Escravidão dissimulada em impostos caros, consumismo desenfreado, previdência e outros engodos:    

Saiba mais aqui http://bit.ly/escravizacao      https://docs.google.com/document/d/1OUzLj7cTQs-GfpMWlbdyPyni9PRkKTtj3MV7VEFZEEY/pub   

https://pt.scribd.com/document/356419991/impostos-escravidao-dissimulada-em-consumismo-e-previdencia 

Mentiras: https://twitter.com/prof_padilla/status/834428534823194625 

impostos carga.jpg

  1.  Paga-se caríssimo para viver!

    Cidadãos pagam impostos e empresas bilionárias são perdoadas: http://www.poder360.com.br/economia/carf-livra-itau-de-pagar-r-25-bilhoes-em-impostos 

  Assista ao vídeo Impostos a escravidão do Século XXIhttps://www.facebook.com/photo.php?v=10151060553588823 

2. Paga-se caro para comer!

O IBPT, Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, demonstra ser, o Brasil, o país de maior carga tributária no setor de alimentos entre os 15 países mais ricos emergentes.

A média da carga tributária nacional embutida nos preços dos alimentos de forma direta é 18,35%. Contudo, os governos não respeitam, da Constituição Federal, o princípio da não-cumulatividade tributária,  e, mediante o efeito cascata do ICMS, PIS, COFINS, etc. sobre os produtos, a carga tributária, em muitos casos, representa 70% do preço final ao consumidor.

Se, entre os países emergentes, o Brasil é o pior, a comparação fica ainda mais teratológica quando examinamos o primeiro mundo: Nos EUA, a tributação nos alimentos nunca ultrapassa, no total, a 0,7%. Enfatizando: menos de um por cento! Na França, não há incidência de impostos sobre os alimentos desde a idade média. A eliminação da carga tributária começou na Revolução Francesa e, por isso, hoje, não há imposto nenhum sobre os alimentos.

 Muitos países, além de não taxarem os alimentos, oferecem subsídios aos produtores rurais, de forma que os alimentos ficam ainda mais baratos.

 Todo brasileiro que viajou ao exterior percebeu: mesmo com câmbio desfavorável, comprar alimentos em mercados nos EUA ou Europa custa muito mais barato do que no Brasil.

3. Paga-se caro para ficar doente:

impostos medicamentos.jpg

O Brasil também é um dos poucos países onde remédios e aparatos fúnebres pagam impostos.

O desafortunado cidadão brasileiro paga imposto para comer, paga se ficar doente e paga para morrer! http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2012/10/impostos-escravidao-moderna-da.html

Impostos medicamento.jpg

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam, até 2020, a depressão  como a doença mais incapacitante em todo o mundo. Na contramão do crescimento da demanda em saúde mental, o Brasil oferece cada vez menos estrutura para o atendimento psiquiátrico.

matéria 2

Enquanto a população brasileira aumentou em 40% entre 1989 e 2016, foram fechados quase 100 mil leitos psiquiátricos no país durante o mesmo período. De 120 mil espalhados pelo território nacional, o total despencou para 25.097. Os dados revelam o cenário de dificuldades encontrado por aqueles que buscam ajuda – e nem sempre conseguem.

Das internações psiquiátricas no Brasil, 58%  foram pagas pelo próprio familiar,  conforme o Levantamento Nacional de Família dos Dependentes Químicos (Lenad), feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O uso de hospitais públicos, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), foi citado por somente 6,5% das famílias de usuários em reabilitação.

“Os leitos foram fechados com a promessa de que seria criada uma rede de assistência que pudesse substituir essas vagas e oferecer instrumentos para o cuidado em saúde mental. O problema é que esse processo aconteceu de uma maneira muito rápida. Houve redução de leitos psiquiátricos, sem a abertura na mesma proporção, agravando a desassistência”, salienta o diretor do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) Germano Bonow.

A realidade é especialmente difícil para as camadas mais pobres da população que, sem condições financeiras para buscar tratamento na rede privada, também não encontram no SUS uma alternativa, já que os leitos são cada vez mais escassos e os investimentos não dão conta da demanda crescente.

Para Bonow, uma alternativa seria a abertura de leitos de psiquiatria em hospitais gerais, como já acontece em algumas unidades de saúde de Porto Alegre. “O problema é que os anos passam e isso não se amplia. No Parque Belém, por exemplo, aconteceu o contrário. Ele fechou suas portas e deixou de oferecer os 50 leitos psiquiátricos que tinha. Quem paga a conta é o paciente”, ressalta.

Somando aos números o preconceito e o desconhecimento da sociedade sobre a saúde mental, o cenário no país é de total desassistência em saúde mental, como denuncia o Sindicato Médico.

CAPS oferecem solução incompleta

Criados para acolher pacientes com transtornos mentais severos e persistentes, os Centros de Atenção Psicossociais (CAPS) oferecem tratamento intensivo, semi-intensivo e não intensivo, de acordo com as necessidades de cada caso.

