Projeto de Pesquisa        


Aldemar Araujo Castro

A diferença de prevalência de obesidade nos estudantes de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro

Maceió

2006


Aldemar Araujo Castro

A diferença de prevalência de obesidade nos estudantes de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro

Projeto de Pesquisa a ser desenvolvido na Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL), Maceió, AL.

Maceió

2006

Índice

Lista de abreviaturas, siglas, símbolos e sinais

Resumo

Abstract

1. Informações Gerais

2. Projeto de Pesquisa

2.1. Razões e objetivos da pesquisa

2.2.1. Contexto (justificativa)

2.2.2. Hipótese

2.2.3. Objetivo

3. Plano de trabalho e métodos

3.1. Tipo de estudo

3.2. Local

3.3. Amostra

3.3.1. Critérios de inclusão

3.3.2. Critérios de exclusão

3.3.3. Amostragem

3.3.4. Consentimento livre e esclarecido

3.3.5. Variáveis

3.3.5.1. Variável primária

3.3.5.3. Dados complementares

3.3.6. Método estatístico

3.3.6.1. Cálculo do tamanho da amostra

3.3.6.2. Análise estatística

3.3.6.2.1. Variáveis que serão analisadas

3.3.6.2.2. Hipóteses Estatísticas

3.3.6.2.2. Testes Estatísticos

3.3.6.2.3. Valor de Alfa

3.3.6.3. Apresentação dos resultados

3. Etapas da pesquisa e cronograma

3.1. Etapas da pesquisa

3.2. Cronograma

4. Relação de materiais necessários

5. Orçamento

5.1. Quadro (recursos, fontes e destinação)

5.1.1. Materiais Permanentes

5.1.2. Materiais de Consumo:

5.1.3. Previsão de ressarcimento de gastos aos sujeitos da pesquisa

6. Monitorização da pesquisa

6.1. Medidas para a proteção ou minimização de quaisquer riscos

6.2. Medidas de monitorização da coleta de dados

6.3. Medidas de proteção à confidencialidade

6.4. Critérios para suspender ou encerrar a pesquisa

7. Análise dos riscos e dos benefícios

8. Propriedades da informação e divulgação da pesquisa

9. Responsabilidades do pesquisador, da instituição, do promotor e do patrocinador

10. Documentação Complementar

10.1. Referências

10.2. Anexo 1 - Modelo do termo de consentimento livre e esclarecido

10.3. Anexo 2 - Modelo dos formulários de coleta de dados

10.4. Anexo 3 - Cópia do documento de aprovação pelo comitê de ética em pesquisa

10.5. Anexo 4 - Modelo da tabela de dados individuais

10.6. Anexo 5 - Curriculum vitae Lattes dos pesquisadores

10.7. Anexo 6 - Termo de responsabilidade e compromisso do pesquisador responsável

10.8. Anexo 7 - Termo de responsabilidade do pesquisador e/ou colaborador

10.9. Anexo 8 - Termo de responsabilidade do orientador

10.10. Anexo 9 - Termo de responsabilidade da Instituição

10.11. Anexo 10 - Declaração de condições da Instituição


Lista de abreviaturas, siglas, símbolos e sinais

%

Porcento

Maior que

®

Marca registrada

A4

Tamanho de papel com 210 mm de largura e 297 mm de altura.

AL

Alagoas

BIREME

Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde

CA

California

cm

Centímetro

ECMAL

Escola de Ciências Médicas de Alagoas

Et al.

E colaboradores (do latim, et alli)

g

Grama

g/m2

Grama por metro quadrado

H1

Hipótese alternativa

Ho

Hipótese de nulidade

http://

Protocolo de Transferência em HiperTexto (do inglês, HyperText Transfer Protocol)

IMC

Índice de Massa Corpórea

Inc

corporação (do inglês, Incorporation ou incorporated)

kg

Quilograma

kg/m2

Quilograma por metro quadrado

Obs

Observação

OMS

Organização Mundial de Saúde

OS

Sistema Operacional (do inglês, Operational System)

R$

Reais

UNCISAL

Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas

URL

Localizador Uniforme de Recursos (do inglês, Uniform Resource Locator)

WA

Washington

www

Rede Mundial de Computadores (do inglês, World Wide Web)


Resumo

Título. A diferença de prevalência de obesidade nos estudantes de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro.

Autor. Aldemar Araujo Castro.

Instituição. Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). Rua Doutor Jorge de Lima 113. 3o andar. Maceió, AL. CEP: 57010-382. Telefone: +82 9982 6032; fac-símile: +82 3326 5210; correio eletrônico: aldemararaujocastro@gmail.com; Lattes: http://lattes.cnpq.br/2259022333178681.

Arquivo. http://bit.ly/projeto7 

Contexto. A prevalência de sobrepeso e obesidade (CID-10: E66) vem aumentando rapidamente no mundo, sendo considerada um importante problema de saúde pública tanto para países desenvolvidos como em desenvolvimento. O sobrepeso e a obesidade contribuem de forma importante para a carga de doenças crônicas e incapacidades. Além das conseqüências para a saúde, o sobrepeso e a obesidade também acarretam conseqüências socioeconômicas substanciais. Assim, é relevante responder a pergunta de pesquisa: qual a diferença de prevalência de obesidade nos estudantes de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro?

Objetivo. Determinar a diferença de prevalência de obesidade nos estudantes de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro. A hipótese é que a diferença de prevalência de obesidade nos estudantes de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro é de 10%.

Tipo de estudo. Estudo transversal de prevalência.

Local. Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, Maceió, AL. (Universidade pública, estadual, com cursos de graduação na área da saúde).

Amostra. Serão incluídos estudantes do curso de graduação em medicina. Serão excluídos as gestantes, os estudantes não-ativos e aqueles com doenças hormonais, metabólicas e mentais relacionadas à obesidade.

Variáveis. Primária: Diferença de prevalência da obesidade (sobrepeso e obesos) medida pelo índice de massa corpórea (índice de massa corpórea = peso / estatura2; o peso em quilogramas e a estatura em metros). Secundárias: diferença de prevalência de sobrepeso, diferença de prevalência de obesos. Dados complementares: idade, sexo, índice sócio econômico.

Método estatístico. O tamanho da amostra foi estimado em 49 em cada grupo, considerado a proporção no grupo 1: 40%, a proporção no grupo 2: 15%, o nível de significância: 5%, o poder do teste: 80%, e o teste de hipótese bicaudal. A análise estatística será realizada com o teste do qui-quadrado; será calculando o intervalo de confiança de 95% para cada ponto estimado.

Descritores. Prevalência. Obesidade. Índice de Massa Corporal. Peso corporal. Estatura. Estudantes de ciências da saúde.

Conflitos de interesse. http://bit.ly/aldemarci.

Fontes de financiamento. Nenhuma.

Abstract

Title. Prevalence of obesity among health undergraduate students.

Author. Aldemar Araújo Castro.

Institution. Pro-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). Rua Doutor Jorge de Lima 113. 3o andar. Maceió, AL, Brazil. Zip code: 57010-382. Telephone: +55 82 9982 6032; fac-símile: +55 82 3326 5210; E-mail: aldemararaujocastro@gmail.com; Lattes: http://lattes.cnpq.br/2259022333178681.

