O valor de se ter um propósito

Sem um propósito a vida fica sem sentido. Sem um propósito claro, ficamos sem alicerce o qual fundamenta decisões. Fomos feitos para ser importantes. Existem centenas de circunstâncias, valores e emoções que podem dirigir nossas vidas. Somos produtos de nosso passado, mas não temos de ser prisioneiros dele. O impulso de sempre querer mais baseia-se no conceito errôneo de quer ter mais me tornará mais feliz, mais importante, só que, corremos o risco de nunca estarmos satisfeitos. Estamos muito preocupados com o que os outros poderiam pensar, preocupados em agradar a todos nos deixando ser controlado pelas opiniões dos outros. É impossível fazer tudo o que as pessoas querem que façamos.

O sentimento de angustia, desespero e insatisfação vêm crescendo e o ser humano mergulha na busca constante de si mesmo. Muitas vezes somos vítima de circunstâncias, ou de atos externos que acontece ao redor, no meio em que vivemos. O ser humano não esta se encontrando, esta vivendo em um mundo muitas vezes fora de si mesma em busca da felicidade. Pela razão de não viver uma experiência com Deus e conhecer sua proposta de vida, tudo aquilo que pode ser considerado de forma errada pela moral humana se torna pecado, causando um sentimento de culpa e vazio, pois, passa a fazer escolhas para se livrar desta culpa de pecado.

Por falta de um propósito muitos se deixam guiar pela culpa, pelo rancor, pelo medo, pela aprovação dos “outros” e pelo materialismo. Pessoas que se deixam levar pela culpa são manipuladas por suas lembranças, permitem que seu passado controle o futuro. As guiadas pelo rancor se apegam as mágoas, não conseguem perdoar e se fecham; o rancor sempre machuca mais a você que a pessoa que trouxe tal indignação. Pessoas movidas pelo medo provavelmente passaram por experiências traumáticas ou viveram expectativas ilusórias; por deixar-se mover pelo medo perdem grandes oportunidades. Muitas pessoas necessitam de aprovação, levando muitas vezes a insatisfação por se deixarem ser controlados pelos outros e pela pressão social. As guiadas pelo materialismo têm como objetivo na vida “adquirir”, posses somente trazem felicidade temporária.

Por falta de um objetivo definido, a vida se torna quase nada e o problema da mulher e do homem passa a ser lidar com sigo mesma, daí então, as relações humanas passa a ser superficiais. Muitos criam uma mascara para fugir da responsabilidade que impõe sobre suas escolhas. Diante das escolhas que são tomadas será que alguém parou para pensar sobre elas? É necessário antes de tudo tornar silencio interior, pois sem este silencio não se encontra o caminho. Para ter claro qual o propósito que quero para a minha vida, é preciso momentos de recolhimento e reflexão. A fé em Deus pode nos levar a superação, mas infelizmente, muitas mulheres e homens não são mais capazes de expressar a sua fé, expressar no sentido de vivenciá-la na vida real. Conhecer a proposta de vida que Deus quer para sua humanidade, fazer uma experiência pessoal com Ele é o caminho para se ter claro qual o propósito que quero para a minha vida.

Lucimar Moreira Bueno (Lucia)

Coordenadora das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) na Província Eclesiásticas de Maringá

Blog: http://www.lucimarbueno.blogspot.com/