Mind(e) my gap Lab | Emmanuelle Huynh
Laboratório multidisciplinar de colaboração artística
18 a 23 de setembro de 2017
Minde
A taxi driver, an architect and the High Line | Huynh-Cottencin
©Jocelyn Cottencin
MIND(E) MY GAP LAB
Neste laboratório multidisciplinar, Emmanuelle Huynh propõe aos participantes uma experiência de auto-formação, a partilha de questões e modos de fazer através do desenvolvimento de propostas práticas trazidas por cada um.

Cada participante é convidado a trazer para o laboratório uma proposta, seja uma sequência coreográfica, um texto, uma composição sonora, um trabalho visual,… Esta proposta, que deve ser simples e passível de ser partilhada e, ao mesmo tempo, relevante no percurso de cada um, deve conter uma dimensão de incompletude, uma interrogação pessoal, e pode focar-se em algo que o participante queira mudar no seu trabalho, no seu campo de actuação, no mundo.

Os participantes serão selecionados pela sua capacidade de propor algo simples e específico, passível de ser partilhado, articulado conceptualmente e concretizado de forma prática.

O grupo deverá tornar-se/ produzir um contexto de pesquisa para cada proposta, procurando responder às várias interrogações através das diferentes práticas e mediums do conjunto de participantes. Partilhando e inventando um contexto de pesquisa desbloqueado espera-se forjar uma comunidade efémera mas coesa.

Cada dia iniciará com uma rotina de aquecimento, que já conterá parte da pesquisa a desenvolver. As propostas serão agrupadas em duas ou três a cada momento, produzindo um conjunto/ confronto de interrogações a que o grupo escolherá responder como um todo ou focando-se apenas numa. Ao longo da semana, haverá ainda lugar para trabalho no exterior, uma experiência imersiva na natureza, nas imediações da vila de Minde.

PROGRAMA
18 Set | 10:00 - 13:00 | Acolhimento
18 Set | 14:30 - 19:00 | Laboratório
19-22 Set | 10:00 - 17:00 | Laboratório
23 Set | 14:30 - 16h30 | Encontro informal com artistas e professores convidados
23 Set > 16:30 - 18:30 > Reflexão final
Emmanuelle Huynh
Emmanuelle Huynh, bailarina, coreógrafa e professora, estudou dança e filosofia. No seu trabalho tem explorado a relação da dança com a literatura, a música, a luz, o ikebana (arte floral japonesa) e a arquitetura. Criou, entre outras, as peças, Mùa (1994), A Vida Enorme (2002), Cribles (2009), Shinbai, le Vol de l’âme (2009), Tôzai!... (2014). Entre 2004 e 2012, dirigiu o Centre national de danse contemporaine (CNDC), em Angers, onde refundou a escola e criou a formação «Essais», um Curso de Mestrado em Dança, Criação e Performance. Em fevereiro de 2016 criou, com Jocelyn Cottencin, na Passerelle Centre d’art contemporain, em Brest, o projeto A taxi driver, an architect and the High Line, um retrato da vida na cidade de Nova Iorque através da sua arquitetura, dos seus espaços e dos seus habitantes, composto de filmes retratos e de uma performance. Atualmente está a preparar uma peça a partir de Formation, a obra autobiográfica de Pierre Guyotat. Entre 2014 e 2016, Emmanuelle Huynh foi Mestre-Assistente associada na École Nationale Supérieure d’Architecture de Nantes. Em junho de 2016 foi nomeada Professora no domínio da coreografia, da dança e da performance, na École Nationale des Beaux-arts de Paris.
Next
Never submit passwords through Google Forms.
This form was created inside of Materiais Diversos. Report Abuse - Terms of Service - Additional Terms