Ao todo, hoje são 2.340 unidades espalhadas pelo país. Desse total, no entanto, quase 50% (CAPS I) não exigem a contratação de psiquiatra. “Ou seja, têm oficinas, atendem as pessoas com profissionais terapêuticos, oferecem assistente social, mas há a falta e a necessidade de médicos especialistas, tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento”, reforça o diretor do SIMERS.

Ele lembra ainda que os CAPS representam uma solução incompleta na medida em que tratam as pessoas que estão lá, mas não ficam abertos à população durante as noites de sábados, domingos e feriados, para que se possa ir até lá consultar e buscar ajuda em um momento de crise.

Campanha Dia Mundial de Saúde 2017

Campanha saúde mental

Transtornos mentais roubam um pedaço da vida, a desassistência rouba o resto

Com este slogan, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) lançou a campanha no Dia Mundial da Saúde (7 de abril) para alertar a população e todas as esferas de poder público sobre a falta de assistência na saúde mental. Há um descompasso entre o aumento do número de portadores de transtornos mentais e comportamentais no país e a estrutura de atendimento público oferecido para atender a população. Acesse www.7deabril.com.br e apoie esta causa! (07/04/2017 http://www.simers.org.br/2017/04/desde-1989-quase-100-mil-leitos-psiquiatricos-foram-fechados-no-brasil/)

4. Paga-se caro pela previdência:

Somos iludidos sobre trabalhar muito até a aposentadoria para, então, desfrutar da vida…

O ano de 2017 iniciou com o governo mentindo que a previdência é deficitária para aumentar o tempo de contribuição:

  Comprovam a manipulação dos dados relativos à Previdência cálculos no Sindicato dos Engenheiros do RGS: https://youtu.be/TTGpyUazrtg 

O relatório da CPI da Previdência comprova: NÃO EXISTE DÉBITO. A PREVIDÊNCIA É SUPERAVITÁRIA! O governo mente para a população!
http://sindilegis.org.br/noticias/apos-seis-meses-de-trabalho-cpi-emite-relatorio-confirmando-que-previdencia-e-superavitaria/1517

Maria Lucia Fattorelli demonstra: o déficit da Previdência Social foi fabricado pelo governo para nos iludir: https://vimeo.com/233351329 e https://youtu.be/MGSOjn_pxAY 

A propaganda e discursos dos políticos mentem sobre o tempo de contribuição em outros países:

Falso rombo da Previdência divulgado pelo governo: ANFIP, Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil, anualmente divulga os dados da Seguridade Social. Não existe déficit, pelo contrário, os superávits nos últimos anos foram sucessivos!
Saldos positivos de:
R$ 59,9 bilhões em 2006;
R$ 72,6 bi, em 2007;
R$ 64,3 bi, em 2008;
R$ 32,7 bi, em 2009;
R$ 53,8 bi, em 2010;
R$ 75,7 bi, em 2011;
R$ 82,7 bi, em 2012;
R$ 76,2 bi, em 2013;
R$ 53,9 bi, em 2014.
Em dez anos, entre 2005 e 2015, houve uma sobra de 658 bilhões. O dinheiro foi usado em outras áreas e, inclusive, para pagar juros da dívida pública, cerca de 42℅ do total, e o governo mente!
Fonte:
http://noticias.r7.com/economia/deficit-do-inss-e-ficticio-e-fruto-de-manipulacao-de-dados-diz-confederacao-dos-aposentados-08122016

Desmascara a fraude-engodo previdenciário o cálculo usando o salário mínimo de R$ 880,00 onde a  contribuição total INSS (patronal + empregado = 20%) é R$ 176,00 mensais.

 Em 49 anos de contribuição serão 588 meses. Usando-se o valor de R$ 176,00 mensais e se aplicando o rendimento da poupança (não é o pior que existe?) de 0,68% e juros compostos, o total em 588 meses será R$ 1.366.022,02.
 Considerando-se a expectativa de vida em 75, ao se aposentar com 69 receberá a aposentadoria somente por seis anos, portanto, por 72 meses. Multiplicado pelo salário usado no cálculo, o trabalhador receberá de volta do governo "bonzinho" R$ 53.133,00, ou seja, 3,8% do que lhe foi tomado pelo governo. Ninguém da imprensa fala disso. Por que? Os jornalistas são muito inexpertos ou são controlados pelos promotores dessa expropriação?

Resumindo:
 Trabalhador PAGA R$ 1.366.022,02.

Trabalhador RECEBE R$ 53.133,00.
Péssimo negócio, não?
P.S. Cálculos desconsiderando reajustes tanto no período de contribuição quanto no período de recebimento do benefício. Colocando reajustes anuais em ambos, o rombo é muito maior. Esses cálculos foram feitos pelo Agente de Polícia Federal Jean Schmidt.