File. http://bit.ly/projeto7

Context. Prevalence of overweight and obesity are increasing very fast in the world, becoming an important public health problem in rich, as well as, in poor countries. Overweight and obesity are important risk factors that contribute to the raise in the prevalence of chronic illnesses and its complications. Beyond the consequences for health, overweight and obesity also cause substantial socioeconomic consequences. Thus, it is relevant to answer the research question: what is the prevalence of obesity among health undergraduate students?

Objective. To determine the prevalence of obesity among health undergraduate students. Research hypothesis is that the prevalence of obesity among health undergraduate students is of 10%.

Design. Survey study of prevalence.

Setting. Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, Maceió, AL, Brazil (Public, state university, with area health undergraduation courses).

Sample. Health undergraduated students will be included. Pregnant, non-active students, and those with hormonal, metabolic, mental and eating disorders will be excluded.

Main outcomes. Primary outcome: obesity prevalence (overweight and obesity) measured by the body mass index (body mass index = weight/height2; weight in kilograms and height in meters). Secondary outcomes: weight and height. Complementary outcomes: age, sex, undergraduation course and undergraduation course year.

Statistical methods. The sample size was estimated in 384 individuals, using obesity prevalence of 10%, absolute precision of 3%, and significance level of 5%. The statistical analysis will be performed using chi-square test; 95% confidence interval of each estimate point will be calculated.

Headings. Obesity. Prevalence. Body mass index. Body weight. Body height. Students, Health Occupations.

Conflitos de interesse. http://bit.ly/aldemarci.

Fontes de financiamento. Nenhuma.


1. Informações Gerais

a) Local onde será efetuado o estudo:

Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, Maceió, AL.

b) Endereço:

Rua Doutor Jorge de Lima 113, 30 andar.

57010-382         Maceió – Alagoas, Brasil.

Telefone: +82 3315 6700.

URL: http://www.uncisal.edu.br

c) Pesquisador principal:

Aldemar Araújo Castro <aldemararaujocastro@gmail.com>; Professor Assistente, Mestre, da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, Maceió, AL, telefone: +82 9982 6032. Lattes: http://lattes.cnpq.br/2259022333178681.

d) Conflito de interesse:

Anexo 7 (http://bit.ly/aldemarci).

e) Fonte de financiamento:

Nenhuma.

f) Orientador:

Guilherme Benjamin Brandão Pitta <guilherme@guilhermepitta.com>, Professor Adjunto, Doutor, da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, Maceió, AL, telefone: +82 9981 2037. Lattes: http://lattes.cnpq.br/9858155599901879.

g) Título da pesquisa:

A diferença de prevalência de obesidade nos estudantes de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro.

h) Objetivo:

Determinar a diferença de prevalência de obesidade nos estudantes de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro.

i) Custo estimado:

R$ 288,00

i) Data da última modificação:

12/3/2008 01:00


2. Projeto de Pesquisa

2.1. Razões e objetivos da pesquisa

2.2.1. Contexto (justificativa)

Os estudantes dos cursos de graduação com obesidade éuma situação relativamente comum (Andrade, 2003). A prevalência de sobrepeso e obesidade vem aumentando rapidamente no mundo, sendo considerada um importante problema de saúde pública tanto para países desenvolvidos como em desenvolvimento (Popkin, 1998; IASO, 2004). Em 2002, estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontavam para a existência de mais de um bilhão de adultos com excesso de peso, sendo 300 milhões considerados obesos (WHO, 2004a). Atualmente estima-se que mais de 115 milhões de pessoas sofram de problemas relacionados com a obesidade nos países em desenvolvimento (WHO, 2004b).

A obesidade é uma doença crônica, que envolve fatores sociais, comportamentais, ambientais, culturais, psicológicos, metabólicos e genéticos (WHO, 2000). Caracteriza-se pelo acúmulo de gordura corporal resultante do desequilíbrio energético prolongado, que pode ser causado pelo excesso de consumo de calorias e/ou inatividade física (DHHS, 2001).

Os fatores genéticos desempenham papel importante na determinação da suscetibilidade do indivíduo para o ganho de peso, porém são os fatores ambientais e de estilo de vida, tais como hábitos alimentares inadequados e sedentarismo, que geralmente levam a um balanço energético positivo, favorecendo o surgimento da obesidade (Bray, 1998; DHHS, 2001; WHO, 2004a).

O excesso de peso corporal pode ser estimado por diferentes métodos ou técnicas, como pregas cutâneas, relação cintura-quadril, ultra-som, ressonância magnética, entre outras (NIH, 1998). Entretanto, devido a sua simplicidade de obtenção, baixo custo e correlação com a gordura corporal, o Índice de Massa Corporal (IMC) tem sido amplamente utilizado e aceito para estudos epidemiológicos (Anjos, 1992; Kuczmarski, 2000; Andrade, 2003).

O índice de massa corporal é obtido a partir da divisão do peso em quilogramas pelo quadrado da altura em metros (kg/m2). Os valores de IMC acima de 25,0 kg/m2 caracterizam excesso de peso, sendo que, valores de 25,0 kg/m2 a 29,9 kg/m2 correspondem a sobrepeso e valores de IMC ≥ 30,0 kg/m2 à obesidade (WHO, 1995; NIH, 1998). Essas definições são baseadas em evidências que sugerem que estes valores de IMC estão associados ao risco de doenças e morte prematura (Afonso, 2002). Apesar de não representar a composição corporal, o índice de massa corporal vem sendo utilizado como uma medida aproximada de gordura total, visto que é altamente correlacionado com a gordura corporal (Anjos, 1992; NIH, 1998). Entre as limitações do uso do índice de massa corporal está o fato de que este indicador pode superestimar a gordura em pessoas muito musculosas e subestimar gordura corporal de pessoas que perderam massa muscular, como no caso de idosos (NIH, 1998).

O sobrepeso e a obesidade contribuem de forma importante para a carga de doenças crônicas e incapacidades (WHO, 2004a). As conseqüências para a saúde associadas a estes fatores vão desde condições debilitantes que afetam a qualidade de vida, tais como a osteoartrite, dificuldades respiratórias, problemas músculo-esqueléticos, problemas de pele e infertilidade, até condições graves como doença coronariana, diabetes tipo 2 e certos tipos de câncer (Pi-Sunyer, 1991; DHHS, 2001; WHO, 2004a). De acordo com o Departamento de Saúde dos Estados Unidos da América (USDHHS), indivíduos obesos (IMC ≥ 30 kg/m2) têm um risco de morte prematura por todas as causas 50% a 100% maior que indivíduos com IMC entre 20 a 25 kg/m2 (DHHS, 2001).

O sobrepeso e a obesidade também estão associados a distúrbios psicológicos, incluindo depressão, distúrbios alimentares, imagem corporal distorcida e baixa auto-estima. As prevalências de ansiedade e depressão são de três a quatro vezes mais altas entre indivíduos obesos (IASO, 2004). Além disso, indivíduos obesos também são estigmatizados e sofrem discriminação social (DHHS, 2001).

