OLUAP, A UNIFICAÇÃO

 

É o segundo livro da trilogia de saga viking do autor Paulo Marsal, no qual a trama perpassa pelo processo de unificação da Escandinávia do século IX, que fora idealizado e liderado pelo sucessor de Ragnar Lodbrok, Oluap de Nordvestland.

​​A exemplo do que ocorre em Oluap, o Guerreiro, os intercâmbios entre as figuras lendárias como Erik, o Vermelho e as personagens fantasiosas continuam, possibilitando aos leitores um divertido mergulho na mente criativa do autor, quem sem dúvidas, consegue criar situações inusitadas e divertidas ricamente narradas que abarcam não somente o estilo de vida dos nórdicos da época, como também as sangrentas e excitantes batalhas que prometem ser o ponto alto do romance ficcional, tal qual em seu primeiro volume.

​Os vikings, as ciências, o misticismo e a filosofia são as bases desta obra, obrigatória aos adeptos da literatura de ação, que somadas às perspicazes peripécias do autor, fazem de Oluap, a unificação um título único e indispensável em quaisquer cabeceiras.

 

CONCURSO CULTURAL VIKING

 

NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE ÚNICA DE SER ETERNIZADO NO ARCABOUÇO CULTURAL DO BRASIL, E DE GRAÇA!

 

CONCURSO CULTURAL VIKING — A TRÍADE DE SANGUE

 CLIQUE AQUI E INSCREVA - SE

 

O candidato deverá ilustrar as três novas personagens da Trilogia Viking Oluap, cujas descrições, regras e condições estão dispostas abaixo:

 

DESCRIÇÃO DAS GUERREIRAS

 

...Málfríður, a Destemida — uma belíssima ruiva de olhos castanhos esverdeados e de praticamente uma braça[1] de altura, tinha o corpo esguio, entretanto, bastante torneado, principalmente nas pernas —, Laufey, a Sanguinária — possuía longos cabelos negros, olhos azuis como o céu, todavia, apenas uma vara e meia de altura, no entanto, com o mesmo peso que a combatente anterior, se valia de um corpo mais musculado e, que apesar da voz suave, era extremamente voraz — e Thelma, a Fera — loira, usava os cabelos sempre trançados, possuía olhos verdes, media cerca de um palmo a mais que Laufey, conquanto era menos rija, mas não menos letal...[2]

 

REGRAS

 

·     A ilustração deve estar no formato retrato, respeitando a proporção de 14x21;

·     O acabamento deve ser preto e branco hachurado;

·     O desenho deve ser anexado (jpeg ou pdf) no formulário contido nesta página até 05 de outubro. Os cinco vencedores serão anunciados no dia 15 de outubro;

·     O candidato deve preencher o formulário disponibilizado pela Modelo Design e o título da ilustração é indispensável;

·     Cada desenhista pode postar no máximo 3 ilustrações diferentes, contudo, apenas 1 (uma) por participante poderá ser selecionada;

·     Os desenhos que não seguirem as normas supracitadas, estarão automaticamente desclassificados.

 

CONDIÇÕES

 

·     A ilustração deve ser inédita e autoral, portanto, quaisquer evidências de plágio serão de responsabilidade do participante;

·     Ao aplicar para o concurso cultural, o ilustrador concorda em abrir mão da exploração comercial e de quaisquer proventos futuros referentes à obra na qual a mesma será vinculada, cedendo assim todos os direitos ao autor do livro, Paulo Marsal e, por conseguinte, à editora;

·     Se selecionado, o candidato deverá comparecer à Modelo Design e assinar um termo de cessão de direitos.

·     Os vencedores terão direito a um exemplar da obra na data de seu lançamento (previsto para fevereiro de 2019) e a 5% de desconto na compra de outras unidades. O primeiro colocado ganhará uma camiseta exclusiva do livro, além das demais premiações.


[1] Antiga forma de medida, equivalente a 2 jardas ou 1,829m (no Brasil e em Portugal equivale a 2 varas ou 2,2m).

[2] Trecho extraído de: MARSAL, P.H.M. Oluap, a unificação. 1ª Ed. São Paulo: Dialógica Editora, p. 20, 2018.