 Sobre a PEC 287, conhecida como a Reforma da Previdência Social, em 21/3/17 a Justiça Federal do DF deferiu liminar contra o governo federal, intimando-o a prestar esclarecimentos sobre o orçamento da Previdência Social e da Seguridade porque estudos da ANFIP, DIEESE e outras entidades demonstram o déficit da Previdência (rombo) ter origem no descumprimento do governo com receitas orçamentárias da Previdência. A decisão exige do governo comprovar a veracidade dos fatos apresentados (déficit) como meio para justificar mudanças na Previdência Social (ação movida pela Federação Nacional dos Servidores da Justiça Federal e do Ministério Público Federal, Fenajufe).
  O governo federal retirou da Reforma da Previdência os servidores públicos ESTADUAIS e MUNICIPAIS (desde que os governos destes entes apresentem proposta de regime previdenciário próprio). O recuo mostra os efeitos das expressivas manifestações de 15 de março de 2017 (que tiveram adesão relativa em Porto Alegre, contudo, expressiva em todo o país e no interior do Estado). A adesão de professores estaduais, municipais e policiais civis em todo o país contribuiu para o governo recuar em relação a essas categorias e seus pares.
 Em relação ao funcionalismo federal, continuam incluídos na reforma (a exceção das Forças Armadas), junto com os trabalhadores celetistas
fontes
http://brasileiros.com.br/2017/03/justica-determina-que-governo-temer-demonstre-deficit-da-previdencia/ 
http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/governo-temer-recua-e-retira-servidores-estaduais-e-municipais-da-reforma-da-previdencia/ 

 

 Enquanto os cidadãos contribuem durante décadas com quantias 10 vezes maiores do que poderão receber, alguns parlamentares aposentam-se com pensões vultosas sem nunca ter contribuído:

5. Paga-se caro pelo transporte:

  Não há mobilidade porque as vias públicas e as obras são planejadas para criar dificuldades, perdas de tempo, riscos, etc. Querem estressar o cidadão para reduzir a capacidade dele entender a roubalheira institucionalizada e poder se organizar para mudar o “sistema”.

  O transporte público é propositadamente ineficaz para que as pessoas queiram ter carro a qualquer custo. Nem percebem que a imobilidade urbana desperdiçando cada vez mais tempo de vida no trânsito, contrariando a percepção óbvia de, ao avançar a tecnologia, tudo na vida deveria ficar mais fácil, só piora quando alguém compra um veículo: será mais um circulando na hora do rush piorando ainda mais o trânsito.

  O elevado custo dos veículos, de seu seguro e da sua manutenção completa a escravidão dissimulada. Quem consegue uma renda um pouco melhor, joga toda riqueza fora com o carro.

  A imobilidade urbana é planejada pelos Controladores globalistas para consumir o tempo, irritar e entorpecer, criando o caótico ambiente de isolamento e de idiotização:  http://bit.ly/imobilidade

  Além dos combustíveis serem muito mais caros no Brasil, ainda é comum o roubo de 8% a 10% em bombas adulteradas! https://t.co/XzTEuqpYMW

   O elevado custo do transporte aumenta o preço de tudo consolidando a escravidão dissimulada.

   Saiba mais sobre o estado de pré-pânico induzido e a política terrorista do medo em  https://docs.google.com/document/d/13RnOYN1QAy2W2StSZHtL6LwBEWx7iKBLYHPr2LOzlws/pub  

 6. Federação, no Brasil, é causa de rivalidade e divisões facilitando a manipulação:

 Na criação da federação norte-americana, para entrar e participar da União o Estado deve produzir riquezas e ser auto-suficiente… Faz sentido: a autonomia de um ente federado pressupōe ter capacidade de auto-sustentar-se.

 Como é no Brasil? Não há autonomia, nem nada!

  Do ponto de vista financeiro, não há federação como prova o balanço de impostos por Estado. Os dados sobre quanto recebe e repassa ao Governo Federal via arrecadação tributária, demonstra 8 estados sustentarem todo Brasil. E dezoito explorarem os demais. As diferenças astronômicas acentuam a divisão humana:

 Quanto paga ao governo federal e quanto dele recebe:

Maranhão        
PAGA          1.886.861.994,84
RECEBE    9.831.790.540,24
SALDO     -7.944.928.545,40


Bahia
PAGA.       9.830.083.697,06
RECEBE 17.275.802.516,78
SALDO    -7.445.718.819,72

Pará
PAGA       2.544.116.965,09
RECEBE 9.101.282.246,80
SALDO  -6.557.165.281,71

Ceará        
PAGA        4.845.815.126,84
RECEBE 10.819.258.581,80
SALDO    -5.973.443.454,96

Paraíba
PAGA       1.353.784.216,43
RECEBE 5.993.161.190,25
SALDO  -4.639.376.973,82

