A OBRA DE FAZER DISCÍPULOS
28/08/2016

A IGREJA NÃO É COMO UM CLUBE ONDE VOCÊ SE ASSOCIA PARA TEU ENTRETENIMENTO.
A IGREJA É COMO UM EXÉRCITO ONDE VOCÊ SE ALISTA VOLUNTARIAMENTE PARA A GUERRA.

TEMOS UMA MISSÃO ESTABELECIDA, UM PROPÓSITO DEFINIDO DE GANHAR E EDIFICAR VIDAS.
Discipulado, um serviço de amor

Introdução: Quem foi o melhor discipulador de todos os tempos?

JESUS

1. O fruto de Jesus
a. Um traidor,
b. Um suicida,
c. Um blasfemo,
d. Um incrédulo,
e. Muitos covardes,

2. As Suas qualificações:
a. Tinha toda a graça, poder, sabedoria,
b. Falou a coisa certa, na hora certa, para a pessoa certa, da forma certa,
c. Amou e atendeu a todos,

3. Por que temos a pretensão de achar que podemos mudar alguém?
a. De onde tiramos tal pretensão,
b. Isto traz um peso enorme e uma responsabilidade de trabalhar com o outro,

4. A essência do discipulado:
a. Não é transformar alguém, mas é deixar-se ser transformado,
b. Sai o peso de ter que mudar alguém e entra o de ser modelo para eles,

5. A transformação com a vinda do Espírito Santo:
a. Enquanto ele esteve fora não pode mudar ninguém, mas quando ele vem habitar dentro deles a transformação acontece,

6. Não existe discipulado sem o Espírito Santo:
a. Os dons do Espírito,
b. Nos faria lembrar da palavra,

7. Encontramos na Escritura muitas maneiras de tratar situações, elas ficaram relatadas para nos ajudarem a desempenhar o nosso serviço de amor:
a. 1 Cor 5.
b. 2 Ts 3.6
c. 2 Tm 2.24
d. 1 Ts 5.12-14
e. A Parábola da Dracma perdida
f. A Parábola da ovelha perdida
g. A Parábola do filho pródigo
h. Amos 3:12


Conclusão:

Este é um serviço de amor, quanto vale uma vida? Não podemos tratar de qualquer forma e nem desprezar aqueles que o Senhor pagou um alto preço.

Que Deus nos capacite e abençoe!
Situações no Cuidado de Vida (no tratamento de vida ou no discipulado)

I)  Quais os passos para formar a vida de um discípulo?

1. Ensinar Mt 28:20

2. Repetir, instruir, catequisar Lc 1:4, Fp 3:1

3. Exortar, animar
Rm 12:8a, 1 Ts 5:14
(profetizar 1 Co 12:1-3)

4. Corrigir Gl 6:1

5. Repreender, admoestar
At 20:31, 2 Tm 4:2, 1 Ts 5:14

6. Disciplinar 2 Tm 2:25-26

II) Aplicando

Quando disciplinar?
- vida desordenada
- rebeldia
- heresia
- pecado


1) gentio e publicano
Mt 18:15-17

15 Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão;
16 Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada.
17 E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.

2) entregar a satanás
1 Co 5:1-5

3) excluir 1 Co 5:13

Exclusão. No final do Mt 18:17 Jesus diz "...se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano". A recusa no atendimento às admoestações, a atitude de arrogância e desafio às autoridades, retratada em 2 Pe 2.10-11 e Judas 7-8, devem levar o faltoso à exclusão da igreja visível. Ele (ou ela) deve ser considerado como um descrente ("gentio") e deve ser cortado da comunhão pessoal da mesma forma como os coletores de impostos ("publicanos") eram desprezados pelos judeus. Somente evidências de arrependimento e conversão real poderão restaurar essa comunhão cortada pela disciplina. Com essa exclusão vão-se também os privilégios de membro, como a participação na Santa Ceia, e os demais. Jesus demonstra a necessidade de respaldar essa drástica atitude na sua própria autoridade e na do Pai. Isso ele faz nos vs. 18-19, mostrando o seu acompanhamento e o do Pai, nas questões da igreja que envolvem a preservação de sua pureza. Ele fecha essas instruções com a promessa de sua presença na congregação do povo de Deus (v. 20). Essas são palavras de grande encorajamento para que a igreja não negligencie a aplicação do processo de disciplina em todos esses passos.

