Exercício de Idade Média  primeiro ano HG

 

01.         “Os cosmógrafos e navegadores de Portugal e Espanha procuram situar estas costas e ilhas da maneira mais conveniente aos seus propósitos. Os espanhóis situam-nas mais para o Oriente, de forma a parecer que pertencem ao Imperador (Carlos V); os portugueses, por sua vez, situam-nas mais para o Ocidente, pois deste modo entrariam em sua jurisdição.”

Carta de Robert Thorne, comerciante inglês, ao rei Henrique VIII, em 1527.

O texto remete diretamente

 

a) à competição entre os países europeus retardatários na corrida pelos descobrimentos.

b) aos esforços dos cartógrafos para mapear com precisão as novas descobertas.

c) ao duplo papel da marinha da Inglaterra, ao mesmo tempo mercantil e corsária.

d) às disputas entre países europeus, decorrentes do Tratado de Tordesilhas.

e) à aliança das duas Coroas ibéricas na exploração marítima.

 

 

02. A atividade extrativista desenvolvida na Amazônia, durante o período colonial, foi importante, porque:

a) garantiu a ocupação da região e aproveitou a mão-deobra indígena local.

b) reproduziu, na região, a estrutura da grande propriedade monocultora.

c) gerou riquezas e permitiu a abertura de estradas na região.

d) permitiu a integração do norte do Brasil ao contexto andino.

e) inviabilizou as aspirações holandesas de ocupação da floresta.

 

 

03. Acerca da expansão portuguesa no século XV, é CORRETO afirmar que:

 

A) os portugueses conseguiram conquistar, de forma integral, as atividades econômicas do território africano e submetê-las ao monopólio real.

B) os portugueses realizaram, em diversas ilhas do Atlântico, produções agrícolas em grande escala, empregando mão-de-obra escrava.

C) os portugueses priorizaram o comércio com a África, estabelecendo, naquele território, um modelo de colonização baseado no sistema de parceria.

D) os espanhóis, mais bem armados e mais experientes, derrotaram os portugueses na disputa pelos territórios da América Central.

e) os portugueses, desistiram da colonização de Moçambique para ficar no Brasil.

 

 

04.   Leia o texto abaixo.

“(...) a propriedade surge como entidade contraditória num sistema de colonização. (...) de um lado, é sobre a propriedade que está assentado o sistema; resulta imprescindível seu desenvolvimento e fortalecimento para o êxito da colonização. Por outro lado, deve-se considerar que tal fortalecimento gera novos interesses que se chocam com os fins da colonização.(MOTA, Carlos Guilherme. Idéias de revolução no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1979, p. 75-9. Citado por MELLO,L. I. A.; COSTA, L.C.A. História do Brasil. São Paulo: Scipione, 2001, p.107-108.)

 

Pode-se depreender do texto que A) o pleno funcionamento da colônia gerava oposições de interesses, que terminariam por produzir sua superação.

 

B) os portugueses impediram qualquer tipo de propriedade privada no Brasil, em virtude da natureza do processo colonizador.

C) a propriedade privada é a base fundamental do sistema capitalista, mas o seu desenvolvimento gera, inevitavelmente, crises periódicas.

D) o sistema colonial nasceu de forma ambígua porque servia a interesses estranhos a Portugal, tais como os projetos expansionistas ingleses.

e) a base da riqueza do homem no século XVI era a terra localizada às margens das rodovias no século XVI.

 

 

05. Gabriel Soares, um oficial português, escreveu em 1587 sobre os índios Guaianá:

"É gente de pouco trabalho(...); se encontram com gente branca, não fazem nenhum dano, antes boa companhia, e quem acerta de ter um escravo guaianá não espera dele nenhum serviço, porque é gente folgazã de natureza e não sabe trabalhar."

O texto expressa:

a) a diferença entre as concepções de trabalho do mundo europeu e das culturas indígenas.

b) o preconceito racial que coibiu formas de miscigenação cultural na colônia.

c) a ineficiência do ensino dos missionários ministrado aos grupos indígenas sem tradição agrícola.

d) o argumento básico para se elaborarem leis, proibindo a escravização indígena na colônia.

e) a forma usual de resistência indígena para evitar a dominação cultural e a escravização.