Além das conseqüências para a saúde, o sobrepeso e a obesidade também acarretam conseqüências socioeconômicas substanciais (DHHS, 2001). Os custos do excesso de peso para os sistemas de saúde são altos e são diretos e indiretos (DHHS, 2001). Os diretos envolvem gastos com o tratamento da obesidade e suas conseqüências. Entre os indiretos, encontram-se a perda de renda pela redução da produtividade e do absenteísmo devido à doença ou incapacidade e a perda de renda futura devido a mortes prematuras (DHHS, 2001). De acordo com estimativas da International Obesity Task Force, o custo direto atribuído à obesidade em países industrializados representa de 2% a 8 % do gasto total com atenção à saúde (IASO, 2004).

Seguindo a tendência mundial, a prevalência de sobrepeso e obesidade no Brasil está aumentando. Uma análise comparativa de três pesquisas brasileiras para as regiões Nordeste e Sudeste – ENDEF (Estudo Nacional de Despesa Familiar), PNSN (Pesquisa Nacional Sobre Nutrição) e PPV (Pesquisa sobre Padrões de Vida), realizadas em 1975, 1989 e 1999, respectivamente, demonstra que, neste período, o sobrepeso e a obesidade aumentaram na maior parte dos grupos populacionais (Monteiro, 1995; Mendonça, 2004). A prevalência de obesidade em adultos com 20 anos ou mais no período de 1975 a 1989 quase dobrou, passando de 4,4% para 8,2%, chegando a 9,7% em 1999. Quanto ao excesso de peso, a prevalência passou de 21% para 32% no primeiro período de comparação. Os resultados da PPV apresentados separadamente para as regiões Nordeste e Sudeste mostraram prevalências de excesso de peso de 34,2% e 40,9%, respectivamente (Monteiro, 2001). Assim é relevante responder a pergunta de pesquisa: qual a diferença de prevalência de obesidade nos estudantes dos cursos de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro?

2.2.2. Hipótese

A hipótese é que a diferença de prevalência de obesidade nos estudantes dos cursos de graduação em medicina do sexto ano comparados aos do primeiro é de 10%. De acordo com o resultado de pesquisa prévio (Monteiro, 2001), ao estudar adultos jovens encontrou uma prevalência de 12%. A prevalência de 10% neste estudo é semelhante pois acredita-se que as característica s das amostras sejam semelhantes entre a pesquisa já publicada e esta que está sendo planejada.

2.2.3. Objetivo

Determinar a prevalência de obesidade nos estudantes dos cursos de graduação na área da saúde.


3. Plano de trabalho e métodos

Este projeto de pesquisa será encaminhado, para avaliação, ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL), Maceió, AL. A pesquisa terá início após a aprovação deste comitê.

3.1. Tipo de estudo

Estudo transversal de prevalência.

Quadro 1. Algoritmo da pesquisa

3.2. Local

Campus Governador Lamenha Filho da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL, http://www.uncisal.edu.br), Maceió, AL. É uma universidade estadual pública, gratuita, com cursos de graduação na área da saúde (medicina, fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional). Em março de 2006, existiam 870 estudante de graduação.

Atenção
Para estabelecimentos de saúde, use o URL:
http://cnes.datasus.gov.br/ para identificá-lo e ter uma URL das informações. Por exemplo: o Hospital Geral do Estado tem uma página com as informações (http://cnes.datasus.gov.br/Exibe_Ficha_Estabelecimento.asp?VCo_Unidade=2704302006510)

3.3. Amostra

3.3.1. Critérios de inclusão

Serão incluídos os estudantes dos cursos de graduação que estão ativos. Os estudantes de graduação são indivíduos matriculadas e que freqüentam regularmente os cursos de graduação oferecidos pela instituição de ensino superior (Fulanodetal, 1998). A condição de estudante será comprovada pela apresentação de um documento de identificação que contenha a foto do indivíduo, por exemplo, crachá de identificação; será realizado pelo pesquisador no momento do recrutamento do indivíduos para participar da pesquisa.

3.3.2. Critérios de exclusão

Serão excluídos as gestantes (grávidas), estudantes não-ativos e aqueles com doenças hormonais, metabólicas e mentais relacionados à obesidade. Os critérios de exclusão serão identificadas pelo pesquisador no momento do recrutamento do sujeito da pesquisa para participar da pesquisa por meio de uma entrevista estruturada.

A gravidez é qualidade ou estado da mulher, e das fêmeas dos mamíferos em geral, durante o tempo em que um novo ser se desenvolve no seu organismo (Fulanodetal, XXXX), as participantes do sexo feminino deverão responder: “você está grávida?”. A resposta positiva será considerado como gestante e a resposta negativa como não-gestante.

As doenças hormonais, metabólicas e mentais relacionados à obesidade FALTA DEFINIçÃO serão verificadas por meio de uma pergunta: “alguma vez um médico a disse que você tem uma doença hormonal, ou uma doença metabólica, ou uma doenças mental relacionado à obesidade?” A resposta positiva será considerado como portador da doença e a resposta negativa como não portador da doença.

3.3.3. Amostragem

Será utilizada uma amostra probabilística, a amostra aleatória simples. Os nomes dos alunos serão organizados por ordem alfabética e numerados de 1 até 876, e por meio de um sorteio simples sem reposição, utilizando uma tabela de números aleatório, serão selecionados 384 indivíduos. A tabela de números aleatórios será geradas no item “números aleatórios” em uma planilha eletrônica (Microsoft Excel para Windows 95, versão 7.0, Microsoft Inc., Redmond, WA). O ponto de início da tabela foi definido pelo lançamento de dois dados: o primeiro definiu a linha e o segundo a coluna.

3.3.4. Consentimento livre e esclarecido

Os indivíduos elegíveis para pesquisa baseado no critério de inclusão serão convidados a participar da pesquisa pelo pesquisador principal. Neste momento, serão apresentadas informações sobre a pesquisa (objetivos, riscos, benefícios, e procedimentos aos quais serão submetidos). Confirmado o desejo de participar voluntariamente da pesquisa, será entregue uma cópia do termo de consentimento livre e esclarecido (anexo 3), para que leia seu conteúdo, entenda e possa ser esclarecidas quais dúvidas. Só então, com a assinatura do termo é que formaliza a participação do indivíduo na pesquisa.

Atenção
Nos projetos de pesquisa que utilizam como tipo de estudo o ensaio clínico a;eatório, ou o estudo de acurácia ou o estudo de coorte, aqui aparece um item chamado PROCEDIMENTOS. Ele deve ser numerado com 3.3.5 e os itens seguintes devem ter sua numeração ajustada.

3.3.5. Variáveis

3.3.5.1. Variável primária

Diferença de prevalência de obesidade entre os estudantes graduação de medicina do sexto ano comparados aos do primeiro ano. A prevalência é a taxa de ocorrência de um evento (obesidade) como descrito nas variáveis secundárias.

