A Biblia e o jovem cristão

2Tm 3:16 Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; 17 Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.

Sem dúvida a Bíblia é o livro mais publicado, lido, amado, odiado, criticado e defendido. Por ela pessoas têm vivido e morrido, lares se têm formado e desfeito. A sua mensagem tem influenciado mais gente que qualquer outro livro, e sobre a favor e contra ela há, provavelmente, mais livros escritos que sobre qualquer outro. Por crermos, descrermos ou estarmos simplesmente curiosos acerca dela estamos aqui hoje.

Só estas características nos deviam fazer pensar que, de facto, tem que haver alguma coisa de muito especial acerca da Bíblia.

Por ser impossível dizer tudo acerca da Bíblia, e como o tempo disponível mal chega para apenas começar, vamos limitar-nos a pensar um pouco sobre a sua importância para o Homem.

1. O livro que dignifica - a sua existência mostra a importância do homem para o Seu autor. Se assim não fosse não se daria ao trabalho de escrever uma tal mensagem. Ela ensina a igualdade dos homens, a justiça social, o respeito mútuo, a diferença entre os sexos mas não a superioridade de um sobre o outro. Proíbe discriminações e explorações, promove a paz, o amor e o bom entendimento entre todos os homens.

A Lei que foi dada a Moisés para o povo de Israel ainda hoje é um bom manual de vida e relacionamentos onde muito podemos aprender sobre estes princípios.

Não é por acaso que os povos que deram lugar à fé cristã e à Bíblia progrediram e melhoraram. Quem nos dera que tal se verificasse hoje pois o abandono dos seus princípios e ensinos levou o mundo ao estado de decadência moral, social, e outras que todos conhecemos e lamentamos.

2. O livro que revela - apresenta-nos o seu autor e diz-nos tudo o que Ele deseja que saibamos sobre Ele mesmo. A revelação natural, criação e mundo e sentimento religioso universal, apontam para a existência de Deus, mas é a Bíblia que nos diz quem e como Ele é. Não nos apresenta um conceito panteísta de Deus, indiferenciado, imanente, limitado à criação da qual faz parte já que ele é tudo e tudo saiu e volta para Ele. Mas um Deus pessoal, diferenciado, transcendente, criador, sustentador, profundamente interessado na Sua criação. Por isso ensina que o homem não é uma parte da energia total em evolução para se fundir no todo cósmico, mas também ele é gente, pessoa, diferenciado hoje e para sempre, com existência eterna como o Seu criador, mas diferente dele, e por isso também destinado a uma eternidade consciente e diferenciada.

3. O livro que informa - por ele recebemos uma cosmogonia e uma cosmovisão. Ainda hoje os homens procuram saber as origens do universo e da vida, a sua ordem e evolução, os comos e porquês. Não é por acaso que cada vez mais as descobertas científicas e as grandes famílias de cientistas e investigadores se inclinam para modelos e explicações que se aproximam daqueles que o livro de Gênesis nos apresenta. Claro que não há informações detalhadas nem pormenores técnicos, é que a Bíblia não é um manual de qualquer ciência mas apenas a palavra de Deus, a Sua revelação ao homem. Por isso, apesar de não conter erros ou inexatidões científicas também não traz informações nem detalhes nesses campos. A Bíblia não explica esse comos apenas os afirma.

Não é por acaso que na Bíblia não há nenhum livro ou capítulo que se dedique a provar a existência de Deus. Este livro maravilhoso apenas a afirma como fato inquestionável, perfeitamente conhecido e crido por aqueles a quem ela se destinou em primeiro lugar, o povo Judeu. Daí que a primeira afirmação da Bíblia, as sua palavras de abertura sejam "No Princípio Deus..." e depois começa a contar a sua história "No princípio Deus criou os Céus e a Terra". Não há explicações por que também não há dúvidas, não há outra possibilidade que tão bem explique e coordene de forma lógica, racional e verdadeira os factos de todos conhecidos e para os quais, até hoje, ninguém conseguiu nem conseguirá uma explicação melhor nem mais simples.

4. O livro que responde - as grandes perguntas sobre o sentido profundo da vida, de onde viemos? Para onde vamos? Porque estamos aqui? Se Deus existe porque há sofrimento? É possível viver em Paz?