Piauí        
PAGA         843.698.017,31
RECEBE 5.346.494.154,99
SALDO  -4.502.796.137,68

Alagoas        
PAGA          937.683.021,32
RECEBE 5.034.000.986,56
SALDO  -4.096.317.965,24

Pernambuco
PAGA               7.228.568.170,86
RECEBE 11.035.453.757,64
SALDO   -3.806.885.586,78

Rio Grande do Norte        
PAGA       1.423.354.052,68
RECEBE 5.094.159.612,85
SALDO  -3.670.805.560,17

Tocantins        
PAGA          482.297.969,89
RECEBE 3.687.285.166,85
SALDO  -3.204.987.196,96


Sergipe        
PAGA       1.025.382.562,89

RECEBE 3.884.995.979,60
SALDO  -2.859.613.416,71


Acre        
PAGA.         244.750.128,94
RECEBE 2.656.845.240,92
SALDO  -2.412.095.111,98

Amapá        
PAGA         225.847.873,82
RECEBE 2.061.977.040,18
SALDO   -1.836.129.166,36


Rondônia        
PAGA          686.396.463,36
RECEBE 2.488.438.619,93
SALDO  -1.802.042.156,57


Mato Grosso        
PAGA       2.080.530.300,55
RECEBE 3.864.040.162,26
SALDO  -1.783.509.861,71

Roraima
PAGA.        200.919.261,72
RECEBE 1.822.752.349,69
SALDO  -1.621.833.087,97


Mato Grosso do Sul        
PAGA       1.540.859.248,86
RECEBE 2.804.306.811,00
SALDO  -1.263.447.562,14


Goiás        
PAGA       5.397.629.534,72
RECEBE 5.574.250.551,47
SALDO      -176.621.016,75

Amazonas        
PAGA       6.283.046.181,11
RECEBE 3.918.321.477,20
SALDO   2.364.724.703,91


Espírito Santo        
PAGA       8.054.204.123,90
RECEBE 3.639.995.935,80
SALDO   4.414.208.188,10


Santa Catarina        
PAGA       13.479.633.690,29
RECEBE   5.239.089.364,89
SALDO     8.240.544.325,40

Minas Gerais        
PAGA       26.555.017.384,87
RECEBE 17.075.765.819,42
SALDO     9.479.251.565,45


Paraná        
PAGA     21.686.569.501,93
RECEBE 9.219.952.959,85
SALDO 12.466.616.542,08


Rio Grande do Sul
PAGA             21.978.881.644,52
RECEBE 9.199.070.108,62
SALDO  12.779.811.535,90


Rio de Janeiro        
PAGA     101.964.282.067,55
RECEBE 16.005.043.354,79
SALDO   85.959.238.712,76


São Paulo        
PAGA.    204.151.379.293,05
RECEBE 22.737.265.406,96
SALDO   181.414.113.886,09


 Apenas oito estados se sustentam, todos demais são deficitários.

 Quem são os estados que mais recebem? Maranhão e Bahia, de José Sarney e Antônio Carlos Magalhães. O primeiro aproveitou-se da morte de Tancredo Neves para, ilegitimamente, assumir como Presidente e turbinar a corrupção no país, auxiliado pelo outro.

  Note: não está na lista Brasília porque não é um estado. Contudo, nem precisa colocar! Todos sabemos o Distrito Federal ser a CAPITAL dos “ALI-BABÁS”.

  Dos estados da federação:
- 18 causam prejuízo, recebem muito mais do que geram;

 - 8 pagam as suas contas. Todos, salvo o Amazonas, são da região sudeste: SP, RJ, MG, RS, PR, SC e ES.

   A existência de dependência financeira impede a autonomia dos deficitários.

 A sangria de recursos, desequilibra a gestão dos estados superavitários como RJ e RS, dentre outros, que - não obstante a segurança seja obrigação  prioritária - atravessaram todo o ano de 2016 sem conseguir pagar os vencimentos dos policiais!

 7. Luta contra a impostura:
Revoltarmo-nos contra a tirania é obedecer a Deus.” (Thomas Jefferson)

 A luta dos cidadãos contra o desgoverno do crime organizado, que domina a máquina pública no Brasil, precisa ter um foco objetivo, no momento em que Estados, municípios e a União propagandeiam, falsamente, que "falta dinheiro". Um dos alvos principais de ataque é uma rebelião direta do cidadão-eleitor-contribuinte contra o absurdo que pagamos em 92 impostos, taxas e contribuições, fora o que é extorquido de nós pelas variadas "indústrias das multas".

A mentira de que "falta dinheiro" é facilmente desmascarada pela realidade. As 11h de 30 de dezembro de 2015, em menos de um um ano, a quantia até então inédita de R$ 2 trilhões havia sido paga pelos brasileiros em impostos, taxas e contribuições desde o primeiro dia daquele ano. No ano anterior, 2014, o Impostômetro alcançou R$ 1,8 trilhão no segundo dia de dezembro. Em 2013, ficou em torno de R$ 1,7 trilhão.
 Todo ano, aumenta a arrecadação pelo aumento ostensivo e dissimulado de impostos.