3.3.5.2. Variáveis secundárias

A prevalência de obesidade no estudante de graduação de medicina do sexto ano. A prevalência é a taxa de ocorrência de um evento (obesidade) dividido pelo número de unidades de risco na amostra. A obesidade é uma doença crônica, caracterizada pelo acúmulo de gordura corporal resultante do desequilíbrio energético prolongado (WHO, 2000; DHHS, 2001). Para a prevalência de obesidade será utilizado o índice de massa corpórea. O índice de massa corpórea é o resultado da divisão do peso em quilogramas pelo quadrado da altura em metros (kg/m2). Os valores de índice de massa corpórea acima de 25,0 kg/m2 caracterizam excesso de peso, sendo que, valores de 25,0 kg/m2 a 29,9 kg/m2 correspondem a sobrepeso e valores de IMC ≥ 30,0 kg/m2 à obesidade (WHO, 1995; NIH, 1998).

A prevalência de excesso de peso nos estudantes de graduação de medicina do primeiro ano. Como descrito acima.

A prevalência de sobrepeso nos estudantes de graduação de medicina do sexto ano. Como descrito acima.

A prevalência de sobrepeso nos estudantes de graduação de medicina do primeiro ano. Como descrito acima.

A prevalência de obesidade nos estudantes de graduação de medicina do primeiro ano. Como descrito acima.

A prevalência de obesidade nos estudantes de graduação de medicina do primeiro ano. Como descrito acima.

A média do peso corporal. A média é a média aritmética da soma dos valores da variável divididos por tamanho da amostra. O peso corporal  é uma medida da força gravitacional que atua sobre um objeto ou corpo (Fulanodetal, 1998). Será quantificado utilizando uma balança eletrônica com capacidade de 180 kg, com precisão de 100 g (Balança personal 180. Filizola, São Paulo, Brasil). A técnica de quantificação do peso (Monteiro, 2001) será realizada com o indivíduo utilizando o uniforme padrão utilizado nas aulas de educação física e sem calçado. O avaliado se posicionava em pé, de frente para a escala de medida da balança, com os braços ao longo do corpo e com o olhar num ponto fixo à sua frente. A balança será aferida a cada início de coleta de dados. A medida será registrada em quilogramas, com duas casas decimais. Será realizada por um indivíduo treinado para usar a balança e o formulário de coleta de dados da pesquisa. Será medida uma vez em um único momento.

A média da estatura corporal. A média é a média aritmética da soma dos valores da variável divididos por tamanho da amostra. A estatura corporal é uma medida da distância da parte mais baixa até a mais alta de alta que está na vertical (Fulanodetal, 1998). Será quantificada utilizado um antropômetro de madeira, fixo na parede, com escala graduada em centímetros e décimos de centímetro e um cursor antropométrico de madeira de 90 graus, com capacidade mínima de 97 cm e máxima de 193 cm, com precisão de 0,5 cm. A técnica de quantificação da estatura (Fulanodetal, 2001) será medida com o indivíduo em pé, descalço, pés unidos e com a cabeça orientada no plano de Frankfurt paralelo ao solo. Os calcanhares, glúteos, região dorsal e a cabeça em contato com o aparelho, com os braços ao lado do corpo estendidos para baixo. A medida era realizada em apnéia inspiratória, o cursor era deslizado em ângulo de 90 em relação a escala até a cabeça do avaliado. A medida da estatura coletada corresponde à distância entre a região plantar e o vértex. A medida será registrada em centímetro com uma cada decimal. Será realizada por um indivíduo treinado para usar a antropômetro e o formulário de coleta de dados da pesquisa. Será medida uma vez em um único momento.

3.3.5.3. Dados complementares

Média da Idade. É a idade calculada, em anos completos, no último dia do mês de referência da pesquisa, com base no dia, mês e ano do nascimento da pessoa (Fulanodetal, 1998). Será calculado por meio da data de nascimento do indivíduo que deve ser verificada em um documento de identidade com foto. Será realizada pelo pesquisador e medida uma vez em um único momento.

Frequência de homens. A frequencia é a taxa de ocorrência do evento. A classificação dos homens será realizada para definição do sexo biológico, distinção biológica que classifica as pessoas em homens e mulheres (Fulanodetal, 1998). Será registrado por meio da verificação em um documento de identidade com foto. Será realizada pelo pesquisador e medida uma vez em um único momento.

Atenção
Ver no formulário de coleta de dados aos outras variáveis que serão coletadas. Todos os itens que aparecem no formulário precisam aparecer aqui, e todos que estão aqui devem aparecer no formulário.

3.3.6. Método estatístico

3.3.6.1. Cálculo do tamanho da amostra

O tamanho da amostra (Lwanga, 1991) foi estimado em o tamanho da amostra foi estimado em 49 em cada grupo, considerado a proporção de obesidade no grupo 1 de 40%, a proporção de obesidade no grupo 2: 15%, o nível de significância: 5%, o poder do teste: 80%, e o teste de hipótese bicaudal. Foi considerdo a proporção de obesidade na população geral de 10% (Monteiro, 2001). Foi utilizada uma calculadora eletrônica disponível na Internet no URL: http://www.lee.dante.br/pesquisa/amostragem/di_2_pro.html na qual os dados foram inseridos.

3.3.6.2. Análise estatística

Os dados serão coletados em um formulário padronizado (anexo 2) e os dados armazenados em uma planinha eletrônica de dados (Microsoft Excel® 2003. Redmond, WA, EUA). Na qual, cada linha corresponderá a um formulário de coleta de dados e cada linha aos dados coletados. Duas entradas de dados serão realizadas por diferentes digitadores, de forma independente e cega. As controvérsias serão resolvidas por reunião de consenso.

A análise descritiva será realizada calculando o intervalo de confiança de 95% (Gardner, 1989 )com para cada ponto estimado. Os cálculos serão realizados com o auxílio do aplicativo estatístico (GraphPad Instat®, Versão 3.01, 32 bit for Win 95/NT, GraphPad Software Inc., San Diego, CA; disponível em: URL: http://www.graphpad.com/quickcalcs).

3.3.6.2.1. Variáveis que serão analisadas

A diferença de prevalência de obesidade nos estudantes de graduação de medicina do sexto ano comparados aos do primeiro foi a variável primária (Quadro XX).

Nome

Classificação

Tipo

Teste estatístico

Cálculo do tamanho da amostra

Diferença da Prevalência de obesidade entre os grupos

Primária

Quantitativas discreta

Qui-quadrado

Sim

Diferença da Prevalência de sobrepeso entre os grupos

Secundária

Quantitativas discreta

Qui-quadrado

Não

Diferença da Prevalência de obesos entre os grupos

Secundária

Quantitativas discreta

Qui-quadrado

Não

Média do peso corporal

Secundária

Quantitativas contínua

Não

Média da estatura corporal

Secundária

Quantitativas contínua

Não

Média da Idade

Dados complementares

Quantitativas contínua

Não

Frequência de homens

Dados complementares

Qualitativa nominal

Qui-quadrado

Não

Quadro XX - Lista das variáveis com seu nome, tipo, teste estatísco e cálculo do tamanho da amostra.

3.3.6.2.2. Hipóteses Estatísticas

Ho: P1 = P2 (A prevalência de obesidade é igual entre os grupos).

H1: P1 ≠ P2 (A prevalência de obesidade é diferente entre os grupos).

3.3.6.2.2. Testes Estatísticos

Será utilizada a análise pelo teste do sinal (Altman, 1991) para o teste de hipótese bicaudal.