Claro que agora e nestes breves minutos não posso dizer-vos tudo o que ela diz sobre estas questões mas num breve resumo direi que a Bíblia nos ensina que viemos de Deus, somos feitura sua, não obras em série e descaracterizadas, mas peças perfeitas de artesanato, criadas à Sua imagem e semelhança, com atributos semelhantes e com uma compatibilidade tal que podemos Ter comunhão e ligação. Diz também que estamos aqui para viver o melhor possível, não de uma forma interesseira e egoísta, mas respeitando e amando o próximo com a nós mesmos, procurando obedecer e honrar a Deus com as nossas vidas, tirando prazer da vida, sim, mas não à custa dos outros e do seu bem estar. E buscando descobrir e viver o propósito ou plano de Deus para nós.

Termina dizendo que voltaremos para Deus. Não depois de muitas reencarnações mas de uma única morte e ressurreição, e que seremos julgados de acordo com as opções que tivermos tomados nesta vida terrena. Assim será determinado o seu futuro eterno, com Deus ou longe de Deus .

Por ela sabemos que o sofrimento não vem de Deus... é fruto do pecado... conseqüência do livre arbítrio do direito do homem determinar o seu rumo e destino... de fazer escolhas... Deus não criou robots subservientes mas homens conscientes e com auto direção...daí os abusos egoísmos prepotências desigualdades.... Podia mas não acaba com eles, mas ensina que um dia, por tudo isto nos trará a juízo.

Sim podemos viver em paz, com Deus..., connosco..., e com os outros....

5. O livro que ilumina - sozinho o homem não sabe para onde ir nem como caminhar. Segue as suas inclinações e desejos. Conseguiu estragar a sua vida e o mundo belo e maravilhoso que nos foi dado para viver e cuidar. Na Bíblia aprendemos a viver bem, com propósito, sentido, responsabilidade e uma visão conjunta de passado, presente e futuro. Aprendemos a viver para Deus e à maneira de Deus, para que juntamente com Ele, numa caminhada conjunta e frutífera alcancemos plenamente os alvos originais da criação. Realização e comunhão.

Realização do ser humano e das suas potencialidades orientadas para o bem pessoal e comum. Comunhão com Deus, fonte de vida luz e amor, de onde tudo nos vem e para quem caminhamos, procurando já hoje, aqui e agora viver com Ele e para Ele.

6. O livro que dá esperança - ao apresentar-nos Deus fala-nos do Seu amor, do Seu plano para o homem. Estas são as duas grandes correntes que correm paralelas e interligadas ao longo de todo o relato bíblico, revelação e redenção. Se por um lado aprendemos sobre o plano original de Deus e da consequente queda e afastamento do homem desse alvo, logo desde o princípio nos é apresentado o plano redentor que visa fazer retornar o homem à sua posição original, de comunhão com Deus.

Assim a Bíblia condena o comportamento errado do homem e chama-lhe pecado, desvio do plano original da Lei e vontade perfeita de Deus, e ensina que o castigo para esse pecado é único, a morte.

Ensina-nos que por causa do Seu amor Deus enviou Jesus o Seu filho que deu a Sua vida por nós, pagando Ele mesmo o preço da justiça divina, desfazendo o castigo que pesava sobre nós e libertando-nos assim de uma condenação eterna As suas próprias palavras são "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho, Jesus, para que todo aquele que n'Ele crê não se perca, mas tenha vida eterna".

Aprendemos que não há um ciclo mais ou menos infindável de reencarnações sujeitas a uma lei de Karma, tirânica, fria, impiedosa que exige que o homem seja capaz de fazer tanto bem que anule todo o mal passado, o que é impossível e todos bem o sabemos. Em vez disso apresenta-nos uma obra feita e acabada. O que nos é impossível Deus já fez por nós. O juiz, santo, puro e perfeito que nos condena, torna-se Ele mesmo o redentor amoroso que paga o preço da nossa pena e nos oferece perdão total e eterno.

