Série eletroquímica: o caso dos metais

A série eletroquímica é uma listagem de espécies químicas ordenadas de acordo com o seu poder redutor (¡.e., tendência para se oxidarem) ou, inversamente, de acordo com o seu poder oxidante (í.e., tendência para se reduzirem).

Frequentemente as espécies aparecem alinhadas verticalmente por ordem decrescente do poder redutor, como se mostra na tabela para o caso especifico dos metais. Assim, nesta série eletroquímica, o lítio é o que evidencia maior tendência para se oxidar, ao contrário da prata que

aparece um último lugar.

Consultando uma série eletroquímica pode prever-se se um metal é capaz de deslocar um catíão metálico existente num composto. Para isso, basta que o metal não combinado se encontre acima do referido catião.

Por exemplo, o zinco está acima do cobre, pelo que o Zn(s) deslocará o Cu2+ do sulfato de cobre:

Outra informação importante que pode ser retirada de uma série eletroquímica é se um metal é capaz de deslocar o hidrogénio dos ácidos.

Com este objetivo, e apesar de não ser um metal, o hidrogénio aparece incluído nesta listagem para separar os metais que reagem com ácido diluído, libertando H2(g), daqueles que não reagem com ele.

Assim, de acordo com a série da Tabela, metais acima do hidrogénio deslocam-no de um ácido, enquanto os metais abaixo dele não reagem com os ácidos. Por exemplo, o ferro reage com ácido clorídrico, mas o cobre não:

 Não Reage

Generalizando, qualquer reação de oxidação-redução é viável desde que os reagentes saiam o redutor mais forte e o oxidante mais forte de dois pares oxidante-redutor que constem na série eletroquímica.