Integrantes Do Grupo: Ian Carlo, José Augusto, Antônio Menezes e Diego De Paula.

1° ANO:”B”

Grupo:3 Energia Nuclear

Introdução

 Esse trabalho vai falar sobre a energia nuclear, as conseqüências do uso dessa energia que altamente perigosa e deve ser trabalhada com muito cuidado. Irá também abordar assuntos sobre grandes catástrofes atômicas e etc.

Energia Nuclear (Definição)

 

  A energia nuclear está no núcleo dos átomos, nas forças que mantém unidos os seus componentes – as partículas subatómicas. É libertada sob a forma de calor e energia electromagnética pelas reacções nucleares, como as que ocorrem no sol, e nas reacções e explosões nucleares.

  Estas reacções traduzem-se na aniquilação de massa e sua convicção em energia.

Força Nuclear

    Força nuclear é a força que ocorre entre os protões e os neutrões do núcleo atómico. Esta interacção é responsável pela coesão entre as diferentes partículas que os compõem. Os neutrões não possuem carga eléctrica, enquanto os protões possuem carga positiva. A interacção nuclear forte supera a repulsão mútua entre protões, carregados positivamente, evitando sua dispersão.

Função da Energia Nuclear

 

   Um átomo é formado por um núcleo e por uma nuvem electrónica ocupada por minúsculos electrões, que permanecem em prováveis regiões nas proximidades do núcleo – um pequeno e massivo conjunto de protões e neutrões, mais de 100.000 vezes menor do que o átomo ao qual pertence. Tanto os protões como os neutrões, por sua vez, são formados por outras subpartículas: os quarks – cada protão ou neutrão é formado por 3 quarks. A energia que mantém todas estas partículas e subpartículas unidas é a energia nuclear, e pode ser aproveitada, em centrai nucleares para outros fins.

 

Organização do Átomo

 

 

 

 

Central Nuclear

 

   Uma Central Nuclear ou Usina Nuclear é uma instalação industrial empregada para produzir electricidade a partir de energia nuclear, que se caracteriza pelo uso de materiais radioactivos que através de uma reação nuclear produzem calor.

 

Bomba Atômica

 

    A nuvem em forma de cogumelo deixada pela bomba atómica que explodiu em Hiroshima, Japão, a 6 de Agosto de 1945, atingiu 18 km de altura.

   Uma bomba atómica (bomba nuclear) é uma arma explosiva cuja energia deriva de uma reacção nuclear e tem um poder destrutivo imenso – uma única bomba é capaz de destruir uma cidade inteira.

 

 

A imagem mostra a cidade de Hiroshima (Japão) após a explosão da primeira bomba atómica em finais da segunda guerra mundial.

 

Intensidade

 

   Todos os núcleos, excepto aqueles dos isótopos do hidrogénio, têm mais de um protão. Então, deve existir, entre os nucleões, uma interacção atractiva mais intensa do que a interacção colombiana repulsiva entre os protões, para a mesma separação. Na verdade, as forças nucleares são cerca de 100 vezes mais intensas do que as forças eléctricas.

 

 

A descoberta

 

  O fenómeno da radioactividade foi descoberto pelo físico francês Henri Becquerel em 1896, quando verificou que sais de urânio emitiam radiação semelhante à dos raios-X, impressionando chapas fotográficas e concluiu que, se um átomo tiver seu núcleo muito energético, ele tenderá a estabilizar-se, emitindo o excesso de energia na forma de partículas e ondas.

 

 

Urânio

 

   O urânio é um elemento químico de símbolo U e de massa atómica igual a 238 (92 protões e 146 neutrões). À temperatura ambiente, o urânio encontra-se no estado sólido. Foi o primeiro elemento onde se descobriu a propriedade de radioactividade. Foi descoberto em 1789. O Urânio é utilizado em indústria bélica (para bombas atómicas e para bombas de hidrogénio) e na construção de usinas nucleares com o objectivo de geração de energia eléctrica.