1 Coríntios 5

1 Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver quem abuse da mulher de seu pai.
2 Estais ensoberbecidos, e nem ao menos vos entristecestes por não ter sido dentre vós tirado quem cometeu tal ação.
3 Eu, na verdade, ainda que ausente no corpo, mas presente no espírito, já determinei, como se estivesse presente, que o que tal ato praticou,
4 Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, juntos vós e o meu espírito, pelo poder de nosso Senhor Jesus Cristo,
5 Seja entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus.
6 Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa?
7 Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.
8 Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.
9 Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem;
10 Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo.
11 Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais.
12 Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro?
13 Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo.

4) notar (exposição pública)

2 Ts 3: 6-15
6 Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu.
7 Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós,
8 Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós.
9 Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes.
10 Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.
11 Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs.
12 A esses tais, porém, mandamos, e exortamos por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão.
13 E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.
14 Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe.
15 Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão.

5) ovelha perdida Lc 15

6) dracma Lc 15

7) filho pródigo Lc 15

Lucas 15

1 E Chegavam-se a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir.
2 E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles.
3 E ele lhes propôs esta parábola, dizendo:
4 Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá-la?
5 E achando-a, a põe sobre os seus ombros, gostoso;
6 E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.
7 Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.
8 Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar?
9 E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida.
10 Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
11 E disse: Um certo homem tinha dois filhos;
12 E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda.
13 E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.
14 E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades.
15 E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos.
16 E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada.
17 E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!
18 Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti;
19 Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros.
20 E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
21 E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho.
22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés;
23 E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos;
24 Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se.
25 E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças.
26 E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo.
27 E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo.
28 Mas ele se indignou, e não queria entrar.
29 E saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos;
30 Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado.
31 E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas;
32 Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou-se.

8) 1 Ts 5

9) AMOS 3:12

III) Qual é a estratégia da obra?

1) Conscientizar os santos
2) Equipar, catequisar
3) Relacionar, formar corpo
4) Mobilizar, ser igreja na rua

IV) Quais as caracteristicas da ação?

1) Simplicidade
2) Concentração
3) Intensidade
4) Continuidade
5) Sacrifício
Criando Monstros

A única pregação que forma discípulo é a pregação do Evangelho do Reino.

Todo ensino e estrutura deve se manter na simplicidade.

A formalidade informa e a informalidade forma.

A horizontalidade (comunhão com os irmãos) só tem valor se for para fortalecer a verticalidade (comunhão com Deus).

FRASES

Para fazer frente a esta geração ávida pelo pecado, só uma igreja ávida pela oração.

Nunca foi intenção de Deus que a Igreja se tornasse uma geladeira para preservar a perecível religiosidade humana. Sua intenção era que ela fosse uma incubadeira onde se desenvolveriam novos convertidos.

Por que as pessoas vivem procurando A Verdade, mas quando encontra alguém que lhe diz uma verdade, se zanga?

As pessoas costumam amar a verdade quando esta as ilumina, porém tendem a odiá-la quando as confrontam.

Ter fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus nela escreva o que quiser.

Se tu manténs o silêncio, faz isso por amor;
Se gritas, faze-o por amor;
Se corrigires, corrigirás com amor;
Se perdoares, perdoarás com amor;
Se evitas punir, Faz isso por amor.

Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no Evangelho que você crê, mas, sim, em si mesmo.

Vocês continuam vivendo
no mundo das criaturas,
eu estou vivendo
no mundo do Criador.

A igreja não é um museu para santos e perfeitos mas um hospital para pecadores e imperfeitos.

O Deus que foi expulso do céu por Karl Marx, banido do inconsciente por Freud, retirado do mundo empírico pelos que distorcem Darwin, e assassinado por Friedrich Nietzsche está voltando à terra gloriosamente para espanto dos incrédulos.

FRASES 2

Discipulado é um irmão mais maduro cuidando de outro enquanto fazem a obra juntos.

Jesus atendia à multidão junto com os discípulos e treinava os discípulos no meio da multidão.

O discipulado é pelo exemplo, relacionamento e não reunião.

O discípulo segue os passos do discipulador e o imita em tudo àquilo em que ele imita Jesus.

Discipular é levar o discípulo à Cristo.

Estamos aqui para formar vidas e não para informar.

O discipulador ensina e prega a Palavra em todo tempo e em todo lugar e o discípulo segue vendo, ouvindo e perguntando.

Ser como Jesus em tudo, segui os Seus passos sempre se perguntando o que Ele faria em cada situação.

Temos que IR (IDE=INDO=EM TODO TEMPO) e não esperar que eles venham.

Dentro de casa o máximo que pode acontecer é o que está programado, nas ruas o mínimo que vai acontecer é o que está programado.