoriamento remoto, especialmente no que se refere à imagem de satélite.

Afinal, de que maneira se pode utilizar, na prática, as imagens de satélite para finalidades diversas?

Um exemplo pode ser útil para entender essa questão: existem satélites geoestacionários e existem satélites em movimento com relação à Terra. Um pequeno quadro comparativo (Quadro 3), presente no Caderno do Aluno no exercício 2 da seção Leitura e análise de texto e quadro, pode dar pistas das possibilidades diversas das imagens de satélite.

Para refletir sobre o Quadro 3, o professor poderá pedir que os alunos respondam às seguintes questões no Caderno do Aluno.

Leitura e análise de imagem

Nesta etapa os alunos irão analisar a imagem da Figura 17 e responder às questões propostas no Caderno do Aluno.

Etapa 2 – Descobrindo imagens de satélite no cotidiano

Existe uma razão importante para defender a presença de atividades que informem e ensinem a usar o sensoriamento remoto no ambiente escolar: seus produtos estão cada vez mais presentes no cotidiano.

Na sequência, apresentamos uma sugestão de Pesquisa em grupo, para ser realizada pelos alunos.

As orientações constam do Caderno do Aluno.

Para finalizar esta Situação de Aprendizagem, na seção Lição de casa, o aluno deve ser orientado a produzir um texto discutindo a importância das imagens de satélite com base nas seguintes questões:

Qual é a utilidade das imagens de satélite para a previsão dos fenômenos climáticos (se for necessário, faça uma pequena pesquisa no seu livro didático, ou em outro material ou fonte)?

Qual é o tipo de satélite ideal para o monitoramento climático: geoestacionário ou orbital? Justifique no texto a sua opção.

Textos Teóricos; Mapas; Gráficos; Revistas, Jornais, Livros Didáticos

SANTOS, Vânia Maria Nunes dos. Escola, cidadania e novas tecnologias: o sensoriamento

remoto no ensino. São Paulo: Paulinas, 2002. (Comunicar).

SAUSEN, Tania Maria. Sensoriamento remoto e suas aplicações para recursos naturais. Disponível em: <http://www.inpe.br/unidades/cep/

atividadescep/educasere/apostila.htm#tania>. Acesso em: 23 jul. 2013.

Internet

http://egal2009.easyplanners.info/area03/3327_Maia_Fernanda.pdf

Situação de Aprendizagem 3 – Geopolítica: O Papel dos Estados Unidos e a Nova “Desordem” Mundial

Competências e habilidades: expor e discutir ideias por meio de exposição oral; leitura e interpretação de textos e das ideias resultantes da participação nas discussões coletivas em sala; relacionar conceitos; expressar o pensamento pela redação de textos; estabelecer relações a partir de diferentes escalas geográficas; interpretar mapas; elaborar mapas; desenvolver habilidades relativas à participação coletiva.

Etapa prévia – Sondagem inicial e sensibilização

O professor pode começar baseando--se em um conflito contemporâneo ao qual todos estão fartamente expostos e que, na época, esteve presente nos meios de comunicação. Trata-se da invasão do Iraque pelos EUA, com o apoio da Inglaterra, para derrubar o presidente Saddam Hussein. Isso aconteceu em 2003, e todas as suas consequências ainda estão em andamento.

Não houve nos últimos tempos nada que tenha tido mais espaço nos meios de comunicação que os eventos associados ao atentado terrorista que os EUA sofreram em 11 de setembro de 2001, e a invasão do Iraque é um deles.

Algo interessa muito para a discussão sobre o que é geopolítica nesse caso: Como se deu a decisão dos EUA invadir o Iraque?

Para isso, eles deverão responder às seguintes questões da seção Para começo de conversa do Caderno do Aluno.

Não é possível prever que conhecimento os alunos vão revelar a respeito do assunto e do aspecto que está sendo valorizado (Como se deu a decisão de invadir o Iraque?), mas é muito importante que o professor complemente o que for necessário.

Etapa 1 – Potências, superpotências e ordem mundial

A sugestão inicial é que uma breve exposição situe um pouco da história da geopolítica.

Como sempre, provocar um envolvimento do aluno com base no que ele já sabe pode instigá-lo.

