http://bit.ly/dicas007              Aldemar Araujo Castro                 /
Dicas para a apresentação


Para ler, entender, refletir e utilizar!

As informações abaixo estão sendo coletadas desde 1996. Uso como fonte de inspiração as aulas, as sessões de avaliação de projetos de pesquisa e as defesas de teses. Use a lista das sugestões abaixo de forma apropriada.

Aldemar

ÍNDICE

---

A. No GoogleDrive

B. Geral

C. Ao preparar a apresentação

C. Diapositivos/Telas

D. Versão escrita

E. Miscelânea

---


A. No GoogleDrive

  1. Crie uma pasta com o seu nome e nela coloque os arquivos: de apresentação e de texto.
    Por exemplo:
    seuultimosobrenome-graduacao OU seuultimosobrenome-residencia OU seuultimosobrenome-mestrado OU seuultimosobrenome-doutorado
  2. Salve o arquivo, na pasta do GoogleDrive, no formato de edição do GoogleDrive. Você sabe que está no formato do googleDrive pelos ícones abaixo. O verde é uma planilha de dados, o azul é um arquivo de texto e o amarelo é uma apresentação. Use apenas este tipos de arquivos no GoogleDrive.
  3. Nomeie o arquivo sempre iniciando com o seu último sobrenome.
  4. Só use a versão do arquivo no GoogleDrive! Todas as alterações devem ser realizadas diretamente neste arquivo. Esqueça do arquivo no seu computador. Ficar com as duas versões não faz sentido.
  5. Compartilhe a pasta do GogleDrive. Tudo que colocar dentro da pasta será compartilhado. Use os emails abaixo para compartilhar:
  1. aldemararaujocastro@gmail.com
  2. guilhermebbpitta@gmail.com
  1. NÃO BAIXAR O APLICATIVO DO GOOGLEDRIVE PARA O COMPUTADOR. Ele não vai resolver o problema de sincronização dos arquivos. O maior incômodo no GoogleDrive é que você precisa de uma conexão à internet para fazer qualquer coisa. Assim, aprenda a viver com essa situação. Se estiver usando o Google Drive, NÃO ative o armazenamento off-line para quando você não tiver conectividade com a Internet.
  2. O maior problema do GoogleDrive é que ele vai acabar com as desculpas: (a) meu computador quebrou, (b) copiei no PenDrive e não está lendo, (c) formatei o HD e perdi tudo, (d) um vírus entrou no meu computador e perdi tudo, (e) não sei porque não salvou, (f) trouxe o arquivo antigo. E pior ainda, será possível descobrir no histórico: o número, quando e o que foi modificado no arquivo. Em outras palavras, o quanto você se dedicou para aprimorar a apresentação.
  3. Independente do que acontecer, JAMAIS, baixe o arquivo e o reenvie e compartilhe novamente. Os problemas no GoogleDrive precisam ser resolvidos no GoogleDrive!