3.3.6.2.3. Valor de Alfa

Será utilizado o valor de alfa igual ou maior que 0,05 no teste estatístico para rejeitar a hipótese de nulidade.

3.3.6.3. Apresentação dos resultados

Serão utilizados tabelas e gráficos para a apresentação dos dados e os valores de alfa serão apresentados com até quatro casas decimais.


3. Etapas da pesquisa e cronograma

3.1. Etapas da pesquisa

Etapa I – Projeto de Pesquisa. Plano de trabalho para verificar se a hipótese pode ser negada ou não e para pormenorizar os procedimentos de execução e divulgação da pesquisa (28 semanas).

Etapa II – Pesquisa-piloto. Teste dos instrumentos e dos procedimentos em uma quantidade pequena de sujeitos da pesquisa para confirmar que o planejamento esta adequado (4 semanas).

Etapa III – Coleta de dados. Obtenção dos dados previstos (16 semanas).

Etapa IV – Armazenamento dos dados. Registro e organização dos dados coletados (16 semanas).

Etapa V – Tabulação dos dados. Tabulação e construção de gráficos (12 semanas).

Etapa VI – Análise dos dados. Tentativa de evidenciar as relações expostas entre os resumos e as variáveis (12 semanas).

Etapa VII – Interpretação dos dados. Procura dar significados mais amplos às respostas, vinculando-as a outros conhecimentos e explicitação dos resultados finais, considerados relevantes (12 semanas).

Etapa VIII – Relatório final e Artigo Original. Exposição geral de pesquisa e elaboração do artigo original (16 semanas).

3.2. Cronograma

Mês/Ano

Etapas da pesquisa

Elaboração do projeto

Identificação e seleção dos estudos

Coleta de dados

Armazenamento dos dados

Tabulação dos dados

Análise dos dados

Interpretação dos dados

Relatório final e Artigo Original

10/2004

OX

11/2004

OX

12/2004

OX

01/2005

OX

02/2005

OX

03/2005

OX

04/2005

OX

Mês* 01

O

Mês* 02

O

O

O

Mês* 03

O

O

O

Mês* 04

O

O

O

Mês* 05

O

O

O

Mês* 06

O

O

Mês* 07

O

O

O

Mês* 08

O

O

Mês* 09

O

O

Mês* 10

O

Mês* 11

O

Mês* 12

O

O = Planejado

X = Realizado

        * Mês após a autorização pelo Comitê de Ética em Pesquisa

4. Relação de materiais necessários

Item

Material

Quantidade

1

Canetas azuis

4

2

Canetas pretas

4

3

Canetas vermelhas

4

4

Estação de trabalho (computador com processador de texto, planilha eletrônica, acesso à Internet e impressora).

1

5

Cópias reprográficas

50

6

Grampeador

1

7

Lápis 6B

5

8

Marca-textos

10

11

Papel sulfite branco, 75g/m2, A4

500

12

Tinta de Impressora padrão HP Deskjet 660 – colorida

1

13

Tinta de Impressora padrão HP Deskjet 660 – preta

1


5. Orçamento

5.1. Quadro (recursos, fontes e destinação)

5.1.1. Materiais Permanentes

Grampeador

Quantidade

1

Valor Unitário

R$ 21,00

Valor Conjunto

R$ 21,00

Justificativa

Para utilização no agrupamento de cópias xerográficas e fichas de coleta de dados dos trabalhos de conclusão de curso.

Estação de trabalho (computador com processador de texto, planilha eletrônica, acesso à Internet e impressora).

Quantidade

1

Valor Unitário

R$ 3.000,00

Valor Total

R$ 3.000,00

Justificativa

Será utilizado nas etapas de armazenamento, tabulação e análise de dados. Assim como para a redação dos relatórios parciais e final e para a divulgação da pesquisa (artigo original e tema livre)

Obs.: Item já disponível para utilização.

5.1.2. Materiais de Consumo:

Caneta Azul

Quantidade

4

Valor Unitário

R$ 1,50

Valor Conjunto

R$ 4,50

Justificativa

Para utilização no preenchimento das fichas de coleta de dados dos artigos identificados.

Caneta Vermelha

Quantidade

4

Valor Unitário

R$ 1,50

Valor Conjunto

R$ 4,50

Justificativa

Para utilização no preenchimento das fichas de coleta de dados dos artigos identificados.

Cópia Reprográfica

Quantidade

50

Valor Unitário

R$ 0,07

Valor Conjunto

R$ 3,50

Justificativa

Para posterior seleção dos resumos dos trabalhos de conclusão de curso.

Lápis 6B

Quantidade

05

Valor Unitário

R$ 1,00

Valor Conjunto

R$ 5,00

Justificativa:

Para utilização no preenchimento das fichas de coleta de dados e anotações pertinentes sobre os resumos dos trabalhos de conclusão de curso.

Marca-Texto

Quantidade

10

Valor Unitário

R$ 2,00

Valor Conjunto

R$ 20,00

Justificativa

Para destaque das palavras utilizadas como referência de identificação dos resumos dos trabalhos de conclusão de curso.

Papel sulfite branco, 75g/m2, A4

Quantidade

500

Valor Unitário

R$ 0,04

Valor Conjunto

R$ 20,00

Justificativa

Para utilização na impressão de fichas de coleta de dados, de relatórios parciais (do bolsista e do orientador) e de relatórios finais (do bolsista e do orientador).

Tinta de Impressora padrão HP Deskjet 660 – colorida

Quantidade

1

Valor Unitário

R$ 116,00

Valor Conjunto

R$ 116,00

Justificativa

Para utilização na impressão de fichas de coleta de dados, de relatórios parciais (do bolsista e do orientador) e de relatórios finais (do bolsista e do orientador).

Tinta de Impressora padrão HP Deskjet 660 – preta

Quantidade

1

Valor Unitário

R$ 92,00

Valor Conjunto

R$ 92,00

Justificativa

Para utilização na impressão de fichas de coleta de dados, de relatórios parciais (do bolsista e do orientador) e de relatórios finais (do bolsista e do orientador).

*valores pesquisados em 13/01/2005

5.1.3. Previsão de ressarcimento de gastos aos sujeitos da pesquisa

Não há despesas pessoais para o participante em qualquer momento do estudo. Também não há compensação financeira relacionada à sua participação. Se existir qualquer despesa adicional, ela será absorvida pelo orçamento da pesquisa. Direito de indenização. Em caso de dano pessoal, diretamente causado pelos procedimentos propostos neste estudo (nexo causal comprovado), o participante tem direito a tratamento médico na instituição, bem como às indenizações legalmente estabelecidas.


6. Monitorização da pesquisa

6.1. Medidas para a proteção ou minimização de quaisquer riscos

Esta pesquisa todos os procedimentos que os sujeitos da pesquisa serão submetidos (mensuração do peso e da estatura) serão detalhados, simulados e só então, o procedimento será realizado. Tudo isso para proteção e minimização de quaisquer riscos. Durante todo momento, o sujeito da pesquisa será incentivado a fazer questionamentos sobre a pesquisa ou dúvidas relacionados com o procedimento que estará sendo submetido.