Levante a seguinte questão: De onde vem a força de um país, para lhe permitir ser uma potência

que influencie a ordem mundial? Seguramente quatro respostas vão predominar, e talvez seja interessante registrá-las:  força econômica; força militar; força cultural; rede de relações (força para expandir geograficamente suas relações).

Depois do resultado dessa breve enquete feita com os alunos, o professor poderá ressaltar que, provavelmente, a característica menos notada merece ser colocada no primeiro plano ao lado das outras. Pode-se até aceitar sugestões para a criação de um termo que expresse essa capacidade: força geográfica, força espacial. Isso vai ajudar a sala a entender a ordem mundial e a perceber o papel da geopolítica.

Leitura e análise de mapa

Para ampliar a discussão sobre a ordem bipolar, sugerimos que o mapa (Figura 18) seja trabalhado com os alunos por meio das questões propostas no Caderno do Aluno.

Roteiro para análise do texto - Espaço é poder

O que se entendeu com a ideia de que espaço é poder? Uma sociedade será tanto mais forte quanto mais território possuir? Olhando o mundo atual, isso fica evidente? Os países que têm maior extensão territorial são os mais poderosos em termos militares e econômicos? Brasil e Índia se enquadram nisso?

Em que momento o texto se refere à ordem mundial? Ao fazer essa referência, ele está indicando agentes (atores) importantes na construção dessa ordem? Após a Segunda Guerra Mundial, quem são os agentes decisivos na construção dessa Nova Ordem Mundial que viria a se impor?

Leitura e análise de quadro

Dois, cinco, dez ou quinze Estados nacionais e territoriais têm o mundo como parte de sua extensão por causa de seu peso financeiro/econômico e militar e de suas redes de relações.

Considerando que a URSS não existe mais, cite os dez Estados em condições de influenciar a organização e a sustentação do sistema mundial. Quais características cada um reúne para exercer sua condição de potência? O Quadro 4, também presente no Caderno do Aluno, pode ajudar a localizar esses agentes mais poderosos da ordem mundial.

O Quadro 4 poderá ser trabalhado com os alunos de acordo com as orientações contidas no Caderno do Aluno.

Etapa 2 – Definindo a geopolítica: a vocação geopolítica do EUA

Sugerimos ao professor que inicie esta etapa retomando um fato discutido anteriormente: a questão da invasão dos EUA ao Iraque.

Você pode perguntar aos estudantes qual é a diferença entre a geopolítica dos países e a política brasileira. Será que diriam que é a mesma coisa? Vale a pena fazer o teste, para depois procurar uma distinção.

Leitura e análise de texto

A leitura do texto “A “vocação” geopolítica dos EUA” e uma breve discussão sobre ele pode ilustrar historicamente os posicionamentos internacionais dos EUA. Sugerimos que ele seja trabalhado com os alunos, no Caderno do Aluno, por meio das questões que o acompanham.

Primeiramente, peça para que os alunos leiam o texto e assinalem todas a passagens que abordem as ações do governo dos EUA voltadas para exterior com vistas a:

a) ampliar seu território;

b) proteger seu território;

c) aumentar sua influência regional.

1. Na sequência, os alunos deverão preencher o quadro proposto no material sintetizando os aspectos abordados no texto.

Essa forma própria de designar a nacionalidade deles não seria um indicativo de sua ação de potência, que estende seus interesses para além de seus limites territoriais?

Uma pequena redação individual poderia registrar o modo como os alunos percebem tudo isso.

Etapa 3 – A geopolítica dos EUA chega à escala mundial

A seguir, sugerimos um trabalho de reflexão com base em um texto, presente na seção Lição de casa do Caderno do Aluno (A Doutrina Bush e “A síndrome do 11 de setembro”), que procura interpretar o atual estágio da ação geopolítica dos EUA.

O texto anterior poderá ser trabalhado com os alunos por meio das atividades disponíveis no Caderno do Aluno. Primeiramente, eles devem ser orientados a ler o texto, grifar os termos não compreendidos e procurar seus significados no dicionário. Na sequência, poderão responder às questões propostas no Caderno do Aluno.