 

  8. Inflação, o pior dos impostos!

 O pior imposto é a inflação porque atinge todos, até os mendigos, e usa o tempo para nos tirar todos recursos. Veja, na imagem a seguir, os preços em 1994 e compare com hoje...

 

   Contextualize a elevação de preços, desde então: naquele momento, o real foi criado com a promessa de FHC de acabar com a inflação. Saiba mais em: http://padilla-luiz.blogspot.com.br/1994/06/porque-existe-inflacao.html?m=1 


  9. Cada vez mais impostos!

   Sabia que querem aumentar ainda mais a arrecadação usando a emoção do esporte? Sim! Querem tributar os esportes para ampliar a carga tributária sobre toda a população. Saiba mais aqui: http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2012/10/politicos-querem-acabar-com-autonomia.html?m=1 

  O dinheiro arrecadado em impostos, cada vez em maior quantidade, é destinado à União, em detrimento dos estados e municípios. Os tributos federais representam 65,95% da arrecadação de R$ 2 trilhões. Já os tributos estaduais equivalem a 28,47% e, os municipais, a 5,58%. Individualmente, o tributo de maior arrecadação é o ICMS (19,96% do total), seguido do INSS (19,18%), Imposto de Renda (15,62%) e Cofins (10,13%). O impostômetro é um levantamento encomendado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) ao Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). Pelo portal www.impostometro.com.br - é possível descobrir o os governos poderiam fazerem com todo esse dinheiro arrecadado. Por exemplo, quantas cestas básicas é possível fornecer, quantos postos de saúde podem ser construídos. No portal também é possível levantar os valores que as populações de cada estado e município brasileiro pagaram em tributos.

Apenas por curiosidade: Dois trilhões de notas de R$ 1 correspondem, empilhadas, à altura de 6.666.666 prédios de 100 andares cada um. Se cada nota fosse um litro de água, corresponde à vazão de 112 horas das Cataratas do Iguaçu. E, com as notas, seria possível preencher a metragem quadrada de 16 cidades do tamanho de São Paulo.

Já passou da hora de os brasileiros se rebelarem contra o absurdo volume de impostos pagos, sem a devida contrapartida estatal e, pior ainda, com o descarado desvio do dinheiro público em esquemas de corrupção.

O "
Estado Hobin Hood de mentira" - rouba pobres, ricos e locupleta os controladores globalistas, os corruptos comandantes da máquina pública sem transparência mediante o controle social ilegítimo! (capítudo baseado em postagem do Alerta Total – www.alertatotal.net de Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net )

Os 10 países onde MENOS se trabalhou em um ano para pagar impostos em 2013, dados do Banco Mundial:
1. Maldivas: 0 horas
2. Emirados Árabes Unidos: 12 horas
3. Bahrein: 36 horas
4. Qatar: 36 horas
5. Bahamas: 58 horas
6. Luxemburgo: 59 horas
7. Omã: 62 horas
8. Suíça: 63 horas
9. Irlanda: 76 horas
10.Seicheles: 76 horas

 Os 10 países onde MAIS se trabalhou em um ano para pagar impostos em 2013:
1. Brasil: 2.600 horas
+ do dobro do 2º!

2. Bolívia: 1.080 horas
3. Vietnã: 941 horas
4. Nigéria: 938 horas
5. Venezuela: 864 horas
6. Bielorrússia: 798 horas
7. Chade: 732 horas
8. Mauritânia: 696 horas
9. Senegal: 666 horas
10. Ucrânia: 657 horas

Conclusão: "O Brasil tem a maior carga tributária do mundo para pagar a MAIOR CORRUPÇÃO do planeta".

 10. Percentuais de imposto em cada produto,  o estado capimunista rentista corrupto:

Medicamentos 36%
Motocicleta até 125 cc 44,40% acima de 125 cc 49,78%

Energia elétrica - 45,81%
Telefone - 47,87%
Motocicleta Gasolina - 57,03%
Cigarro - 81,68%

PRODUTOS ALIMENTÍCIOS BÁSICOS pagam de imposto:
Carne bovina - 18,63%
Frango - 17,91%
Peixe - 18,02%
Sal - 29,48%
Trigo - 34,47%
Arroz - 18,00%
Óleo de soja - 37,18%
Farinha - 34,47%
Feijão - 18,00%
Açúcar - 40,40%
Leite - 33,63%
Café - 36,52%
Macarrão - 35,20%
Margarina - 37,18%
Molho tomate - 36,66%
Ervilha - 35,86%
Milho Verde - 37,37%
Biscoito - 38,50%
Chocolate - 32,00%
Achocolatado - 37,84%
Ovos - 21,79%
Frutas - 22,98%
Álcool - 43,28%
Detergente - 40,50%
Saponáceo - 40,50%
Sabão em barra - 40,50%
Sabão em pó - 42,27%
Desinfetante - 37,84%
Água sanitária - 37,84%
Esponja de aço - 44,35%