6.2. Medidas de monitorização da coleta de dados

A qualidade dos dados das fichas de coleta será conferida pela comparação dos dados digitados. A conferência será realizada por dois observadores e as discordâncias serão resolvidas por reunião de consenso. Os dados coletados serão armazenados em uma planilha eletrônica (Microsoft  Excel 2000 para Windows, Microsoft Inc., Redmond, WA). A conferência será realizada por dois observadores e as discordâncias serão resolvidas por reunião de consenso.

6.3. Medidas de proteção à confidencialidade

A confidencialidade dos sujeitos da pesquisa será mantida, em nenhum momento ou por quaisquer meios existirá a possibilidade de divulgação pública dos resultados que permita identificar os dados do sujeito da pesquisa.

6.4. Critérios para suspender ou encerrar a pesquisa

A pesquisa será suspensa se a taxa de recrutamento dos sujeitos da pesquisa for menor que 5 por semana durante 10 semanas. O comitê de ética em pesquisa será notificado caso isso ocorra.

A pesquisa será encerrada se o arquivo eletrônico matriz protegido por senha em diretório oculto e todas os outros arquivos de segurança forem danificados ou perdidos integralmente, impossibilitando a utilização das informações salvas. O comitê de ética em pesquisa será notificado caso isso ocorra.


7. Análise dos riscos e dos benefícios

Os riscos da pesquisa são:

Os desconfortos e os riscos que eventualmente venham a ocorrer, serão de ordem subjetiva, no que diz respeito à reflexão sobre a sua imagem, uma vez que mensuração do peso e da altura poderão induzir o sujeito a pensar sobre o seu papel nas esferas pessoal, profissional e familiar, podendo levá-lo a momentos de baixa-estima, depressivos ou eufóricos.

Os benefícios da pesquisa são:

Não há benefício direto para o participante deste estudo. Apenas no final do estudo será possível saber como se comporta a obesidade nos estudantes de graduação. Estas informações serão encaminhadas a instituição para que faça parte do seu planejamento de ações, medidas relacionadas a melhora da qualidade de vida.


8. Propriedades da informação e divulgação da pesquisa

A propriedade dos resultados gerados por esta pesquisa é de seu autor. Os resultados encontrados ao final da pesquisa serão publicados na forma de uma artigo original em um periódico indexado, independente da confirmação ou não da hipótese da pesquisa.

As cópias do projeto de pesquisa e dos relatórios parcial e final desta pesquisa serão disponibilizadas na rede mundial de computadores (Internet) no sítio do pesquisador principal (URL: http://www.decisaoclinica.com) e entregues à Biblioteca da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL).


9. Responsabilidades do pesquisador, da instituição, do promotor e do patrocinador

Pesquisador. O pesquisador está ciente e cumprirá os termos da Resolução 466 de 12/12/2012 do Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde, assumindo o compromisso de zelar pela privacidade e sigilo das informações, tornando os resultados desta pesquisa públicos, sejam eles favoráveis ou não e comunicando o Comitê de Ética em Pesquisa sobre qualquer alteração no projeto de pesquisa, nos relatórios anuais (Anexo I).

Instituição. A instituição está ciente dos termos da Resolução 466 de 12/12/2012 do Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde e declara que a Disciplina de Metodologia da Pesquisa Científica do Departamento de Saúde Integral e Comunitária tem recursos para realizar este projeto de pesquisa (Anexo IV).

Promotor. Nesta pesquisa não há um promotor.

Patrocinador. Nesta pesquisa não há um patrocinador.


10. Documentação Complementar

10.1. Referências

Afonso, 2002.
Afonso FM, Sichieri R. Associação do índice de massa corporal e da relação cintura/quadril com hospitalizações em adultos do Município do Rio de Janeiro. Rev Bras Epidemiol. 2002 Fev 13;5(4):153-63.

Altman, 1991.
Altman DG. Practical Statistics for Medical Research. London: Chapman & Hall/CRC; 1991.

Andrade, 2003.
Andrade RG, Pereira RA, Sichieri R. Consumo alimentar de adolescentes com e sem sobrepeso do Município do Rio de Janeiro. Cad Saúde Pub. 2003 Fev 13;19(5):1485-95.

Anjos, 1992.
Anjos LA. Índice de massa corporal (massa corporal/estatura2) como indicador do estado nutricional de adultos: revisão de literatura. Rev Saúde Pub. 1992 Fev 13;26(6):431-6.

Bray, 1998.
Bray GA, Popkin BM. Dietary fat intake does affect obesity! Am J Clin Nutr. 1998 Dec;68(6):1157-73.

DHHS, 2001.
Department of Health and Human Services. The surgeon general’s call to action to prevent and decrease overweight and obesity. [Rockville, MD]: Department of Health and Human Services, Public Health Service, Office of the Surgeon General, [2001].

Gardner, 1989.
Gardner MJ, Altman DJ. Estatistic with confidence: confidence intervals and statistical guidelines. London: BMJ Publishing Group; 1989.

IASO, 2004
International Association for the Study of Obesity. About obesity. <http://www.ioft.org/>. Acesso em: 03 out. 2004.

Kuczmarski, 2000.
Kuczmarski RJ, Flegal KM. Criteria for definition of overweight in transition: background and recommendations for the United States. Am J Clin Nutr. 2000 Nov;72(5):1074-81.

Lwanga, 1991.
Lwanga SK, Lemeshow S. Sample size determination in health studies: a practical manual. Geneva: World Health Organization; 1991.

Mendonça, 2004.
Mendonça CP, Anjos LA. Aspectos das práticas alimentares e da atividade física como determinantes do crescimento do sobrepeso/obesidade no Brasil. Cad Saúde Púb. 2004 Feb 13;20(3):698-709.

Monteiro, 1995.
Monteiro CA, Conde WL. Evolução da obesidade nos anos 90: a trajetória da enfermidade segundo estratos sociais no Nordeste e Sudeste do Brasil. In: Monteiro CA. Velhos e novos males da saúde no Brasil: a evolução do país e de suas doenças. São Paulo: Editora HUCITEC NUPENS/USP; 1995. p. 421-30.

Monteiro, 2001.
Monteiro CA, Conde WL, Popkin BM. Independent effects of income and education on the risk of obesity in the Brazilian adult population. J Nutr. 2001 Mar;131(3):881S-886S.

NIH, 1998.
National Institutes of Health. Clinical guidelines on the identification, evaluation, and treatment of overweight and obesity in adults. Bethesda, MD: Department of Health and Human Services, National Institutes of Health, National Heart, Lung and Blood Institute; 1998.

Pi-Sunyer, 1991.
Pi-Sunyer FX. Health implications of obesity. Am J Clin Nutr. 1991 Jun;53(6 Suppl):1595S-1603S.

Popkin, 1998.
Popkin BM, Doak CM. The obesity epidemic is a worldwide phenomenon. Nutr Rev. 1998 Apr;56(4 Pt 1):106-14.

WHO, 1995.
World Health Organization. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Report of a WHO Expert Committee. Geneva: WHO, 1995. (Technical Report Series, No. 854).

WHO, 2000.
World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO Consultation on Obesity. Geneva: WHO, 2000. (Technical Report Series, 894).

