Logo-ig-oficial.png

O Batismo

15/03/2016

|

Ivan Baker

 

Agora eu percebo que minha doutrina do batismo, era mais um anticatolicismo que uma doutrina tirada das Sagradas Escrituras. Quase todos os grupos Cristãos, excluindo aqueles que têm a prática do batismo de crianças, fazem cinco declarações sobre o batismo:

 

l.  O batismo é um passo de obediência;

2. O batismo é uma exteriorização do que já aconteceu no coração;

3. O batismo é uma declaração pública de fé;

4. A água não é nada, não é mais que um símbolo, e

5. O batismo não salva.

 

Estas declarações são ditas em quase todas as cerimônias de batismos. Eu digo cerimônias porque realizam o batismo deste modo; como um ato simbólico. Por anos eu fiz estas cinco declarações. O lamentável é ter que admitir que estas supostas verdades, são cinco falsas declarações, à luz do ensino dos apóstolos.  A situação é séria e nós temos que prestar muita atenção. Após entendermos melhor o que as Sagradas Escrituras ensinam, nós iremos considerar estas declarações.

 

O QUE É BATISMO SEGUNDO OS APÓSTOLOS?

 

Vamos primeiro para as palavras de Pedro em At 2.38: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em  nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados…”.  Com estas palavras Pedro abre a porta do Reino dos Céus no dia de Pentecostes. O que contém esta declaração?  Pedro declara que existem dois elementos que deveriam estar presentes para o perdão dos pecados:  O arrependimento, e o batismo em nome de Jesus Cristo. De acordo com Pedro, se estes dois elementos estão presentes haverá perdão de pecados.  A palavra dele deve soar forte e conclusiva:  “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados”.

 

Não coloca o batismo como algo que é praticado depois de convertido, mas como um elemento indispensável para a conversão.  Não coloca o batismo como uma confirmação da salvação recebida por fé, mas sim como um elemento indispensável para a salvação.  Então, separar a fé salvadora do batismo vem a ser um desvio sério da verdade, em um ponto da maior importância, que é a salvação.  Eu me lembro de uma conversa com um pastor, ele me falou:  Você colocou mal a ênfase. Não ponha a ênfase no batismo, mas no nome de Jesus Cristo.  Este é o centro da passagem.  Eu discuti bastante com ele, afim de mostrar-lhe que não poderíamos considerar uma coisa sem perceber as outras, são três elementos indispensáveis, de acordo com as palavras de Pedro: arrependimento, o nome de Jesus Cristo e o batismo.  Nós discutimos muito, mas meu irmão agarrou-se à sua interpretação.

 

Então lhe fiz uma pergunta: Quando Saulo de Tarso se converteu? Ele deu a resposta clássica: “No caminho de Damasco”. Então mudei a pergunta:  Quando foram perdoados os seus pecados? Esta foi a resposta dele: “No caminho de Damasco”. Essa era a resposta que eu dava antes de ter mais luz sobre o batismo. Evidentemente que tínhamos chegado ao ponto crucial da consideração. Ninguém mais podia responder-lhe a não ser Ananias. Então lhe perguntei:  Se Paulo testemunhar sobre a sua conversão, você creria?  Sem dúvida, me respondeu. Então lemos, juntos, o testemunho que Paulo dá da sua conversão, em At 22.12-16. Escrevo a última parte, v. 16: Ananias diz a Saulo: ” E agora, por que te demoras? Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o nome dele”. Meu amigo estava pasmo! Não era para menos, porque as palavras de Ananías, confirmadas, pelo testemunho de Paulo, declararam claramente que os pecados são lavados no batismo! Tal como já havia antecipado, esta declaração lhe soava como uma heresia.  Como, a água lava os pecados?  Sabe, eu lhe falei, isto é o que acontece a nós por não ter atenção, ou forjar doutrinas anti-católicas. Os católicos dizem que o batismo é a porta de entrada para o Reino e os Evangélicos dizem, não! A entrada para o Reino é pela fé. E ambos estão enganados: os católicos perderam o princípio do arrependimento e a fé pessoal, e nós a doutrina ensinada pêlos apóstolos. Vamos ver o que ensinava Paulo sobre o batismo.

 

Vamos ler Rm 6.4: “Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida”. No batismo nos unimos primeiro com Cristo na morte. Esta união Deus fez quando fomos sepultados debaixo das águas.  Assim como Jesus morreu pêlos nossos pecados e foi sepultado, Paulo diz que nós “…fomos sepultados juntamente com ele…”. “…tendo sido sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos”. Cl 2.12. Junto com ele, significa a nossa identificação com ele na sua morte. Para logo sermos também identificados na sua ressurreição. O que lavam os nossos pecados?  Não é a água, mas o sangue de Cristo.  Aonde?  Quando nós fomos sepultados juntamente com ele na morte pelo batismo.  Igualmente, como nos identificamos com ele, em sua morte, nas águas do batismo. Igualmente, pelo mesmo batismo, nos unimos a Cristo em sua ressurreição para andarmos na nova vida.Como devemos declarar a mensagem da salvação, então?

 

Simplesmente como, eles fazem Jesus e os apóstolos: “Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado”. Mc 16.16. “…quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. Jo 3.5. Agora fica fácil entender que Jesus, aqui, está falando de batismo.“…tendo sido sepultados, juntamente com ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos”. Cl 2.12.