PRODUTOS BÁSICOS DE HIGIENE pagam de impostos:
Sabonete - 42%
Xampu - 52,35%
Condicionador - 47,01%
Desodorante - 47,25%
Aparelho barbear - 41,98%
Papel Higiênico - 40,50%
Pasta de Dente - 42,00%

Educação paga imposto! Mesmo quem não paga mensalidade escolar, sobre a qual incide 37,68% e mais ISS DE 5% ou mais dependendo da cidade, paga imposto no MATERIAL ESCOLAR:

Caneta - 48,69%
Lápis - 36,19%
Borracha - 44,39%
Estojo - 41,53%
Pastas plásticas - 41,17%
Agenda - 44,39%
Papel sulfite - 38,97%
Livros - 13,18%
Papel - 38,97%
Agenda - 44,39%
Mochilas - 40,82%
Régua - 45,85%
Pincel - 36,90%
Tinta plástica - 37,42%

BEBIDAS pagam muito imposto:
Refrigerante - 47,00%

Água - 45,11%

Refresco em pó - 38,32%
Suco - 37,84%
Cerveja - 56,00%
Cachaça - 83,07%

LOUÇAS
Pratos - 44,76%
Copos - 45,60%
Garrafa térmica - 43,16%
Talheres - 42,70%
Panelas - 44,47%

PRODUTOS DE CAMA, MESA E BANHO
Toalhas - 36,33%
Lençol - 37,51%
Travesseiro - 36,00%
Cobertor - 37,42%

ELETRODOMÉSTICOS
CD - 47,25%
DVD - 51,59%
Brinquedos - 41,98%
Sapatos - 37,37%
Roupas - 37,84%
Aparelho de som - 38,00%
Computador - 38,00%
Fogão - 39,50%
Telefone Celular - 41,00%
Ventilador - 43,16%
Liquidificador - 43,64%
Batedeira - 43,64%
Ferro de Passar - 44,35%
Refrigerador - 47,06%
Microondas - 56,99%

OBRA paga IMPOSTOS
Fertilizantes - 27,07%
Tijolo - 34,23%
Telha - 34,47%
Móveis - 37,56%
Vaso sanitário - 44,11%
Tinta - 45,77%
Casa popular - 49,02%

ALÉM DESTES IMPOSTOS, VOCÊ PAGA
- DE 15% A 27,5% DO SEU SALÁRIO A TÍTULO DE IMPOSTO DE RENDA;
- PAGA O SEU PLANO DE SAÚDE,
- O COLÉGIO DOS SEUS FILHOS,
- IPVA,
- IPTU,
- INSS,
- FGTS
- ETC

11.   Pior do que o quinto dos infernos!

  Brasil é pobre porque a Globo chinelizou a moral:

 Durante o Século 18, o Brasil-Colônia pagava um alto tributo para seu colonizador, Portugal. Esse tributo incidia sobre tudo o que fosse produzido em nosso País e correspondia a 20% (ou seja, 1/5) da produção. Essa taxação altíssima e absurda era chamada de "O Quinto". Esse imposto recaía, principalmente, sobre a nossa produção de ouro. O "Quinto" era tão odiado pelos brasileiros, que, quando se referiam a ele, diziam "O Quinto dos Infernos". E isso virou sinônimo de tudo que é ruim. A Coroa Portuguesa quis, em determinado momento, cobrar os "quintos atrasados" de uma única vez, no episódio conhecido como "Derrama". Isso revoltou a população, gerando o incidente chamado de "Inconfidência Mineira", que teve seu ponto culminante na prisão e julgamento de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário IBPT, a carga tributária brasileira chegou ao final do ano de 2011 a 38% ou praticamente 2/5 (dois quintos) de nossa produção. Ou seja, a carga tributária que nos aflige é praticamente o dobro daquela exigida por Portugal à época da Inconfidência Mineira, o que significa que pagamos hoje literalmente "dois quintos dos infernos" de impostos... Para quê? Para sustentar a corrupção? Os mensaleiros? O Senado com sua legião de "Diretores"? A festa das passagens, a gangue dos guardanapos no RJ (com direito a jantares em Paris e anel de R$ 800 mil), o bacanal (literalmente) com o dinheiro público, as comissões e jatinhos, a farra familiar nos 3 Poderes (Executivo/Legislativo e Judiciário)?
Nosso dinheiro é confiscado no dobro do valor do "quinto dos infernos" para sustentar essa corja, que nos custa (já feitas as atualizações) o dobro do que custava toda a Corte Portuguesa!

 Tiradentes foi enforcado porque se insurgiu contra a metade dos impostos que pagamos atualmente...!