WHO, 2004a.
World Health Organization. Obesity and overweight. Disponível em: <http://www.who.int/dietphysicalactivity/publications/facts/obesity/en/>. Acesso em: 03 out. 2004.

WHO, 2004b.
World Health Organization. Nutrition: controlling the global obesity epidemic. Disponível em: <http://www.who.int/nut/obs.htm>. Acesso em: 03 out. 2004.


10.2. Anexo 1 - Modelo do termo de consentimento livre e esclarecido


Termo de Consentimento Livre e Esclarecido


(Em 2 vias, uma para o participante e outra para o pesquisador)

1 – Título do estudo

Prevalência de obesidade em estudantes de graduação da área da saúde.

2 – Objetivo do estudo

Essas informações estão sendo fornecidas para sua participação voluntária neste estudo, que visa determinar o número de obesos entre os estudantes de graduação da área da saúde.

3 – Descrições dos procedimentos

Que serão realizados, com seus propósitos e identificação dos que forem experimentais e não rotineiros; os indivíduos que irão participar da pesquisa serão submetidos a medição de sua estatura e do meu peso em apenas um momento.

4 – Relação dos procedimentos rotineiros e como são realizados

Medida do peso...

Medida da estatura

Serão realizados dois procedimentos: no primeiro, será medido o peso do indivíduo.

5 – Descrições dos desconfortos e riscos

Os desconfortos e os riscos que eventualmente venham a ocorrer, serão de ordem subjetiva, no que diz respeito à reflexão sobre a sua imagem, uma vez que mensuração do peso e da altura poderão induzir o sujeito a pensar sobre o seu papel nas esferas pessoal, profissional e familiar, podendo levá-lo a momentos de baixa-estima, depressivos ou eufóricos.

6 – Descrição dos benefícios

Não há benefício direto para o participante deste estudo. Apenas no final do estudo será possível saber como se comporta a obesidade nos estudantes de graduação. Estas informações serão encaminhadas a instituição para que faça parte do seu planejamento de ações, medidas relacionadas a melhora da qualidade de vida.

7 – Garantia de acesso

Em qualquer etapa do estudo, você terá acesso aos profissionais responsáveis pela pesquisa para esclarecimento de eventuais dúvidas. O principal investigador é o Dr. ALDEMAR ARAUJO CASTRO (CRM-AL 3296) que pode ser encontrado no endereço: Rua Doutor Jorge de Lima 113, 1º andar, Trapiche da Barra, Maceió, AL; telefone +82 3351 0266. Se você tiver alguma consideração ou dúvida sobre a ética da pesquisa, entre em contato com o Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL), Rua Doutor Jorge de Lima 113, 1º andar; telefone: +82 3315 6772.

ATENÇÃO: Para informar ocorrências irregulares ou danosas durante a sua participação no estudo, dirija-se ao: Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL) Rua Dr. Jorge de Lima 113. Prédio Central, 1o andar. Trapiche da Barra – Maceió – AL. CEP: 57010-300, Telefone: +82 3315 6772

8 – Retirada do consentimento

É garantida a liberdade da retirada de consentimento a qualquer momento e deixar de participar do estudo, sem quaisquer tipos de prejuízo ao indivíduo.

[Use este quadro apenas se necessário]

Revogo o consentimento prestado no dia _______________ e afirmo que não desejo prosseguir no estudo que me foi proposto, que dou como finalizado nesta data.

Cidade: ______________________ Data: _____________________________
Assinatura do pesquisador: _________________________________________
Assinatura do participante: __________________________________________
Testemunha: ____________________________________________________
Testemunha: ____________________________________________________

9 – Direito de confidencialidade

As informações obtidas serão analisadas em conjunto com outros indivíduos, não sendo divulgado a identificação de nenhum participante.

10 – Garantia de acesso aos dados

Direito de ser mantido atualizado sobre os resultados parciais das pesquisas, quando em estudos abertos, ou de resultados que sejam do conhecimento dos pesquisadores.

11 – Despesas e compensações

Não há despesas pessoais para o participante em qualquer momento do estudo, incluindo exames e consultas. Também não há compensação financeira relacionada à sua participação. Se existir qualquer despesa adicional, ela será absorvida pelo orçamento da pesquisa.

12 – Direito de indenização

Em caso de dano pessoal, diretamente causado pelos procedimentos propostos neste estudo (nexo causal comprovado), o participante tem direito a tratamento médico na Instituição, bem como às indenizações legalmente estabelecidas.

13 – Princípio de especificidade

O pesquisador tem o compromisso de utilizar os dados e o material coletado somente para esta pesquisa.

Informações do participante (sujeito da pesquisa)

Nome:

Endereço:

Complemento:

Bairro:

Cidade:

CEP:

Telefone:

Celular:

Ponto de referência:

Eu discuti com o Dr. ALDEMAR ARAUJO CASTRO (CRM-AL 3296) sobre a minha decisão em participar nesse estudo. Entendi todas as explicações que me foram fornecidas de forma clara e simples, inclusive permitindo que eu realizasse todas as perguntas e fizesse todas as observações que eu achei pertinente para entender o que ocorrerá comigo neste estudo, não me ficando dúvidas sobre os procedimentos a que serei submetido. Ficaram claros para mim quais são os propósitos do estudo, os procedimentos a serem realizados, seus desconfortos e riscos, as garantias de confidencialidade e de esclarecimentos permanentes. Ficou claro também que minha participação é isenta de despesas e que tenho garantia do acesso a tratamento hospitalar quando necessário. Concordo voluntariamente em participar deste estudo e poderei retirar o meu consentimento a qualquer momento, antes ou durante o mesmo, sem penalidades ou prejuízo ou perda de qualquer benefício que eu possa ter adquirido.

Acredito ter sido suficientemente informado a respeito das informações que li ou que foram lidas para mim, descrevendo o estudo: prevalência de obesidade em estudantes de graduação da área da saúde.

___________________________________________
Assinatura do participante/representante legal
(Rubricar as demais páginas)

Data  ____/___/_____

Contato em caso de urgência

Nome:

Parentesco:

Endereço:

Complemento:

Bairro:

Cidade:

CEP:

Telefone:

Celular:

Ponto de referência:

(Somente para o responsável do estudo)

Declaro que obtive de forma apropriada e voluntária o Consentimento Livre e Esclarecido deste paciente ou representante legal para a participação neste estudo.

_____________________________________________
Assinatura do responsável pelo estudo
(Rubricar as demais páginas)

Data         /       /       


10.3. Anexo 2 - Modelo dos formulários de coleta de dados

1. Identificação

0

1

2

3

4

5

6

7

8

9

0

1

2

3

4

5

6

7

8

9

0

1

2

3

4

5

6

7

8

9

2. Formulário de coleta de dados

1.

Não foi realizado

2.

Foi preenchido parcialmente

3.

Foi preenchido completamente

3. Nome do pesquisador

4. Data de preenchimento

/

0

8

/

2

0

0

7

5. Hora do preenchimento

h

m

i

n

7. Sexo biológico

1.

Feminino

2.

Masculino

3.

Não sei

4.

Não desejo responder

8. Data de nascimento

1.