 

Minério de urânio

Conclusão

 

  Como pôde ser observado ao longo desta apresentação, a energia nuclear veio facilitar o avanço da vida moderna. A radioactividade do urânio foi descoberta em 1896, desde então esta tem cada vez mais utilidades no nosso planeta. 

Conseqüências da Energia Nuclear

   A tecnologia nuclear é perigosa, já causou acidentes graves como o de Three Mile Island (EUA) e Chernobil (Ucrânia), com milhares de mortes e enfermidades decorrentes desses acidentes, além da perda de grandes áreas. A utilização desse tipo de tecnologia continua apresentando graves riscos para toda a humanidade. Reatores nucleares e instalações complementares geram grandes quantidades de lixo nuclear que precisam ficar sob vigilância por milhares de anos. Não se conhecem técnicas seguras de armazenamento do lixo nuclear gerado.

  O horror nuclear em Hiroshima e Nagasaki marcou a primeira e única vez em que armas atômicas foram usadas deliberadamente contra seres humanos. Mais de 100 mil pessoas morreram nos ataques de 6 a 9 de Agosto de 1945 e outros milhares morreriam nos anos seguintes sofrendo de complicações causadas pela radiação.


Desastres Nucleares

  No dia 26 de abril de 1986, um experimento mal conduzido, aliado a problemas estruturais da usina e outros fatores, causou a explosão do quarto reator de Chernobyl. Cerca de 31 pessoas morreram na explosão e durante o combate ao incêndio. Outras centenas faleceram depois, por causa da exposição aguda à radioatividade, num grau 400 vezes maior que o da bomba de Hiroshima.

A edificação de contenção, em formato de domo, da Usina Nuclear de Shearon Harris, perto de Raleigh, Carolina do norte.

Energia Nuclear

  A capacidade de gerar energia através das usinas nucleares está baseada na fissão (quebra) de átomos em um reator. Esse processo consiste em uma reação nuclear em cadeia gerando enorme quantidade de calor. A energia produzida na fissão nuclear é utilizada em usinas para aquecer caldeiras e gerar vapor.

Funcionamento de uma usina nuclear:

  O reator nuclear, coração da usina, usa a energia contida no interior do átomo para, simplesmente, ferver água. Daí para frente, tudo funciona como em uma usina a vapor qualquer, movida a carvão ou petróleo. O vapor d’água gerado será induzido a passar por um sistema de turbinas, as quais irão fazer girar um gerador produzindo energia elétrica.

  As usinas nucleares é uma das formas de obtenção de energia elétrica característica de países desenvolvidos, levando em consideração o alto custo de instalação e a avançada tecnologia implantada ao processo.

Vantagens da usina nuclear:

• Utilização das radiações em múltiplas aplicações da medicina, agropecuária, indústria e meio ambiente;

• A nucleoeletricidade que gera energia.

Desvantagens da usina nuclear:

• O efeito devastador das bombas atômicas;

• Acidentes nucleares;

• Diversos tipos de resíduos e materiais radioativos e o destino indevido desse lixo atômico.

Tipos de lixo nuclear:

Lixo de alto Nível

O lixo de alto nível são os resíduos que contem produtos gerados durante o processo de fissão, com altos níveis de radioactividade. A radioactividade libertada por este resíduo degenera-se com relativa rapidez no início, embora continue perigoso durante milhares de anos devido ao seu conteúdo actinídeo, os materiais actinídeos possuem uma radioactividade de baixa intensidade, mas possuem uma vida muito longa.

Lixo de nível intermédio:

O lixo de nível intermédio é produzido em variados processos que envolvem matérias radioactivas, embora apresentem menos perigo que os resíduos de alto nível.

Lixo de baixo nível:

Este tipo de lixo de baixo nível é produzido por hospitais, laboratórios, indústrias e centrais nucleares, devem ser manuseados com alguma precaução.

A descarga destes tipos de resíduos radioactivos no ambiente é bastante perigosa, visto que pode causar danos quer para o Homem, quer para as restantes espécies e ecossistema.