Outra proposta de trabalho com o Quadro 4 (Atuais potências mundiais e suas características) seria utilizar suas informações para produzir um mapa. As orientações para essa atividade estão no Caderno do Aluno na seção Desafio. As etapas para realização da atividade estão disponíveis no material.

Depois de enriquecerem a lista com novos países, os alunos deverão responder a questão, presente no Caderno do Aluno.

Após refletir sobre essa questão, os alunos prosseguirão com a construção do mapa, seguindo as seguintes tarefas: O que cartografar, Como cartografar, A linguagem.

Para finalizar esta Situação de Aprendizagem, no Caderno do Aluno, propomos uma atividade de Pesquisa em grupo na qual os alunos devem buscar informações sobre os seguintes fatos históricos mencionados no texto “Doutrina Bush e ‘Síndrome do 11 de setembro’” e elaborar, em

uma folha avulsa, um texto que explique a posição geopolítica dos EUA em cada um desses fatos

históricos:􀁦 Ataques a Hiroshima e Nagasaki e Ataques de 11 de setembro de 2001 à Nova Iorque (EUA).

Textos Teóricos; Mapas; Gráficos

Filmes:

O nascimento de uma nação. Direção David Griffith, EUA , 1915 – 190 min

No tempo das Diligências, Direção John Ford, EUA, 1939, 96 min

Enciclopedia Wikipedia

<http://pt.wikipedia.org>  (acesso em: 5 nov. 2013)

Filmes:

O nascimento de uma nação (The birth

of a nation). Direção: David W. Griffith.

EUA, 1914. 190 min.

Mais dados podem ser encontrados em <http://pt.wikipedia.org>  e o filme pode ser visto em <http://www.video.google.com> .

Acesso em: 23 jul. 2013

No tempo das diligências (Stagecoach).

Direção: John Ford. EUA, 1939. 96 min.

Livros do escritor peruano Manuel Scorza, Bom dia para os defuntos (1970) e História de Garabombo, o invisível (1972).

PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), disponível em <http://www.pnud.org.br> , acesso

em: 5 nov. 2013;

– Portal da ONU, disponível em: <http://

www.onu-brasil.org.br> , acesso em: 5

nov. 2013

Vídeo: A nova Ordem Mundial – José William Vesentini

http://www.youtube.com/watch?v=iC9mTkfDHn0

Filme

Nascidos em 4 de Julho- Direção: Oliver Stone, 1989 145 min

Música: Era um Garoto – Engenheiros do Havaí

http://www.youtube.com/watch?v=7TR-HLzsVwk

http://www.4shared.com/account/dir/BEVbSMbR/sharing.html?rnd=5

Situação de Aprendizagem 4 – Os Deserdados na Nova Ordem Mundial: As perspectivas de ordem Mundial solidária

Competências e habilidades: apresentar e discutir ideias por meio de exposição oral; leitura e interpretação de textos e de ideias resultantes da participação nas discussões coletivas em sala; interpretação de mapas de escala mundial; expressar o pensamento por meio da redação de textos; estabelecer relações com base em diferentes escalas geográficas; desenvolver habilidades relativas à participação coletiva.

Etapa prévia – Sondagem inicial e sensibilização

Para iniciar esta Situação de Aprendizagem, pode-se fazer a pergunta proposta na seção Para começo de conversa do Caderno do Aluno: No mundo atual, há paz?

Certamente, eles vão recusar essa afirmação, e esse é o momento propício para instigá-los a listar no Caderno todos os conflitos, as guerras de que eles já ouviram falar. Isso pode ser listado também na lousa. Oriente os alunos a organizá-los em uma ordem cronológica, o que

vai terminar informando se o conflito já terminou ou se permanece. Outro critério de organização da lista é distribuí-la por continentes. Se a lista for insuficiente, pode ser interessante indicar uma breve pesquisa com o professor de História, com a utilização da internet, se possível.

Depois da troca de ideias, os alunos poderão sintetizar a discussão respondendo à seguinte questão no Caderno do Aluno: Considerando o mundo em que vivemos, você pode afirmar que há paz? Liste os conflitos que conhece, os que venham à sua memória. Procure organizá-los do mais antigo ao mais recente e também situe onde eles ocorreram ou ocorrem.