B. Geral

  1. O celular deve ser mantido no modo silencioso. Use-o para marcar o tempo durante a apresentação. Não existe motivo para ultrapassar o tempo determinado. E no final da apresentação para gravar os comentários. É mais eficiente do que anotar.
  2. Reserve os agradecimentos para o momento adequado, que é quando ganhar o prêmio. Antes é perda de tempo! O tempo deve ser usado exclusivamente para a apresentação do seu trabalho. Poupe a platéia dos seus mimimis!
  3. Respeite o tempo determinado. Sete minutos são suficientes para a apresentação, se você não sabe dizer o que quer em sete minutos é porque não sabe!
  4. Não use sete palavras, se quatro resolvem!
  5. Regra de Ouro
    Para a perfeição não existe atalho. É o treino e a repetição com autocrítica que levam a perfeição!
  6. O prof. Aldemar orientou...; nunca inicie uma resposta com esta expressão. Ela é uma falácia de autoridade. Use o argumento que você aprendeu com ele para incluir ou excluir algum item no trabalho. Assim, o avaliador vai saber que você tem uma posição e pensa. Esta posição pode ser certa ou errada, mas é sua!
  7. Nunca leia o diapositivo (slide/tela)! Lembre-se que a platéia é alfabetizada! Use tópicos para transmitir a informação. Apenas cinco itens na apresentação terão a frase completa:
  1. O título
  2. A pergunta de pesquisa
  3. A hipótese
  4. O objetivo
  5. A conclusão
  1. Ao apresentar as imagens, mostre-as com o maior tamanho possível! Ocupe toda a tela!
  2. Toda foto precisa de uma escala, use uma régua! As microfotografias precisam: (a) escala, (b) aumento (c) coloração.
  3. Mantenha sempre a proporção entre a altura e a largura da imagem! Imagens sempre no fundo preto.
  4. Ao iniciar a apresentação, falar "Boa noite à todos" é exagero! Use apenas "boa noite", se for necessário.
  5. Na apresentação com duas pessoas, a primeira termina e a segunda deve começar sem interrupção da fala. Ninguém deverá notar a troca. Não perca tempo use dois microfones. Não chame atenção para a mudança!
  6. Ao apresentar uma foto do doente, indique a posição da cabeça e dos pés para que a platéia entenda a posição na qual o doente se encontrava quando foi fotografado e o ângulo de captura da imagem. O sigilo e a privacidade do indivíduo deverão ser preservados.
  7. Ao citar um autor no diapositivo, é obrigatório que a referência completa seja citada no rodapé do diapositivo. Veja exemplos de referências no URL: http://www.nlm.nih.gov/citingmedicine
  8. A solução para um problema comum em todos os projetos, relatórios e artigos está disponível no URL: http://bit.ly/vancouver007. Como fazer a referência no formato correto de acordo com as regras de Vancouver. Usar ABNT, infelizmente, é perder tempo!!!!
  9. Evite imagens de fundo, elas tiram a atenção do conteúdo! Eu fiquei alguns minutos pensando onde poderia ser um pôr do sol que foi mostrado durante uma apresentação! Use fundo branco com letras pretas.
  10. Use o mínimo de texto nos diapositivos. Os diapositivos cheios devem ser divididos em dois ou mais e elaborados na forma de tópicos.
  11. A linguagem escrita é diferente da linguagem a ser utilizada nos diapositivos. Assim, é um erro copiar o texto (do Word) e colar no apresentação (Powerpoint).
  12. Regra de Ouro
    A apresentação oral é uma síntese da versão escrita!
  13. "Já foi dito..."; Se já foi dito, nós sabemos! O que precisa ser dito é que ainda não foi falado! Evite esse vício de linguagem.
  14. "Dando continuidade..."; Se você fala após uma outra pessoa, a única coisa sensata que pode fazer é dar continuidade. Logo não precisa falar. A platéia é inteligente, embora algumas vezes possa não parecer!!! Use as frases de transição (http://bit.ly/frases7).
  15. Use os modelos. Você reduz a possibilidade de erros. Copie, cole e coloque as suas informações.
  1. Modelo do PICO e Idéia Brilhante (Download)
  2. Modelo do Projeto - Apresentação (Download)
  3. Modelo do Projeto - Texto (Download)
  4. Modelo do Relatório Final - Apresentação
  5. Modelo de Relatório Final - Texto
  1. A estrutura do projeto de pesquisa, do relatório final e do artigo original podem ser encontrados no URL: http://www.metodologia.org/livro/pdf/estrutura_geral.pdf.

C. Ao preparar a apresentação

  1. São três os itens avaliados na apresentação: forma, conteúdo e apresentador. Veja no URL: http://bit.ly/avaliacao7.
  2. Crie cópias de segurança para levar (dois PenDrives de modelos diferentes). Salve em três formatos:  (a) de apresentação, (b) em PDF, (c) em figuras. O GoogleDrive tem esse recurso.
  3. Imprima a apresentação (adicione as notas necessárias). Use o recurso de imprimir três telas por página.
  4. Treine a apresentação (sozinho e com público). Quando achar que está bom, continue a treinar.
  5. Verifique o equipamento (suportes permitidos, software, versão, fontes disponíveis, adaptadores).
  6. Verifique a sala (qualidade da projeção, cores, distância, legibilidade).
  7. Durante a apresentação:
  1. Apresente-se (se não foi apresentado!);
  2. Apresente o tema;
  3. Seja objetivo e sucinto;  
  4. Use uma boa dicção, altura e ritmo apropriado;
  5. Adote uma postura apropriada;
  6. Utilize adequadamente a comunicação não-verbal;
  7. Respeite o tempo estabelecido; use algum dispositivo para você mesmo controlar o tempo;
  8. Responda às questões objetivamente, sem divagar; Use roupas discretas.
  1. "Publicamos para não passar a vida a corrigir rascunhos. Quer dizer, a gente publica um livro para livrar-se dele" Jorge Francisco Isidoro Luis Borges Acevedo (Buenos Aires, Argentina; 24 de agosto de 1899 - Genebra, Suiça, 14 de junho de 1986). Escritor argentino.
  2. O microfone funciona bem, desde que usado adequadamente.
  3. A elaboração da lista de referências bibliográficas é a parte mais fácil de uma pesquisa. É preciso copiar Ctlr+C; colar Ctlr+V; e dá uma ajeitadinha. Ou seja, organizar espaços em branco, vírgulas e pontos. O Pubmed já faz a maior parte do trabalho. http://www.pubmed.gov.
  4. Regra de Ouro
    "É preciso escrever um poema várias vezes para que dê a impressão de que foi escrito pela primeira vez." Mario Quintana (1906-1994)