6) O desaparecimento da servidão feudal, na Europa Ocidental, na Baixa Idade Média, foi:

a) iniciado com o aparecimento de um mercado urbano para a agricultura, que levou à troca da renda trabalho pela renda dinheiro e intensificado com as revoltas camponesas.

b) realizado violenta e inesperadamente durante a peste negra, quando os camponeses aproveitaram-se da situação para se revoltar em massa contra os senhores.

c) proporcionado pela ação conjugada de dois fatores externos ao âmbito dos camponeses, as guerras entre os próprios nobres e destes com as cidades.

d) liderado pacificamente pela Igreja Católica, protetorados camponeses, e concluído com a ajuda dos reis interessados em arruinar o poder dos senhores feudais.

e) determinado pelo fluxo de dinheiro que os senhores feudais recebiam das cidades em troca da liberação dos camponeses, empregados no sistema de produção em domicílio.

07. "Os que aqui são pobres e miseráveis encontrarão lá alegria e abundância".

(Papa Urbano II - 1093)

Foi este tipo de discurso, feito pela Igreja, que referendou o objetivo oficial da organização de Cruzadas: conquistar os lugares sagrados do Cristianismo.

Na verdade, porém, estas expedições militares atenderam, principalmente:

I - Ao interesse do Ocidente de dominar importantes cidades comerciais do Oriente, satisfazendo os apetites materiais da nobreza;

II - À necessidade de garantir terras aos nobres não primogênitos, pois grandes quantidade deles levava uma vida quase miserável, em função das normas que regulavam o direito de herança;

III - Ao desejo de camponeses oprimidos pelas obrigações feudais, de conquistar terras e liberdade.

 

Estão corretos os itens:

a) I e II;

b) II e III;

c) I e III;

d) Todos;

e) Nenhum.

08.  Do século VI aos dias atuais, a religião muçulmana tornou possível a reunião dos povos árabes e contribuiu para conquista territoriais em três continentes. Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas.

 

0) Na Mesopotâmia, os muçulmanos reconstruíram os antigos canais; na Espanha, a agricultura conheceu grandes inovações técnicas e algumas cidades adquiriram fama pelas suas indústrias.

1) Os muçulmanos, juntamente com os bizantinos, conservaram a economia monetária do Oriente próximo e transmitiram-na ao Ocidente, renovando a economia agrícola da Europa Ocidental.

2) O fechamento do comércio do Mediterrâneo aos europeus, pelos muçulmanos, em 1453, desencadeou o processo de navegação dos povos ibéricos.

3) A arte muçulmana expressou-se fundamentalmente na pintura e na escultura, e a arquitetura se destinou mais aos edifícios religiosos.

4) Por vários séculos, a presença dos muçulmanos na Península Ibérica marcou a sociedade, que transferiu valores culturais à colonização do Brasil, a exemplo dos balcões de muxarabi de Olinda.

09.  Do ponto de vista cultural, na passagem da Antigüidade para a Idade Média, é correto afirmar que o patrimônio greco-romano.

a) Só não sofreu perda maior devido à ação esclarecida de muitos chefes bárbaros.

b) Perdeu-se quase completamente porque, dado o seu caráter pagão, foi rejeitado pela Igreja.

c) Foi rejeitado pelos bárbaros em razão do caráter cristão com que foi revestido pela Igreja.

d) Não desapareceu com a antigüidade porque a Igreja serviu de conduto para sua sobrevivência.

e) Escapou do desaparecimento graças à preservação fortuita de textos antigos.

 

10.

A crise do sistema feudal acelerou-se no século XIV. Esta crise geral manifestou-se de várias maneiras. Assinale a alternativa incorreta.

a) Devido à forma de exploração utilizada durante toda a Idade Média houve esgotamento do solo e consequentemente a produção agrícola diminuiu.

b) A queda da produção agrícola teve como conseqüência imediata a subida dos preços.

c) Com a falta de produtos os mercados tendiam a fechar nas cidades e a fome atingiu também a população do campo.

d) Neste período a peste negra assolava em toda a Europa causando a morte da população.

e) Com a diminuição da taxa de crescimento populacional os preços tenderam a baixar e os senhores feudais e nobres mantiveram seu padrão econômico.