  Durante o reinado de Dom Pedro II, o Brasil tornou-se a 4ª economia do planeta. Como ficamos tão pobres?

  Quando os militares assumiram, em 1964, em menos de 7 décadas o Brasil havia caído para o 47º lugar, resultado da expropriação intensa. Com 21 anos de governo, os Militares conseguiram alavancar o Brasil para a 8ª economia mundial. Nos anos seguintes, a corja que tomou conta das instituições afundou novamente o país:

  FHC, apesar de ter se originado da categoria dos professores universitários, em uma desdita infinita desestruturou o ensino federal começando o processo de idiotização e desmanche completado pelo governo petista. Os professores e a cultura ficaram tão aviltados que, em 2013, o Brasil atingiu o penúltimo lugar no ranking internacional de educação pesquisado pela EIU Economist Intelligence Unit http://www.folhapolitica.org/2013/09/brasil-e-penultimo-lugar-em-ranking.html

  Qual é a diferença entre as nações pobres e as ricas? Não é a idade como demonstram a Índia e o Egito, países pobres com mais de 2000 anos comparados ao Canadá, Austrália e Nova Zelândia, há 150 anos insignificantes, hoje são países desenvolvidos e ricos.
A diferença entre a nação pobre e rica também não depende dos recursos naturais disponíveis. Japão tem um território limitado, 80% montanhoso, inadequado para a agricultura ou agropecuária, e é a segunda economia do mundo. O país é como uma imensa fábrica flutuante: importa matéria-prima de todo o mundo e exporta produtos manufaturados. Outro exemplo éa Suíça, onde não cresce cacau e produz os melhores chocolates do mundo. Em seu pequeno território, cuida de vacas e cultiva a terra apenas por quatro meses ao ano e  fabrica os melhores produtos de leite. Um pequeno país seguro e com o sistema bancário mais forte do mundo porque toda população possui armamentos!
Executivos de países ricos interagem com seus os dos países pobres e não mostram nenhuma diferença intelectual significativa.
Os fatores raciais ou de cor, também, não têm importância: imigrantes notoriamente preguiçosos em seus países de origem, são altamente produtivos em países ricos da Europa.
 Então, qual é a diferença?

 A diferença é a atitude das pessoas, moldadas durante muitos anos pela educação e cultura.
Quando analisamos o comportamento das pessoas dos países ricos e desenvolvidos, observa-se que uma maioria respeita os seguintes princípios de vida:

1. Ética, como princípio básico.
2. Integridade.
3. Responsabilidade.
4. O respeito pela legislação e regulamentação.
5. O respeito da maioria dos cidadãos pelo direito.
6. O amor ao trabalho.
7. O esforço para poupar e investir.
8. A vontade de ser produtivo.
9. A pontualidade.

 Nos países pobres, apenas uma pequena minoria segue esses princípios básicos na vida diária. Não somos pobres porque nos falta recursos naturais ou porque a natureza foi cruel conosco.
Somos pobres porque nos falta atitude. Falta-nos vontade de seguir e ensinar esses princípios de funcionamento das sociedades ricas e desenvolvidas.
 ESTAMOS neste estado, sendo explorados, porque QUEREMOS LEVAR VANTAGEM sobre TUDO e todos.
 ESTAMOS NESTE ESTADO PORQUE VEMOS ALGO FEITO DE FORMA ERRADA E DIZEMOS - "Não é meu problema" quando DEVERÍAMOS AGIR!
 Para sermos CAPAZES de MUDAR NOSSO entorno precisamos ser o exemplo que queremos no mundo...

  Reflita assistindo este vídeo:  🤔🤔🤔  https://vimeo.com/235385581/ 

  Durante décadas, a mídia empregou recursos de manipulação como as Janelas de Overton para nos fazer achar “normal” levar vantagem ainda que prejudicando alguém.

   Exemplo didático: a novela "Dancing Days", em 1978, em um trecho de apenas 2 minutos que você pode ver aqui https://vimeo.com/209271388 criou duas falsas crenças, contrabandeadas no meio do contexto, degradando os valores morais:

  1ª falsa crença: "todos são corruptos" então, por que você também não pode ser? A ideia de “levar  vantagem em tudo” havia iniciado logo depois da Copa do Mundo de 1970, aproveitando o carisma de ídolos da Seleção Tri-Campeã de Futebol como Gerson.

  2ª falsa crença: não vale a pena ser honesto porque "quem não é corrupto vive na miséria".
 A mentira foi embutida em uma crítica à vedação das importações. Naquela época, muitos dos produtos nacionais eram de qualidade inferior aos confeccionados no exterior e, contudo, era quase impossível trazer produtos de fora devido à quantidade de restrições e dos impostos de importação.

 Havia antipatia pela vedação: a maioria da população desejava ter acesso aos produtos importados, muito melhores.