Etapa 1 – Os deserdados da ordem mundial: o drama dos refugiados

Leitura e análise de mapa - Observe com atenção o mapa da Figura 20, presente na seção Leitura e análise de mapa do Caderno do Aluno.

O mapa será utilizado nas atividades listadas a seguir. Inicialmente o professor pode aproveitar para aperfeiçoar a competência da observação da linguagem cartográfica.

Todas essas áreas apresentadas no mapa podem ser transformadas em objeto de pesquisa. Os alunos podem ser divididos em grupos, conforme cada zona que emite refugiados, e cada um ampliará o conhecimento a respeito da região. Podem preparar relatórios a respeito e socializar o que foi obtido. Vale comparar com o que foi listado no momento da sondagem inicial. Esta atividade está descrita no Caderno do Aluno, na seção Pesquisa em grupo.

Outra atividade especial pode ser desenvolvida sobre Serra Leoa, ela está presente também na seção Desafio, do Caderno do Aluno.

A seguir, utilize os excertos do artigo “Ex-menino-soldado revive horror da guerra em livro”, para estimular a leitura e a discussão.

Depois de ler o texto, na seção Desafio, os alunos poderão debater com seus colegas as questões a seguir e registrar suas conclusões no Caderno do Aluno.

Por meio do detalhamento da situação dos conflitos regionais, o professor poderia encomendar uma redação a cada aluno sobre as zonas de refugiados. Nessa redação pode-se

sugerir aos alunos que reflitam sobre as responsabilidades das principais forças da ordem mundial nesses conflitos.

Etapa 2 – O enfraquecimento da geopolítica: as chances de uma Nova Ordem Mundial solidária

Leitura e análise de mapa - Paralelamente a isso, pode estar surgindo uma nova ordem solidária, menos influenciada pelos interesses particulares, em nome de um bem comum.

Será? Para encerrar a atividade sugerimos a discussão sobre a circulação da ajuda financeira entre os países. Observe o mapa da Figura 21.

Considerando esse mapa, os alunos poderão responder às questões presentes no Caderno do Aluno.

Para finalizar esta Situação de Aprendizagem no Caderno do Aluno, na seção Lição de casa,

há orientações para a seguinte atividade:

Depois do atentado terrorista a Nova Iorque, os Estados Unidos invadiram o território do Afeganistão, suposto esconderijo do líder terrorista Osama bin Laden. Devido à operação militar, mais de 1 milhão de pessoas fugiram para o Paquistão, seu vizinho. Comente essa situação e compare com outras situações visualizáveis no mapa de refugiados.

Mapas de escala Mundial;

HAESBAERT, Rogério (Org.). Globalização e fragmentação no mundo contemporâneo. Niterói:

Editora da Universidade Federal Fluminense,2001.

JOLY, Fernand. A Cartografia. Campinas: Papirus,1990.

 Territórios alternativos. Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense; São Paulo: Contexto, 2002.

PORTO-GONÇALVES, Carlos

Walter. A nova desordem mundial. São Paulo: Unesp, 2006.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

LACOSTE, Yves. A Geografia: isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Campinas:Papirus, 1993.

PEET, R. Mapas do mundo no fim da história.

In: SANTOS, M.; et al. (Org.). Fim de século e globalização. São Paulo: Hucitec/Anpur,1997. p. 46-65.

Jornais, Revistas; Internet

http://conflitosmundiaistocolando.blogspot.com/2010/05/conflitos-atuais.html

Elaborado em 06/ 10 /2010 – Professor Coordenador da Oficina Pedagógica responsável: Cleunice Dias de Oliveira

EM DESENVOLVIMENTO POR CLEUNICE DIAS DE OLIVEIRA, última atualização em 26/09/2016

CEDIDO PELO AUTOR PARA USO EXCLUSIVAMENTE DIDÁTICO SOB RESPONSABILIDADE DOS GESTORES ESCOLARES NAS ESCOLAS ESTADUAIS JURISDICIONADAS À DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO SÃO VICENTE - PROIBIDA A REPRODUÇÃO FORA DA JURISDIÇÃO OU PARA FINS COMERCIAIS E/OU ACADÊMICOS