C. Diapositivos/Telas

  1. No rodapé das telas devem aparecer as informações:
  1. Data da apresentação
  2. Nome do apresentador
  3. URL onde está a apresentação. Use o http://goo.gl para reduzir o endereço do arquivo.
  4. Número da tela no canto inferior direito. Fonte tamanho 18.
  1. Nos dispositivos devem ser colocados apenas os tópicos mais importantes para servir de orientação ao apresentador.
  2. Use a animação (adicionar efeito: entrada: aparecer) e apresente uma informação por vez!!!
  3. Use o tipo de fonte nos diapositivos deve ser igual ao utilizado na versão impressa. Isto é coerência tipográfica!
  4. As correções ortográfica, sintática e tipográfica são necessárias em tudo que se escreve!
  5. As imagens que aparecem na versão escrita do trabalho podem ou não ser apresentadas. No entanto, toda imagem que for apresentada nos diapositivos deve, obrigatoriamente, estar presente na versão escrita.
  6. A presença de vídeos (arquivo multimídia) durante a apresentação é ÓTIMA!!!!! No entanto, só use se for necessário! Ao usá-lo obrigatoriamente com legendas nas falas.
  7. As cores têm significados psicológicos, combinações e legibilidade, assim com os fundos dos diapositivos.
  8. O fundo branco com letras pretas é o melhor! Até cego vê! Ao usar imagens, use fundo preto!
  9. Esmaecer o tópico falado quando aparece um novo é um boa técnica! Porém é opcional! Use seu tempo para aprimorar outros aspectos da apresentação. Em outras palavras: não use!!!!
  10. Regra básica
    Q
    uando não tiver conteúdo use as mais fantásticas animações e combinações de cores. Assim, pode ser que a apresentação fique boa.
  11. A mensagem final é freqüentemente desastrosa!! Algumas vezes é maior que a apresentação do caso; outras vezes é mais interessante; outras vezes, não tem nenhuma relação com o que foi apresentado. Para evitar erros, não use frases ou mensagens para finalizar a sua apresentação.
  12. Toda imagem deve ter legenda. Toda tabela deve ter cabeçalho. Todo gráfico deve ter título. Todo quadro deve ter título.
  13. Regra de ouro
    "
    É preciso escrever um poema várias vezes para que dê a impressão de que foi escrito pela primeira vez." Mario Quintana (1906-1994)

D. Versão escrita

  1. A redação deve caracterizar-se pela impessoalidade, uso do padrão culto de linguagem, clareza, concisão, formalidade e uniformidade. Em outras palavras, um texto harmônico e fluente.
  2. Conciso é o texto que consegue transmitir o máximo de informações com um mínimo de palavras. Para que se redija com essa qualidade, é fundamental que se tenha, além de conhecimento do assunto sobre o qual se escreve, o necessário tempo para revisar o texto depois de pronto. É nessa releitura que muitas vezes se percebem eventuais redundâncias ou repetições desnecessárias de idéias.
  3. A uniformidade de fontes, títulos, legendas, espaçamentos, tabelas é indispensável.
  4. As correções ortográfica, sintática e tipográfica são necessárias em tudo que escreve!
  5. Qualquer imagem que não for sua, deve ter citada a fonte. O ideal é que se tenha autorização do autor para reproduzí-la.
  6. No título não existe ponto final.
  7. Nos relatos de caso. Tudo que for do doente deve ficar na descrição do caso, no contexto, devem ser utilizadas outras fotos/ilustrações, caso necessárias.
  8. A forma como falamos é diferente da forma como devemos escrever. A linguagem escrita requer rigor e formalidade.
  9. Deve existir o modelo do consentimento livre e esclarecido nos anexos da pesquisa.
  10. Não identificar o doente, nem com iniciais do nome, nem com data e hora do atendimento. A sigilo e a privacidade do indivíduo deverão ser preservados.
  11. Use uma lista de siglas e de abreviaturas após o índice, se necessária.
  12. Use uma lista de imagens após o índice, se necessária.
  13. Use uma lista de tabelas após o índice, se necessária.
  14. Mantenha o hábito de consultar dicionários e, principalmente, o Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras (VOLP), para confirmar a ortografia das palavras, disponível no URL: http://goo.gl/ihrDb
  15. A revisão final deve incluir:  
  1. Verificação tipográfica;
  2. Verificação ortográfica;
  3. Verificação sintática;
  4. Verificação semântica;
  5. Posicionamento de títulos;
  6. Posicionamento de tabelas e figuras.
  1. Use a linguagem culta em todos os momentos. A linguagem familiar (coloquial) e a popular não fazem parte dos textos científicos.
  2. O parágrafo é a unidade de informação do texto, constituir-se de três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão.
  3. Na redação de um texto, três partes devem ser avaliadas.
  1. Conteúdo (Conhecimento do assunto, Seleção das idéias em função do tema, Seqüência de apresentação das idéias, Criatividade, Clareza)
  2. Estrutura (Distribuição dos parágrafos em concordância com as idéias, Unidade de desenvolvimento dos parágrafos, Formação dos períodos)
  3. Expressão (Vocabulário adequado, Acentuação, Grafia, Pontuação, Flexão dos nomes e dos verbos, Concordância nominal e verbal, Colocação, Regência, Crase)
  1. Evite o uso de epônimos. Explicite o termo e dê o crédito a quem merece.
  1. Frase que deve ser evitada:
    "O trígono de Calot foi identificado em 36% (31/86, IC 95% 26% a 47%) dos cadáveres."
  2. Frase que deve ser usada:
    "O trígono cistohepático (Calot, 1891) foi identificado em 36% (31/86, IC 95% 26% a 47%) dos cadáveres."
  3. Na lista de referências faça a citação:
    Calot JF. De la cholécystectomie [thesis]. Paris: Université Paris; 1891.
  1. Jamais, por quaisquer motivos ou justificativas, use o recurso do word ou de outros editores de texto de inserir caixa de texto. Ao usar este recurso, você estará impedindo a formatação correta do documento para o projeto de pesquisa/relatório final/artigo, e principalmente, terá um trabalho dobrado para remover as caixas de texto e fazer como deveria ter sido feito desde o início.
  2. Se você precisa pagar alguém para corrigir as referências bibliográficas de sua pesquisa, é porque você não merece fazer a pesquisa.

