Era uma vez...

Um casal de jovens recem casados,que não desejavam  ter filhos,e,quando completaram dois meses de casamento o que eles não esperavam aconteceu. Maria descobriu que estava grávida de uma menina, então se passaram os nove meses e nasceu um lindo bebê,que passou a se chamar Raquelly. A menina era linda, tinha a pele morena, os olhos uma bolita,de tão pretos que eram,seus cabelos era engruvinhados parecia umas molinhas.

Quando Maria estava grávida de Raquelly, sempre ficava admirando o jardim que havia do lado de sua casa, mas se assustava com sua vizinha, pois era muito feia e parecia uma bruxa de tanto que fazia cirurgias plásticas.

Sua vizinha morria de inveja de Maria pois ela não podia ter filhos, como Maria era ingênua de mais não percebia nada.

Um certo dia ligaram do escritório de seu esposo,dizendo que ele tinha sido levado para o hospital,Maria desesperada foi a vizinha e pediu para que ela olhasse Raquelly por algumas horas,chegando ao hospital viu que seu marido havia falecido de um infarte,desolada Maria voltou para casa e teve outra grande surpresa,sua vizinha havia roubado a criança. Para Maria foi o seu  pior dia, perdeu as duas pessoas mais importantes de sua vida.

Stefânia a vizinha,roubou Raquelly e a deixou com uma babá que detestava crianças pequenas, logo que Raquelly começava a chorar  ela ja  maltrava gritando e dando alguns beliscoes na garota,enquanto Stefânia desfrutava a bela paisagem que ficava em frente do apartamento que elas moravam.

Passaram anos e mais anos, e Maria nunca soube nenhuma notícia de Raquelly, com o seu desaparecimento e com a morte do seu marido, Maria entrou em uma grave depressão e cada vez que olhava a foto de um dos dois seu estado de saúde piorava.

Raquelly cresceu junto com a babá e a vizinha Stefânia, passou dias terríveis, pois raramente saia para fora, para poder ver pessoas, e brincar um pouco.A garota era muito solitaria,não tinha amigos e muito menos podia frequentar a escola,Stefânia pagava professor particular, pois morria de medo que alguém descobrisse que ela havia “rapitado” a menina.

Durante o dia, Raquelly  tinha poucas opções de coisas para fazer durante o seu dia, ficava apenas navegando na Internet para ver se não encontrava sua verdadeira família ou alguém para salva-lá, ou  então arrumava seu lindo cabelo que por vez estava comprido de mais pois nunca havia cortado. Em um dia  típico de inverno depois de ter limpado toda a casa Raquelly

foi fazer o que  fazia todos os dias, ficar navegando na Internet, nesse dia de tanto mexer em vários sites, ela descobriu um muito legal, pois podia conversar com várias pessoas,um jovem porém muito lindo lhe chamou a atenção,e ela resolveu perguntar a ele como se chamava,ele muito simpático  a respondeu dizendo que seu nome era Matheus, assim ficaram durante horas e mais horas,conversando, Raquely foi pegando confiança no menino e depois de alguns dias lhe contou toda a sua história, que quando pequena tinha sido rapitada, e era maltrada pela babá junto de sua vizinha Stefânia