___ ___ / ___ ___ / ___ ___ ___ ___

2.

Não sei

3.

Não desejo responder

9. Curso de graduação

1.

Fisioterapia

2.

Fonoaudiologia

3.

Medicina

4.

Terapia Ocupacional

5.

Outro, qual?

6.

Não sei

7.

Não desejo responder

10. Ano do curso de graduação

1.

Primeiro ano

2.

Segundo ano

3.

Terceiro ano

4.

Quarto ano

5.

Quinto ano

6.

Sexto ano

7.

Não sei

8.

Não desejo responder

11. Estatura (medir)

1.

___ ___ ___, ___ ___ cm

2.

Não foi possível medir

3.

Não desejo medir

12. Peso (medir)

1.

___ ___ ___, ___ ___ kg

2.

Não foi possível medir

3.

Não desejo medir


10.4. Anexo 3 - Cópia do documento de aprovação pelo comitê de ética em pesquisa

Atenção
Se não tiver a cópia de aprovação, elimine este dos anexos! 


10.5. Anexo 4 - Modelo da tabela de dados individuais

ID

Nome do pesquisador

Data

Hora

Nome do sujeito da pesquisa

Sexo

Data de nascimento

Curso de graduação

Ano da graduação

Estatura (medir)

Peso (medir)

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43


10.6. Anexo 5 - Curriculum vitae Lattes dos pesquisadores

Atenção

(1) Verifique com o Comitê de Ética em Pesquisa se o currículo deve ser copiado completo ou apenas a primeira página ou apenas o endereço (exemplo: http://lattes.cnpq.br/985815599901879.

(2) Todos os pesquisadores citados devem ter currículo Lattes

Guilherme Benjamin Brandão Pitta

Possui graduação em Medicina pela Escola de Ciências Médicas de Alagoas (1984) da Universidade de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), pós-graduação lato senso (1985-1987), mestrado (1987-1989) e doutorado (1995-1999) pela Escola Paulista de Medicina (EPM) da Universidade Federal de São Paulo. Atualmente é Professor Adjunto da Uncisal, docente colaborador e orientador do curso de mestrado em cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), membro do conselho editorial do Jornal Vascular Brasileiro (JVB) e do Annals of Vascular Surgery (AVS), membro do conselho científico (2003-2007) e Presidente (2010-2011) da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), Diretor (2011-2014) de Atendimento ao Associado da Associação Médica Brasileira (AMB) e orientador do doutorado renorbio - RENORBIO - Rede Nordeste de Biotecnologia. , atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia endovascular experimental, varizes e pé diabético.

(Texto informado pelo autor)

Última atualização do currículo em 17/04/2012 

Endereço para acessar este CV:

http://lattes.cnpq.br/9858155599901879 


Aldemar Araujo Castro

possui graduação em Medicina pela Escola de Ciências Médicas de Alagoas (1992), atual Universidade estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). Atualmente é professor assistente da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, Maceió, AL. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em cirurgia vascular e pesquisa clínica, atuando principalmente nos seguintes temas: revisão sistemática, metanálise, avaliação da qualidade das informações na área da saúde. URL: http://www.decisaoclinica.com Correio eletrônico: aldemararaujocastro@gmail.com

(Texto informado pelo autor)

Última atualização do currículo em 07/03/2011 

Endereço para acessar este CV:

http://lattes.cnpq.br/2259022333178681 


10.7. Anexo 6 - Termo de responsabilidade e compromisso do pesquisador responsável

TERMO DE RESPONSABILIDADE E COMPROMISSO DO PESQUISADOR RESPONSÁVEL

Eu, Aldemar Araújo Castro, pesquisador responsável pelo projeto “prevalência de obesidade nos estudantes dos cursos de graduação na área da saúde”, declaro estar ciente e que cumprirei os termos da Resolução 466 de 12/12/2012 do Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde e declaro:

1. assumir o compromisso de zelar pela privacidade e sigilo das informações;

2. tornar os resultados desta pesquisa públicos sejam eles favoráveis ou não; e

3. comunicar ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL) sobre qualquer alteração no projeto de pesquisa, nos relatórios semestrais ou por meio de comunicação protocolada, que me forem solicitadas.

Maceió, 15 de Março de 2006.

CPF: XXX.XXX.XXX-XX


10.8. Anexo 7 - Termo de responsabilidade do pesquisador e/ou colaborador

TERMO DE RESPONSABILIDADE DO PESQUISADOR e/ou COLABORADOR

Eu, Aldemar Araújo Castro, pesquisador do projeto “prevalência de obesidade nos estudantes dos cursos de graduação na área da saúde” declaro estar ciente e que cumprirei os termos da Resolução 466 de 12/12/2012 do Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde.

Maceió, 15 de Março de 2006.

                                       CPF: XXX.XXX.XXX-XX


10.9. Anexo 8 - Termo de responsabilidade do orientador

Use papel timbrado

TERMO DE RESPONSABILIDADE DO ORIENTADOR

Eu, <COLOCAR NOME AQUI>, orientador do pesquisador Aldemar Araújo Castro do projeto “prevalência de obesidade nos estudantes dos cursos de graduação na área da saúde” declaro estar ciente e que cumprirei os termos da Resolução 466 de 12/12/2012 do Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde.

Maceió, 15 de Março de 2006.

CPF: XXX.XXX.XXX-XX


10.10. Anexo 9 - Termo de responsabilidade da Instituição

Use papel timbrado

TERMO DE RESPONSABILIDADE DA INSTITUIÇÃO

Eu, <COLOCAR NOME AQUI>, reitor da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL), declaro estar ciente dos termos da Resolução 466 de 12/12/2012 do Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde e que a Disciplina de Metodologia da Pesquisa Científica do departamento de Saúde Integral e Comunitária tem recursos para realizar o projeto de pesquisa “prevalência de obesidade nos estudantes dos cursos de graduação na área da saúde”. 

Maceió, 15 de Março de 2006.

CPF: XXX.XXX.XXX-XX


10.11. Anexo 10 - Declaração de condições da Instituição

Use papel timbrado

DECLARAÇÃO DE CONDIÇÕES DA INSTITUIÇÃO

Eu, <COLOCAR NOME AQUI>, chefe do Departamento de Saúde Integral e Comunitária declaro estar ciente dos termos da Resolução 466 de 12/12/2012 do Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde e que o Departamento de Saúde Integral e Comunitária possui recursos e infra-estrutura para atender eventuais problemas resultantes do projeto de pesquisa “prevalência de obesidade nos estudantes dos cursos de graduação na área da saúde”.

Maceió, 15 de Março de 2006.

CPF: XXX.XXX.XXX-XX


Atenção
Esta ficha fica no verso na folha de rostro (página 2) na versão impressa.

Ficha catalográfica

Castro, Aldemar Araújo

   A prevalência de obesidade nos estudantes dos cursos de graduação na área da saúde. Aldemar Araújo Castro. – Maceió, 2007.

   47 f.

   Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) -- Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação.

   Título em inglês: Prevalence of obesity among health undergraduate students.

   1. Estatura. 2. Peso. 3. Obesidade. 4. Prevalência. 5. Estudantes de Ciências da Saúde. 6. Índice de massa corpórea.