E. Miscelânea

  1. As regras foram criadas para serem usadas. Siga as regras de elaboração do trabalho conforme recomendado. Não invente nada!
  2. Regra de Ouro
    O bom, se breve, duas vezes bom!
  3. Existe meia dúzia de formas corretas de fazer um trabalho e milhares de formas erradas.
  4. As informações detalhadas que complementam as regras aqui apresentadas estão disponíveis em: URL: http://www.metodologia.org/livro
  5. Use imagens do doente apenas quando for necessário para o entendimento do caso. Ao fazê-lo, fotografe as regiões de interesse, evite imagens amplas que possam levar a identificação do doente. É necessária a autorização por escrito do doente (CEM, 2012).
  6. Você é o responsável por todas as partes do trabalho, não diga que a culpa é de outro! Assuma tudo! 
  7. Para garantir que não vai perder uma imagem na cirurgia, fotografe mais de uma vez em distâncias diferentes!!!
  8. Retire a data que aparece nas câmaras fotográficas digitais ao fotografar exames complementares. Na cirurgia, ela deve ficar! Não coloque a hora em nenhum dos casos!
  9. A sessão de julgamento de trabalhos é uma sessão de aprendizado para todos, aprendem os apresentadores, os julgadores e a platéia.
  10. Ao finalizar algum trabalho ou tarefa, lembre-se que ele tem falhas e pode ser aprimorado! Faça uma auto-crítica e peça ajuda!
  11. O certificado (de graduação, de especialização, de mestrado ou de doutorado) é uma autorização para continuar a aprender!
  12. Relato de caso - O relato de caso só é concluído com a morte do doente. Até lá ele pode evoluir com complicações tardias da doença relatada!!! Não tenha pressa!!!!
  1. A necrópsia é o último exame complementar ao qual o doente deve ser submetido!
  2. O final da apresentação deve ser realizado com a evolução atual, ou melhor ainda, reenfatizando a importância do relato de caso.
  3. O Comitê de Ética em Pesquisa precisa avaliar o relato de caso. Por isso é OBRIGATÓRIO encaminhar ao CEP.

F. Pendências

  1. Sobriedade (tipos de letra, cor, layout)
  2. Rigor na forma (correção gramatical, sobriedade, uniformidade)
  3. Rigor nos conteúdos (definições dos termos, citações)
  4. Escolha da pessoa do verbo (eu, nós, impessoal)
  5. Texto (cor, tamanho, tipo de letra, hierarquia)
  6. São pressupostos do conceito de desenho universal: 1- Equiparação nas possibilidades de uso; 2- Flexibilidade no uso; 3- Uso Simples e intuitivo; 4- Captação da informação; 5- Tolerância ao erro; 6- Mínimo esforço físico; 7- Dimensão e espaço para uso e interação. Fonte:
  7. http://www.acessobrasil.org.br/index.php?itemid=42
  8. Para as mulheres: cabelo preso, brincos pequenos, roupas discretas e não utilizar salto alto. Sem pulseiras, anéis e relógios.
  9. Pintar as unhas das mão com a cor AZUL não é ser discreta!
  10. Camisas com frases não é ser discreto.


Fim