Quão superior a qualquer outra, quão mais amorosa, compatível com a realidade, com as nossas percepções e sentimentos é esta história redentora que pega no homem caído e o eleva às alturas da divindade, sem nunca o ser, pois Deus só há um, mas nos torna Seus filhos queridos, Seus herdeiros com o direito de vivermos e reinarmos eternamente com Ele, sem sermos Ele, mantendo toda a nossa individualidade e distinções. Em vez de aniquilamento, absorção, inércia, e mera contemplação, dá-nos uma vida eterna plena de significado e actividade consciente, realizadora e frutífera.

7. O livro único - sem ele andaríamos e viveríamos em trevas, sujeitos às modas ideológicas e filosóficas, fruto do esforço indagador e perscrutador do homem na sua busca solitária de respostas às suas questões. Seríamos, como muitos são, presa de humanismos de toda a espécie, frutos do pecado e do orgulho do homem, que escolhe deliberadamente rejeitar Deus, Sua existência, plano e amor. Por isso nada mais lhe resta que tornar-se centro e razão de ser de tudo, interpretando esse tudo em termos da sua pessoa, existência e importância, chegando assim a conclusões tanto mais erradas quanto mais o afastam de Deus e da verdade.

Pela Bíblia todos estes sonho e desvarios são desfeitos e, em troca, é-nos dada uma perspectiva correcta do universo, da vida, do seu propósito, do homem, das suas origens e futuro.

É necessário uma atitude semelhante à dos nossos antepassados que assumiram a verdade que tantas vidas custou mas que não era possível negar mais: a terra não é o centro do universo, este não gira á nossa volta. Assim também deixemos de ver o mundo e a vida como se nós homens fossemos o seu centro, e vamos crer e viver de acordo com a verdade eterna que a Bíblia nos revela: existe um Deus todo poderoso que nos ama e nos convida a voltar para si, para com Ele vivermos em plena paz e felicidade por toda a eternidade. Isto não exige nem esforço, nem evolução, nem pagamento ou retribuição da minha parte. Apenas um acto de fé, arrependimento quanto ao caminho passado, uma conversão ou volta no sentido do meu caminhar, voltando-me para Deus que já fez tudo, aceitando isso como facto consumado, inquestionável e todo suficiente. Começando, porque não, hoje e agora a viver com Ele e para Ele conforme a Bíblia nos ensina e recomenda.

Não admira portanto o conselho de Paulo Timóteo: 1TM 4:6 "Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Jesus Cristo, criado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido." 4:12 "Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza." 4:13 "Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá." 4:16 "Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem."

Apenas conhecendo, amando e praticando a Palavra seremos os filhos e filhas que Deus deseja Tg 1:22 "E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos." Só assim seremos o sal e a luz, pois a revelação e iluminação da Palavra sairá de nós para os outros Mt 5:13,14 "Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;" Sem ela andaremos perdidos e errantes pois ela é e dá-nos a luz e direcção de Deus SL 119:105 "Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho."

Se o temor do Senhor é o princípio da sabedoria e muitas outras coisas Pv 1:7 "O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento...; 2:5 Então entenderás o temor do SENHOR, e acharás o conhecimento de Deus. 8:13 O temor do SENHOR é odiar o mal...; 9:10 O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência. 10:27 O temor do SENHOR aumenta os dias...;14:26 No temor do SENHOR há firme confiança e ele será um refúgio para seus filhos. 14:27 O temor do SENHOR é fonte de vida, para desviar dos laços da morte. 15:16 Melhor é o pouco com o temor do SENHOR, do que um grande tesouro onde há inquietação. 15:33 O temor do SENHOR é a instrução da sabedoria...; 16:6... pelo temor do SENHOR os homens se desviam do pecado. 19:23 O temor do SENHOR encaminha para a vida; aquele que o tem ficará satisfeito, e não o visitará mal nenhum. 22:4 ...e o temor do SENHOR são riquezas, honra e vida. Esse temor vem pela revelação e conhecimento que adquirimos pela Palavra, lida, crida, revelada e iluminada pelo Esp. Santo.

Já o salmista sabia que a única maneira de trilhar um caminho santo era pela observância da Palavra de Deus: Sl 119:9 - Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra. 119:11 - Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.

Vamos ler, amar, crer e divulgar a Bíblia. Ela era, foi e será sempre a eterna e actual Palavra de Deus para o homem.

Fonte: http://www.militarcristao.com.br/estudos.php?acao=texto&id=278&pagina=0