  Assim, a estrutura da cena “criticando a proibição de importações” atraiu a simpatia e a ancorou nas falsas crenças, facilitando serem contrabandeadas. As falsas crenças ingressam no inconsciente disfarçadamente, “pela porta dos fundos”, e o telespectador nem percebe.

 Através desse processo, usando estruturas como essa, os controladores globalistas  impõe mudam os valores mediante  falsas crenças, destroçam a moral e esse estado emocional altera a maneira da população se comportar. Foi assim que eles dominaram o país impondo tudo o que  desejaram implantar!

  Através de “janelas” assim, foram sendo impregnadas falsas crenças como ser “normal” a corrupção e até “ser necessária” para evitar a miséria…

 Para entender perfeitamente, basta assistir ao trecho de apenas 2 minutos aqui: https://vimeo.com/209271388 

 Compare, agora, à outra novela, Vale Tudo, dez anos depois, com a mesma Regina Duarte fazendo papel da pessoa certinha e que se dá mal na vida. O cotejo das novelas separadas por dez anos de desconstrução da moral mostram o poder de manipulação da mídia: a Janela de Overton foi movida para dentro da zona da patifaria, onde Vale Tudo, como frisa o título: https://vimeo.com/202417107 

  Portanto: o Brasil é pobre porque a Globo chinelizou a moral!

12. Como sair do aprisionamento virtual?

 Brasil precisa de uma reforma tributária? Claro que sim. Contudo, adianta tentar fazer "reforma" no atual modelo estatal?

 Os corruptos controlam todo o processo. É necessária uma ruptura institucional -através da conscientização, para uma reinvenção do Estado Brasileiro.

 A partir da mudança, aí sim, se pode pensar na instituição de um sistema de Impostos justo - substituindo os 92 impostos, taxas e contribuições que pagamos atualmente... E ainda se pensa em instituir a CPMF (mais um imposto) em 2016. http://padilla-luiz.blogspot.com.br/2016/06/6a-onda-tecnologica-da-imaginacao-1-mmm.html 

  14. O que os controladores globalistas não querem que descubras:

  Os 3 pilares da sociedade:

   Entenda como fomos envolvidos nesse holograma através da acultura da superficialidade e do medo e de técnicas de propaganda desenvolvidas a partir de estudos de Freud http://bit.ly/espiral-silencio para promoverem a idiotização e facilitar a escravização humana!

   A egocentrização promovida pela acultura da superficialidade está na raiz de todos os problemas da sociedade, desde a violência até o desmanche da educação e dos serviços de saúde:  http://bit.ly/aculturadasuperficialidade

   Deperte da escravização humana dissimulada http://bit.ly/escravizacao 

   Descubra como escaparemos dessa prisão sem correntes  http://bit.ly/1mundomelhor  vencendo a 5GW http://bit.ly/5-guerra 

  A sociedade contemporânea depende do equilíbrio na interseção de três Sistemas os quais sustentam a paz social, sem a qual, não há progresso. Contudo, tudo vem sendo escondido de nós.

 Compreenda a acultura da superficialidade e do medo, criada para escravizar a humanidade, a partir de uma coletânea de vídeos: https://vimeo.com/album/3144893/

  São pilares dos quais depende a manutenção da sociedade:

  1. O sistema de direito, o qual foi tornado ineficaz por falsas crençãs e alteração de valores http://bit.ly/mazelas

 Compreenda melhor o Sistema Jurídico na perspectiva antropológico e humanista transdisciplinar da TgpT aqui: http://bit.ly/tgp-t       https://t.co/3cxdCLbFR7 

  2. O sistema desportivo. Entenda o papel e a importância do esporte e do direito na sociedade aqui: http://bit.ly/4plano 

  3. O sistema de crenças e valores. As crenças falsas são disseminadas mediante HEM, a hipnose em massa, subvertendo os valores. Saiba mais aqui http://bit.ly/hipnose-massa https://t.co/1cg9ZLeFbT 

  A “espiral do silêncio” e as demais técnicas de propaganda desenvolvidas a partir de estudos de Freud para manipular a coletividade. https://docs.google.com/document/d/1eqLnT3IwaJtM2ywqNVRJggUUMHr76QB_pimSsPSkaqU/pub http://bit.ly/espiral-silencio        https://www.scribd.com/document/356029966/Espiral-do-Silencio 

  Para entender a HEM, hipnose em massa, examine este artigo: http://bit.ly/hipnose-massa 

     Para saber mais sobre a 5GW, Guerra de  5º Geração, clique aqui: http://bit.ly/5-guerra 

     O feminismo, o machismo e os demais engodos da emoção e da sexualidade:     http://bit.ly/feminaze

Descubra o que não querem que saibas: na Rede de Conscientização: 

http://bit.ly/conscientizar

https://drive.google.com/folderview?id=0B2CNDxRTI8HAcVl3cFc0M09hZ3M&usp=sharing